CENA 01 – CONSULTÓRIO HELP YOURSELF – INT – TARDE

Lilly e Mark estão sentados em uma poltrona cada. As paredes azuis do consultório deviam dar um toque calmo ao local, mas a tensão dos dois acaba criando o efeito contrário. Uma mulher alta, magra e de cabelos marrons abre a porta do seu escritório e os convida para entrar. Eles obedecem.

 

CENA 02 – CONSULTÓRIO HELP YOURSELF – INT – ESCRITÓRIO DE JULIE – INT – TARDE

Lilly e Mark novamente se sentam em poltronas separadas. Julie senta em sua poltrona atrás de sua mesa de mogno e pega uma prancheta e uma caneta na segunda gaveta do lado esquerdo da mesa. Ela fecha a gaveta e posiciona-se confortavelmente.

JULIE – Então, qual é o problema com o lindo casal?

Lilly e Mark começam a falar ao mesmo tempo, um reclamando sobre o outro em tom alto e agressivo.

JULIE – Um de cada vez. Moça, você primeiro.

MARK – Por que ela tem que ir primeiro? Por que não eu?!

LILLY – Por que a terapeuta mandou!

MARK – Agora você faz o que ELA manda?!

LILLY – Cale-se ou eu te castro, infeliz!

Mark cala-se imediatamente, mas mantém uma expressão irritada no rosto.

LILLY – Ele fica flertando com a “amiga” dele e isso me estressa.

MARK – Não vai contar a história direito?!

Lilly e Mark começam a discutir novamente e Julie os silencia com um tapa na mesa.

JULIE – Ô mesa do demônio.

JULIE – Lilly, não é? Você está deixando passar algum detalhe do problema?

MARK – Algum detalhe? Ela deixou passar a história inteira. Eis o que aconteceu:

 

CENA 03 – FLASHBACK – QUATRO MESES ATRÁS – ENTRADA DO CONDOMÍNIO SMELLY NELLY’S – INT – NOITE

MARK (NARRANDO) – Tudo veio a cair quatro meses atrás. Eu tinha sido encorajado pelo meu melhor amigo à correr atrás da garota que eu estava afim, mas acontece que ela queria O meu melhor amigo por conta de um conselho que a irmã do namorado da minha melhor amiga deu. Quando meu amigo descobriu isso, ele veio diretamente me contar e eu acabei reagindo de maneira errada, encerrando nossa amizade bem ali. Minha melhor amiga e o namorado dela brigaram por causa disso, já que eles tomaram lados opostos na briga, e o pior é que ele iria pedir ela em casamento mais tarde àquela noite, e é culpa minha que um casal tão lindo tenha acabado tão brutalmente. Enquanto isso, meu colega de quarto da faculdade tinha ido deixar umas coisas no meu apartamento e encontrou com a garota que eu estava afim e minha irmã, contando a elas a história do guarda-chuva vermelho.

 

CENA 04 – FLASHFOWARD – ATUALMENTE – CONSULTÓRIO HELP YOURSELF – INT – ESCRITÓRIO DE JULIE – INT – TARDE

JULIE – Guarda-chuva vermelho?

LILLY – Pelo amor de Deus, CHEGA COM ESSA HISTÓRIA!

MARK – Eu já vou chegar lá, espere um pouco.

 

CENA 05 – FLASHBACK – QUATRO MESES ATRÁS – ENTRADA DO CONDOMÍNIO SMELLY NELLY’S – INT – NOITE

MARK (NARRANDO) – Então a garota que eu estava afim armou todo um clima romântico no meu apartamento, mas meu colega de quarto da faculdade que apareceu, não eu. Meu “melhor amigo” havia saído de lá mais cedo devido à nossa briga. Então, quando eu estava voltando para meu apartamento naquela noite chuvosa, eu encontrei com a Lilly.

MARK (NARRANDO) – Ela estava esplêndida. Bom, na medida do possível. Ela tinha acabado de chegar à cidade e precisava de ajuda com algumas coisas. A chuva estava castigando a pobre coitada, foi quando eu apareci e a ajudei com seu guarda chuva.

 

CENA 06 – FLASHFOWARD – ATUALMENTE – CONSULTÓRIO HELP YOURSELF – INT – ESCRITÓRIO DE JULIE – INT – TARDE

JULIE – O vermelho?

LILLY – Não. Um verde. Mas já que você está tão interessada nessa história, eu contarei. Mas prepare-se, é longa.

MARK – Nem é tão longa assim…

LILLY – Silêncio, ou então eu não conto!

 

CENA 07 – FLASHBACK – TRÊS MESES ATRÁS – APARTAMENTO DE MARK – INT – SALA – INT – TARDE

LILLY (Narrando) – Então tinha acabado de completar um mês que eu e Mark estávamos saindo e a essa altura ele só faltava ter me pedido em casamento.

Mark entra no apartamento e encontra Lilly de lingerie.

MARK – Oh, olá, senhorita mulher gato.

LILLY – Cala a boca e me leva para cama!

Mark a agarra e os dois entram no quarto numa paixão enorme. Quando Mark tenta tirar o zíper da fantasia de Lilly, ele acaba emperrando e os dois ficam presos.

 

CENA 08 – APARTAMENTO DE TORI – INT – SALA – INT – TARDE

Nicholas sai do quarto de Kate e vai para o banheiro. Kate sai do quarto completamente sorridente e é obrigada a receber o olhar de desaprovação de Tori.

TORI – São quatro da tarde. O que vocês são? Porcos no cio?

KATE – Somos mais altos.

Ouve-se um grito vindo do apartamento de Mark.

LILLY (Gritando) – VOCÊ VAI RASGAR AS MINHAS COSTAS! VAI DEVAGAR!

KATE – Mas não tão altos assim.

MARK (Gritando) – TORI! KATE! UMA AJUDINHA AQUI!

Tori e Kate se entreolham. As duas fazem uma cara de nojo e ficam se encarando.

KATE – O que você está olhando?

TORI – O que você está olhando?

KATE – Eu não vou lá.

TORI – Bom, eu não posso ir lá! Ele é meu irmão!

KATE – E eu posso?!

TORI – Leve o Nicholas, pelo menos você pode fazer a quatro ou sei lá.

LILLY (Gritando): GENTE, SOCORRO! É SÉRIO, PRECISAMOS DE AJUDA!

Tori e Kate saem do apartamento delas e entram no apartamento de Mark.

 

CENA 09 – APARTAMENTO DE MARK – INT – SALA – INT – TARDE

TORI – Onde vocês estão?

LILLY (Gritando) – NO QUARTO!

TORI – Certo, Kate, pode dar uma olhada lá para mim?

KATE (Gritando) – VOCÊS ESTÃO VESTIDOS?!

MARK E LILLY (Gritando) – SIM!

Kate entra no quarto e fecha a porta. Ela dá crises de risos enquanto ajuda Mark e Lilly a se desprenderem do zíper da fantasia de Lilly, enquanto Tori fica apreensiva na sala.  Natalie e Nicholas entram no apartamento.

NATALIE – O que está havendo?

TORI – Eu não entendi direito, mas Mark e Lilly estão com Kate lá no quarto e não parece nada bom.

NICHOLAS – Ótimo! Uma a quatro, eu finalmente poderei saber como o Mark é sem roupa!

Nicholas começa a andar em direção ao quarto, mas as meninas gritam e o distraem.

NATALIE E TORI (Gritando) – O QUÊ?!

NICHOLAS – Eu sou bi, não sabiam?

 

CENA 10 – FLASHFOWARD – CONSULTÓRIO HELP YOURSELF – INT – ESCRITÓRIO DE JULIE – INT – TARDE

LILLY – Então todos me viram com a fantasia da mulher gato, tiraram foto e me marcaram no Facebook. Até hoje recebo pedidos de amizade de vários fanboys.

JULIE – O que isso tem a ver com a história do guarda-chuva?

MARK – Lilly conheceu a história mais tarde àquele dia, quando estávamos no nosso jantar.

 

CENA 11 – FLASHBACK – RESTAURANTE TRIBBIANNI – INT – MESA 78 – NOITE

Lilly e Mark estão muito bem vestidos. Lilly está com um vestido rosa escuro, mas não muito chamativo, enquanto Mark está com um blazer azul-escuro. Os dois se olham por alguns segundos quando Derek vem anotar o seu pedido.

DEREK – Feliz aniversário, pessoal.

LILLY – Obrigada.

MARK – Valeu.

DEREK – Os especiais de hoje são lagosta ao molho da casa, espaguete à carbonara e palha italiana.

LILLY – E de bebidas?

DEREK – Não se preocupem, como é o aniversário de vocês eu lhes darei um uísque Glen McKenna de 50 anos, por conta da casa.

MARK – Sério? Obrigado cara.

DEREK – Não há de quê. A propósito, como vai a Natalie? Ela já arrumou alguém? Já tá namorando? Já casou? Já está grávida? Sente a minha falta? Comentou sobre como nós dormíamos juntos e ela entrelaçava os pés dela nos meus para dormirmos de conchinha? Disse sobre nossa maratona de Devious Maids?

MARK – Lilly, ajuda.

LILLY – Derek, pode trazer uma palha italiana para o Mark e eu vou querer o espaguete.

DEREK – É pra já.

Derek termina de anotar o pedido e sai de cena. Lilly e Mark jogam conversa fora enquanto esperam o pedido chegar.

LILLY – Conte-me uma história sua.

MARK – Você já ouviu a do guarda-chuva vermelho?

LILLY – Não, mas adoraria…

MARK – Uns anos atrás, quando Natalie, Nicholas e eu estávamos na faculdade, ficamos encarregados de criar um projeto tecnológico sustentável para apresentar na feira de ciências da cidade, representando a faculdade. Como Natalie morava na cidade e Nicholas e eu ainda dividíamos um quarto na faculdade, decidimos realizar tudo onde Natalie morava. Passamos meses trabalhando no projeto e finalmente conseguimos desenvolver um mini robô que realmente te conhecia. Você colocava detalhes sobre si mesmo e conversava com o robô através de um software que nós resolvemos chamar de 43. Não havia uma razão. Enfim, o robô foi projetado para entreter pacientes que estavam com diagnóstico ruim nos hospitais, como crianças com meningite, por exemplo.

LILLY – E aí, o que aconteceu?

MARK – A previsão para o dia da feira de ciências era uma forte trovoada. Natalie teve que trabalhar, então Nicholas e eu resolvemos levar o robô a pé até a feira. Andamos por muitas horas até que sentimos o primeiro pingo de chuva. Ficamos desesperados para conseguir achar um abrigo para que o robô não se molhasse, já que era um protótipo e não tínhamos outro em caso de emergência. Quando a chuva ficou bem intensa, nós estávamos abrigados embaixo de um toldo de uma loja de roupas, acho que era Bloomingdale’s, mas não tenho certeza. O que importa é que um ônibus veio e iria jogar bastante água em cima de nós dois, mas uma moça abriu um guarda-chuva e impediu que a água acertasse o robô. Nicholas e eu, é claro, ficamos ensopados, mas o projeto estava salvo.

LILLY – Quem era essa mulher?

MARK – Nunca soubemos. Eu gosto de pensar que ela estava ali, nos observando, como se esperasse algo acontecer. Depois que ela salvou o robô, só ouvimos algumas palavras murmuradas e ela seguiu caminho. Nunca mais a vi, mas por causa dela, eu e Nicholas ganhamos a feira e o protótipo foi desenvolvido.

LILLY – Incrível!

MARK – Eu sempre achei que ela era a garota perfeita para mim. A mulher com quem eu passaria o resto dos meus dias; a mulher com quem eu veria nossos filhos crescendo e tendo mais filhos, e estes também cresceriam e subiriam nas minhas costas me chamando de vovô… Me desculpe, eu sou um babaca.

LILLY – De maneira alguma! Eu acho isso tudo muito… Doce.

Derek traz os dois pratos que Lilly e Mark pediram. Ele coloca a palha italiana em frente a Mark e o espaguete em frente a Lilly.  Derek sai de cena novamente e Kate aparece para entregar o uísque. Em seguida, Kate sai de cena e os dois começam a comer. Depois de alguns minutos, os dois voltam a conversar.

LILLY – Sabe o que seria legal?

MARK – O quê?

LILLY – Se nós fizéssemos aquela cena de “A Dama e o Vagabundo”.

MARK – Você está brincando, não está?

LILLY – Não, seu bobo. Vamos logo.

Mark e Lilly enrolam seus garfos no espaguete e tentam reencenar a cena de “A Dama e o Vagabundo”, mas quando estão prestes a se beijar, Mark avista um antigo amigo.

MARK – Jared…

LILLY – Meu nome é Lilly.

MARK – Não, Jared.

Mark aponta para Jared na porta do restaurante. Lilly e Mark observam quando a acompanhante de Jared aparece.

MARK – Tori?

FIM DO EPISÓDIO

EPISÓDIO 2×01: TERAPIA DE CASAL: PARTE 1

CÓDIGO DE PRODUÇÃO: WH090


ELENCO PRINCIPAL:

YVONNE STRAHOVSKI COMO KATHERINE “KATE”

RACHEL BILSON COMO VICTORIA “TORI”

ZACHARY LEVI COMO MARK

JOSEPH MORGAN COMO JARED

WILSON BETHEL COMO DEREK

CANDICE ACCOLA COMO NATALIE


ELENCO CONVIDADO:

ZACHARY KNIGHTON COMO NICHOLAS TOMAZZI

CHLOE BENNETT COMO LILLY PEARSON BENNETT


ESCRITO POR:

WALTER HUGO


SUPERVISÃO:

FÉLIX CRÍTICA


TV VIRTUAL

MOONLIGHT PICTURES


TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.