CENA 01 –  JOHN QUINCY ADAMS MIDDLE SCHOOL – CLASSE DE HISTÓRIA – INT – MANHÃ

Os alunos se posicionam em suas respectivas carteiras. Riley e Maya chegam por último, como costumam fazer.

RILEY – Não é incrível a época de fim de ano? Todo esse clima festivo para nos  fazer se sentir bem e esquecer quaisquer decepções que nossos pais tenham nos dado…

MAYA – Se você está tentando ser sutil, não está conseguindo.

As duas se sentam.

RILEY – Vamos lá, se anima! É sábado! Seu dia favorito da semana, pois temos aula com filmes de guerra.

MAYA – Eu sei, é que eu realmente não estou no clima para nada. Não desde…

Lucas, o melhor amigo de ambas, porte físico regular e olhos verdes, cabelo penteado e com topete, entra na sala.

LUCAS – E aí povo?

MAYA – E aí cowboy?

RILEY – Não liga para ela. Ela só está triste sobre toda essa história da mãe dela.

LUCAS – Que história da mãe dela?

Lucas se senta duas carteiras atrás delas. As garotas se viram para falar com ele.

MAYA – Basicamente, eu sou uma filha bastarda que foi escondida dos parentes. Ninguém sabe da minha existência e isso é meio doloroso.

LUCAS – Tem algo que possamos fazer?

MAYA – Se não for incômodo, preciso ficar sozinha um pouco.

Maya se levanta para sair da sala e esbarra no professor no caminho. Ela sai de cena e fecha a porta.

LUCAS – Sr. Cory, a Maya está meio para baixo.

CORY – Eu percebi. Acho que ela precisa de um tempo sozinha para pensar. De uma maneira ou de outra, preciso começar a aula.

RILEY – Pai, isso é injusto. Maya acabou de receber uma bomba em relação à sua família e você vai deixar assim por nada?

CORY – Riley, o que você quer que eu faça? Eu passei pelo apartamento da tal de Natalie, mas realmente não posso ir além disso.

Cory pega um giz na mesa e escreve no quadro.

CORY (lendo) – Influência. (se volta para a classe) Vocês já se perguntaram qual o tamanho da influência que vocês têm sobre alguém? O quanto vocês são importantes para ela? Já se tentaram medir o tamanho do medo que vocês têm de machuca-la? Algumas pessoas acabam mudando as nossas vidas e nossas pequenas ações também podem acabar mudando a vida de alguém. Reflitam por um momento: A próxima vez que vocês passarem por um funcionário público, alguma pessoa com deficiência ou alguém que demonstre precisar de ajuda, conversem com eles, façam com que eles percebam que por um instante do dia, eles foram notados por gente que não os conheciam. Pequenas ações movem mundos. Está na mão de vocês decidir o tamanho do movimento que você quer causar.

RILEY – Pai.

CORY – Sim, Riley.

RILEY – Eu quero mudar o mundo de alguém que é muito importante para mim.

CORY – Eu adoraria ver isso.

Riley sorri.

 

CENA 02 – APARTAMENTO DE NATALIE – INT – TARDE

Natalie sentada assistindo TV. Alguém bate na porta, ela desliga a TV, levanta do sofá e a abre.

NATALIE – Posso ajuda-la?

RILEY – Meu nome é Riley… E você pode mudar a vida de alguém que eu amo muito.

 

CENA 03 – APARTAMENTO DE TORI/KATE – INT – TARDE

Jared entra. Derek e Tori estão sentados à mesa da sala. Uma pilha de papeis cobre a mesa inteira.

JARED – Vão fazer reciclagem?

DEREK – Estamos cobrindo a ausência da Natalie. Claramente ela esqueceu que é madrinha de honra.

JARED – Natalie tem uma vida, sabia?

DEREK – Essa frase não condiz com a realidade.

TORI – Derek, você pode buscar outro bloco de anotações para mim? O meu acabou de morrer.

DEREK – Certo. Onde tem um?

TORI – Na papelaria. No outro lado da cidade, de preferência.

DEREK – Tá de onda né?

TORI – Sim, sim. A da esquina serve. Eu te pago quando você voltar, ok? Te adoro.

Derek sai de cena meio emburrado.

TORI – Ok, eu ligo para o florista, você liga para a banda e desmarcamos tudo!

Jared arregala os olhos, assustado.

JARED – O quê? De repente viramos anti-cupidos ou algo assim?

TORI – Não, seu palerma! Nosso plano é juntar a Kate e o Mark de uma vez por todas, e com Kate em Vegas prestes a casar, fica completamente difícil disso acontecer tão cedo.

JARED – E o que você pretende fazer? Bancar a Emily Thorne e iniciar planos maquiavelicamente esquematizados?

TORI – Me ajude ou caia fora. A escolha é sua.

JARED (preocupado) – Tá! Mas que fique claro, eu direi que você me obrigou a fazer tudo isso.

Jared pega seu telefone e começa a digitar.

TORI – Você endoidou de vez? (pega um celular descartável debaixo da mesa) Tem que usar algo que seja impossível de ser rastreado. (o joga para Jared) Aqui, use este.

JARED – Você é daquelas que tem uma arma escondida em algum lugar da casa, não é?

TORI – Eu não posso responder essa pergunta… Bom, não aqui e em mais 44 estados.

Jared arregala os olhos, com medo.

 

CENA 04 – LAS VEGAS – CEASAR’S PALACE HOTEL/CASSINO – QUARTO 413 – INT – NOITE

Kate desliga o telefone.

KATE – A coisa mais estranha acabou de acontecer.

NICHOLAS – O que houve?

KATE – Aparentemente, alguém ligou para o florista e a banda e os comunicou que não haveria mais casamento.

NICHOLAS – Eu hein. Mas isso acabou funcionando bem para nós.

KATE – Exato. Dessa forma nós economizaremos o dinheiro da ornamentação e poderemos usá-lo na lua de mel.

Kate sorri. Nicholas se aproxima dela e a beija.

Ela tira a camisa dele e alisa o seu peito. Nicholas tira a blusa de Kate e a beija no pescoço, levando-a a loucura. Os dois caem na cama.

Alguém bate na porta.

KATE – Não sou obrigada.

NICHOLAS – Provavelmente é serviço de quarto. (gritando) Tudo bem por aqui, boa noite!

Os dois voltam a se beijar.

 

CENA 05 – LOJA ELETRÕNICA MUNDO INTERATIVO – INT – DIA SEGUINTE – MANHÃ

Mark e Natalie conversam no balcão.

NATALIE – E aí ela contou toda uma baboseira sobre a Katie ter uma filha bastarda.

MARK – Eu não entendo. O que essa garota quer de você, afinal? Você tem mais uns três ou quatro irmãos.

NATALIE – É, mas eu sou a única que mora em NY. Faz sentido ela vir me procurar e além do mais, ela meio que parece comigo.

MARK – Espera, você não está realmente pensando em conhecê-la, não é?

NATALIE – Qual o mal disso? Nós temos três dias para estar em Vegas para o casamento e ela estará de férias. Talvez eu até a leve para o casamento.

MARK – Agora você perdeu a cabeça. Você vai levar uma garota de catorze anos para um casamento em Las Vegas?

NATALIE – A gente já ia levar a sua mãe, o Carter e a Tori. Aquele lugar estaria de ponta cabeça de todo jeito.

MARK – Você quer que eu vá com você visitar a Maya?

NATALIE – Não precisa. Eu já tenho o cara certo para ir comigo lá. Mas obrigado por perguntar.

Mark abraça Natalie.

MARK – Estou aqui sempre que precisar.

NATALIE – Eu sei. Idem.

 

CENA 06 – APARTAMENTO DOS MATTHEWS – SALA – INT – TARDE

A campainha toca. Topanga estranha o barulho.

TOPANGA – Você ouviu isso?

CORY (confuso) – O quê?

TOPANGA – A campainha.

A campainha toca novamente.

TOPANGA – É um milagre! Tem gente tocando a campainha!

A campainha toca mais uma vez.

CORY – Abre logo antes que a pessoa vá embora!

A porta se abre e Natalie entra.

NATALIE – Oh, tem gente em casa.

CORY – Natalie. Vejo que minha filha conversou com você.

TOPANGA – Natalie? Você que é a suposta tia da Maya?

NATALIE – Aparentemente sim.

TOPANGA – Então está no sangue entrar sem ser anunciada. Pode se sentar, você já é da casa.

Natalie estranha a frase.

NATALIE – Eu literalmente acabei de conhecer vocês dois.

Topanga dá uma risada meio forçada.

TOPANGA – Acredite em mim, nesta casa, todo mundo é da casa. Até a maldita da Ava.

NATALIE – Ava?

TOPANGA – Ava Morgan Stern. Não queira saber mais que isso. Ela é o demônio de voz fina e presilhas no cabelo.

Riley desce as escadas e encontra Natalie no sofá.

RILEY – Oi.

NATALIE – Oi. Eu estou meio desconfortável. Não sei como fazer isso.

RILEY – Se apresente. Conte a ela quem você é. Garanto que ela vai ouvir.

CORY – Maya é um pouco nervosa, mas eventualmente, ela aprende a conviver com as pessoas.

A porta abre. Maya e Katy entram.

KATY (assustada) – Natalie!

KATY – O que raios você está fazendo aqui? Cory, Topanga, vocês deixaram ela entrar?!

RILEY – Eu deixei. Maya tem uma família enorme e todo o direito de conhece-los e por mais que você seja a mãe dela, não está em seu poder decidir quem pode ou não conhecer a filha que você tem. E eu realmente acredito que todos deveriam. Ela é a melhor pessoa que eu já vi no mundo.

Os olhos de Katy começam a lacrimejar.

KATY – Maya, eu sinto muito, eu…

MAYA – Por favor, pare. Primeiro você diz que não sabe quem é meu pai. Depois, esconde uma família inteira de mim. Qual é a próxima? Vai revelar que eu não sou sua filha também?

NATALIE – Eu só queria entender qual foi o motivo disso tudo.

CORY – Acho que nós todos queremos.

Katy se ajoelha diante da filha e segura as suas mãos.

KATY – Maya, escute. Você a pessoa mais importante nesse mundo para mim e eu não te desejo nada além de felicidades. Seu pai… Ele era um canalha. Eu fugi de casa para ficar com ele e a Natalie ainda era muito pequena. Quando ele tentou… (começa a chorar) Eu vi que não ia dar certo e me mudei para NY buscando um novo começo.

Katy enxuga as lágrimas.

KATY – Você se lembra da feira de ciências? Quando eu te dei aquele broche do robô?

MAYA – Claro que lembro. Eu tenho aquele broche até hoje no meu armário. Foi no dia que eu conheci a Riley.

KATY – Filha, aquele broche era do projeto da sua tia, Natalie.

Maya se volta para Natalie. Riley também.

RILEY – Nós conversamos aquele dia. Eu e Maya. Vimos o anúncio do projeto que tinha ganhado e seu nome estava na lista dos premiados, mas… Eu não vi você.

NATALIE – Isso é porque eu não estava presente no dia. Meus amigos Mark e Nicholas, por outro lado, estavam lá.

MAYA – Vocês são a razão pela qual eu tenho a Riley.

RILEY – Obrigada.

Riley, Maya, Natalie e Katy se abraçam. Cory e Topanga observam sorrindo.

 

CENA 08 – APARTAMENTO DE TORI/KATE – SALA – INT – NOITE

TORI – Então você conheceu a Maya?

NATALIE – Sim, e ela é um amor de pessoa.

JARED – Talvez ela apareça por aqui de vez em quando.

DEREK – Adoraríamos conhece-la.

NATALIE – Vocês irão. Ela e os amigos vão com a gente para o casamento.

MARK – Você ainda está nessa?

NATALIE – Qual é, vai ser divertido. E aliás, não é como se nós nunca tivéssemos ido lá.

Jared faz um barulho esquisito.

TORI – O que foi?

JARED – À respeito de Las Vegas… Lembram da última vez que estivemos lá? Bom, acontece que não foi bem assim…

 

CENA 09 – JOHN QUINCY ADAMS MIDDLE SCHOOL – CLASSE DE HISTÓRIA – DIA SEGUINTE – MANHÃ

Maya está diante da sala.

CORY – Pode começar Riley.

RILEY – A felicidade. As verdadeiras coisas que nos tornam bem-aventurados nos são as pequenas: um domingo chuvoso assistindo um filme com a família e uma boa pipoca para acompanhar, o cheiro de terra molhada, entre tantos outros. A felicidade está em fazer o bem a si e ao próximo. Emerson Martins. Você pode pensar que uma pequena boa ação não move o mundo, mas move. É isso que se trata influência: Fazer o bem, não importa a quem, e promover espalhar alegria onde até certo ponto, não há. Eu sou sortuda de ter alguém que cuida de mim e sem ela, eu realmente não seria ninguém.

Maya sorri de sua carteira.

LUCAS – Você resolveu o seu problema?

Maya coloca a mão no bolso da sua mochila e entrega um broche à Lucas.

LUCAS – O que é isso?

MAYA – Uma boa ação. Eu soube que seu projeto não entrou para a feira desse ano. Esse broche é de um dos projetos que ganhou e por causa desse, eu conheci a Riley.

LUCAS – É legal, mas… Como isso vai me ajudar em algo?

RILEY – Um dia você fará o mesmo. Seu projeto passará na feira e acabará unindo duas pessoas para uma vida toda e eu lhe garanto que o mundo das duas será muito melhor.

Lucas sorri.

LUCAS – Obrigado.

MAYA – De nada, cowboy.

Cory sorri ao ver Maya e Riley animando Lucas. Close em Cory, sorrindo.

 

FADE OUT

 

CONTINUA…

 

EPISÓDIO 2×17: O PIOR CASAMENTO DO UNIVERO: PARTE 2

CÓDIGO DE PRODUÇÃO: WH106

ELENCO PRINCIPAL: 

YVONNE STRAHOVSKI COMO KATHERINE “KATE”

RACHEL BILSON COMO VICTORIA “TORI”

ZACHARY LEVI COMO MARK

JOSEPH MORGAN COMO JARED

WILSON BETHEL COMO DEREK

CANDICE ACCOLA COMO NATALIE

ELENCO CONVIDADO:

ZACHARY KNIGHTON COMO NICHOLAS

BEN SAVAGE COMO CORY MATTHEWS

ROWAN BLANCHARD COMO RILEY MATTHEWS

SABRINA CARPENTER COMO MAYA HART

DANIELLE FISHELL COMO TOPANGA MATTHEWS

PEYTON MEYER COMO LUCAS FRIAR

CHERYL TEXIERA COMO KATY HART

ESCRITO POR:

WALTER HUGO

SUPERVISÃO:

DOUGLAS SOUZA

UNBROKEN PRODUCTIONS

MOONLIGHT PICTURES

 

 

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.