FADE IN:

 

(FLASHBACK 2009) – INT – TORMENS FALLS – RESIDÊNCIA PORTER – TARDE.

 

Em Frente à grande mansão da família Porter estão vários carros da policia. Alguns policiais acompanham a perícia, enquanto dentro da casa, Nina e Richard estão sendo interrogados pelo delegado Carlos Mendel, este alto e com olhos azuis e cabelos loiros. Ele segura um pequeno bloco de papel e uma caneta.

 

DELEGADO CARLOS [Olhando para Nina e Richard] Estão dizendo que o garoto foi quem empurrou o irmão?

 

NINA[Chorando] Na verdade, eu não estava em casa quando tudo aconteceu. Mas o Richard disse que… [Enxugando as lágrimas]… O Alec empurrou o Brandon da sacada.

 

Ela enterra o rosto no peito do marido. Richard a conforta e o delegado continua anotando tudo.

 

RICHARD – Como você pode ver delegado, uma terrível tragédia.

 

DELEGADO CARLOS – De fato! Sinto muito pela perda de vocês.

 

Um dos policiais se aproxima e sussurra algo ao ouvido do delegado.

 

NINA[Olhando para o policial] Algum problema?

 

DELEGADO CARLOS – Eu sinto muito, mas o filho de vocês Alec precisa ser levado para o reformatório destinado a menores infratores. Pelo menos até o dia da audiência, é quando o Juiz determinará a sentença dele.

 

NINA[Surpresa] O quê? Meu filho vai ser levado de mim?

 

DELEGADO CARLOS – Sinto muito, mas é a lei. Seu filho cometeu um crime sério.

 

NINA[Alterada] Ele é só uma criança!

 

RICHARD – Calma querida! Vamos tomar as providências necessárias e você sabe que o nosso garoto não fez por mal. Foi um acidente!

 

Nina chora descontroladamente. Alec desce as escadas correndo e abraça a mãe.

 

ALEC [Assustado-Chorando] Estão querendo me levar mamãe. Não me deixe!

 

NINA [Abraçando o filho] Jamais te deixarei Alec. Eu estarei sempre com você e não importa quanto tempo tenhamos que ficar distantes, eu o amo e sei que é um garoto bom.

 

Ela abraça o filho e as lágrimas escorrem por seu rosto.

 

FIM DO FLASHBACK.

 

CORTA PARA:

 

CENA 02 – INT – TORMENS FALLS/DELEGACIA – SALA DO DELEGADO – MANHÃ.

 

Alec olha a rua pela janela, quando o delegado Carlos entra e senta-se em sua cadeira. Ele olha alguns papeis e Alec se senta, observando-o.

 

DELEGADO CARLOS[Sem olhar o garoto] Chegou ontem e em menos de vinte e quatro horas acontece um assassinato.

 

ALEC[Sentando-se] Eu sou inocente. Não matei a Amélia!

 

DELEGADO CARLOS – Alec, você foi pego com a garota morta em seus braços. A faca ainda estava sobre o corpo e todos os presentes no momento o apontam como culpado, já que só você estava com a garota antes de tudo acontecer.

 

ALEC[Impaciente] Eu já falei o que aconteceu. Faltou energia e eu…

 

DELEGADO CARLOS[Cortando a fala do garoto] Sim, mas quem vai acreditar nisso? Não estou dizendo que foi você, mas as circunstâncias o fazem suspeito.

 

ALEC[Batendo na mesa e gritando] Mas eu não sou!

 

Ele levanta da cadeira e passa as mãos em sua cabeça de uma forma agressiva. Carlos o olha e a porta da sala é aberta. Mauro entra bastante apressado e nervoso.

 

MAURO[Gaguejando] B-Bom dia!

 

ALEC – O que está fazendo aqui?

 

MAURO – Vim te levar.

 

ALEC – Mas…

 

DELEGADO CARLOS[Levantando-se]… Mas ele não vai sair daqui.

 

MAURO – Delegado, o senhor bem sabe que ninguém fica detento sendo apenas um suspeito, precisa-se de provas. Pelo que sei a arma do crime está em avaliação e a única coisa que relata que o garoto matou a vítima, são adolescentes embriagados em uma noite de festa.

 

Alec fica surpreso com Mauro. O Delegado Carlos encara o advogado, até que se senta novamente.

 

DELEGADO CARLOS – Tem razão! Alec, você pode ir, mas não deve deixar a cidade, não se meter em encrencas durante esse tempo de investigação e sempre comparecer quando for solicitado. Você pode não ter mesmo matado a garota, mas ainda é um suspeito. Desrespeite qualquer uma dessas subjeções e solicitarei sua ordem de prisão.

 

Alec respira um pouco mais aliviado. Mauro o encara e o garoto pega seu celular sobre a mesa.

 

ALEC – Obrigado, Delegado Carlos. Farei o que me pediu não se preocupe. Verá que eu digo a verdade.

 

DELEGADO CARLOS – Espero!

 

Mauro abre a porta e Alec passa, ele logo depois.

 

CORTA PARA:

 

CENA 03 – EXT – TORMENS FALLS/FRENTE DA DELEGACIA – MANHÃ.

 

Agatha e Oliver estão do outro lado da rua sob uma enorme árvore e observando a quantidade de pessoas em frente à delegacia.

 

OLIVER[Lendo algo do celular] Os comentários nas redes sociais estão destruindo o Alec.

 

AGATHA – Não é para menos, ele matou a Amélia.

 

OLIVER – Acha mesmo que ele fez isso?

 

AGATHA – Você é cego? Nós o vimos com ela nos braços.

 

Oliver guarda seu celular e encara a amiga.

 

OLIVER – Não acho que ele tenha matado a Amélia. O Alec errou no passado, mas… Ele não ia fazer isso. Não daquela forma, Agatha.

 

AGATHA[Irritada] Você parece que não enxerga, Oliver. Fica sempre defendendo o Alec, coloca na sua cabeça de uma vez por todas, ele é um…

 

MULTIDÃO[Todos em frente à Delegacia] Assassino! Assassino! Assassino!

 

As pessoas revoltadas em frente à delegacia gritam e seguram cartazes com insultos e difamações ao garoto. Alec olha em volta e todos o olham com raiva e indignação.

 

ALEC [Para Mauro] Eles me detestam!

 

MAURO – Vamos! Eu o deixarei em sua casa.

 

ALEC – Espera!

 

Alec olha para o outro lado da rua e vê, Oliver e Agatha os observando, a garota desvia o olhar e vai embora sem ligar para o garoto. Oliver sem alternativa a segue. Mauro leva Alec para o carro e Oliver acompanha Agatha, que anda apressada.

 

OLIVER – Vai mesmo ignorá-lo?

 

AGATHA – Foi um erro achar que ele tinha algo para nos falar. Ele é outra pessoa e eu não posso lidar com isso.

 

Um carro preto para ao lado de Agatha e Oliver e quando eles olham o vidro abaixar, Alec os encara e abre a porta.

 

ALEC – Venham comigo, por favor!

 

AGATHA[Encarando-o] Claro que não. Eu não vou com você depois de ter matado a Amélia.

 

ALEC – Sabe que não fiz isso. Agatha, por favor!

 

Eles olham para trás e a multidão cerca o carro. Oliver olha para a amiga e entra ao veículo.

 

AGATHA – Você vai mesmo?

 

OLIVER – Acredito nele.

 

Agatha suspira inconformada e também entra e ao fechar a porta o carro parte em disparada.

 

CORTA PARA:

 

CENA 04 – INT – TORMENS FALLS – MANSÃO PORTER – QUARTO – MANHÃ.

 

Richard desperta e olha a hora no despertador na mesinha ao lado da cama. Ele puxa a coberta e uma mulher, cabelos loiros, olhos verdes, pele clara e seminua sorri ao se espreguiçar.

 

RICHARD [Sorrindo] Vamos acordar, pois o dia será longo.

 

MULHER – Será mesmo?

 

RICHARD [Beijando o pescoço dela] Claro. Como seu patrão você já devia ter acordado e preparado meu café, Alicia.

 

ALICIA [Empurrando a cabeça dele] Você é meu patrão na empresa, aqui somos amantes. Existe diferença!

 

Ela levanta e ele veste seu calção. Alicia liga a televisão e corre para o banheiro, Richard olha para a Tevê e na mesma é transmitido o noticiário da manhã.

 

JORNALISTA – [Televisão] Neste momento uma multidão revoltada com o crime na noite passada se concentra em frente à delegacia da cidade. O delegado Carlos Mendel tenta controlar a situação em que se encontra. O motivo de tanta revolta é o assassinato de Amélia Foster, que foi encontrada morta ontem à noite em sua casa nos braços de Alec Porter, o garoto que acaba de sair de um reformatório e voltou para a cidade para seguir com sua vida. O caso já está sendo investigado e o suspeito continua em liberdade, ele acabou de sair da delegacia, acompanhado de seu advogado Mauro Ferraz, o mesmo da empresa do pai de Alec, Richard Porter. Voltaremos a qualquer momento com novas informações. 

 

Richard joga o controle na parede e grita. Alicia volta do banheiro assustada.

 

ALICIA – O que aconteceu?

 

RICHARD – Liga para o Mauro e o manda imediatamente para a empresa.

 

ALICIA [Segurando sua escova de dente] Algum problema?

 

RICHARD [Furioso] Faz o que eu mando e não questiona sua imbecil.

 

ALICIA [Amedrontada] Tudo bem!

 

Ela pega o celular e vai fazer a ligação. Richard anda de um lado ao outro.

 

RICHARD [Sussurrando] Vou acabar com o Mauro!

 

CORTA PARA:

 

CENA 05 – INT – TORMENS FALLS – APART. DE ALEC – SALA – MANHÃ.

 

Alec joga a chave sobre o sofá e Agatha e Oliver o seguem. Mauro desliga o celular e fecha a porta por último, ele demonstra nervosismo. Alec o encara e estranha.

 

ALEC[Enchendo o copo com água] Qual o seu problema?

 

MAURO[Tenso] Seu pai. Ele quer que eu vá até a empresa.

 

ALEC – Eu queria mesmo falar com você sobre isso. Porque foi me ajudar na delegacia?

 

MAURO – Porque eu… É… Quis!

 

Alec vai até Mauro e fixa seus olhos nos dele.

 

ALEC – Você mente péssimo. O meu pai nem sabe, não é?

 

MAURO – Agora acho que sabe.

 

ALEC – Porque está querendo me ajudar, Mauro?

 

MAURO – Você sofreu demais, Alec. Eu acredito que não tenha matado a garota.

 

Alec se surpreende e olha para os amigos.

 

ALEC – Acredita?

 

MAURO – Sim. Mas se você não matou a garota, significa…

 

O celular de Mauro toca e corta a fala dele. Ele olha o visor do aparelho e é uma chamada de Richard.

 

MAURO [Nervoso] Preciso ir! Até depois.

 

Mauro sai correndo. Alec olha para Agatha e Oliver.

 

ALEC – E vocês? Acham mesmo que matei a Amélia?

 

OLIVER – Eu não. Você pode ter várias características para ser culpado, mas acho que não foi você.

 

AGATHA [Olhando para Oliver] Ele estava com a garota nos braços, será que…

 

ALEC [Cortando] /… Você quer acreditar que fui eu, Agatha, mas sabe que não.

 

AGATHA – E quem foi? Só você estava com ela.

 

ALEC [Explicando] Depois que entramos no quarto, a Amélia me agarrou e me beijou. [Agatha fica desconfortável] Eu tentei pará-la e ela tirou a blusa, eu consegui levantar e disse que ia ao banheiro e quando me tranquei no mesmo e estava em frente ao espelho, a energia acabou e tudo ficou escuro, então peguei meu celular e usei a luz para guiar-me no caminho, mas ao sair ele caiu e a bateria e capa se soltaram, então chamei por ela e ela não respondeu. A luz voltou e lá estava a Amélia sobre a cama, ensanguentada e morta.

 

Agatha levanta inquieta e confusa.

 

AGATHA – Então… É como se tudo que aconteceu, fosse para você parecer culpado?

 

ALEC – É o que parece. Mas… Quem iria querer que eu me ferrasse?

 

OLIVER – Você nunca fez nada para ninguém nesta cidade. O Seu erro foi matar o seu irmão.

 

ALEC [Olhando o amigo] Viu? É muito estranho, eu não tenho inimigos que queiram ferrar com a minha vida desta maneira.

 

AGATHA – Não, Alec. Se realmente estiver dizendo a verdade, estão mesmo querendo culpar você.

 

Alec levanta e vai até Agatha e pega as mãos dela.

 

ALEC – Acredita em mim agora? Eu sempre acreditei que você sabe quem eu sou e sempre fui.

 

AGATHA [Puxando as mãos da dele] Não é bem assim. Posso até tentar, mas… Ainda é um suspeito.

 

ALEC – Eu sei. Seu pai não tem certeza que fui eu, mas não assume.

 

AGATHA – O meu pai é o delegado, ele não pode achar, só ter certeza.

 

ALEC – Vamos esquecer um pouco se sou ou não o culpado.

 

Oliver olha o relógio e levanta agitado.

 

OLIVER – Precisaremos ir. Temos que ajudar na arrumação do ginásio para a homenagem da Amélia.

 

AGATHA – Verdade. As meninas querem que eu ajude nos detalhes.

 

OLIVER – E eu nos slides.

 

ALEC – Que horas será a homenagem?

 

OLIVER – Será à noite. Você vai?

 

AGATHA – Não. Se ele for, todos vão lincha-lo.

 

ALEC – Eu não sei se vou, mas quem sabe.

 

Agatha o encara. Alec sorri e segura às mãos dos amigos.

 

ALEC – Quero que acreditem em mim, eu estou dizendo a verdade por tudo. No momento são os únicos que tenho.

 

OLIVER – Eu acredito, até que me provem o contrário.

 

AGATHA – Eu não sei. Mas… Nunca se sabe.

 

ALEC – Venham aqui hoje à noite, podemos… Assistir alguns filmes e conversar mais. Colocar os assuntos em dia já que perdi seis anos aqui, eu quero ficar atualizado.

 

OLIVER [Sorrindo] Claro, será maneiro. Eu trago a pipoca e o sorvete.

 

AGATHA [Olhando-o] Quer uma noite do pijama? Faz anos que não temos isso.

 

ALEC – Podemos ter hoje!

 

Oliver sorri e sai e Agatha o segue e Alec fecha a porta.

 

CORTA PARA:

 

CENA 06 – INT – TORMENS FALLS – EMPRESA P. – SALA PRESIDENCIAL – MANHÃ

 

Mauro abre a porta e entra um pouco tímido. Richard gira a cadeira e o encara.

 

MAURO [Tenso] B-Bom Dia, chefe!

 

RICHARD [Sério] Não vejo hoje como um bom dia.

 

MAURO – Não?

 

RICHARD – Como ousa defender o Alec hoje na delegacia? Quando eu mandei você ir?

 

MAURO – Na verdade, eu achei que…

 

RICHARD [Ríspido] Você não é pago para achar e sim para trabalhar e me obedecer.

 

MAURO – Ele é seu filho, então eu pensei que o queria livre.

 

RICHARD – Você é um imbecil, Mauro. Estragou o meu dia!

 

Ele levanta da cadeira e lentamente vai até Mauro, que treme de medo.

 

RICHARD [Apertando a gravata do advogado] Espero que essa seja a última vez que faz as coisas sem minha ordem, caso contrário, na próxima eu farei você sumir como poeira. Puff!

 

MAURO [Sufocado] Sim senhor!

 

RICHARD – Ótimo! Agora saia e pegue com a Alicia os novos contratos que você deve autenticá-los. E lembre-se, estou sempre de olho.

 

Mauro sai rápido e Richard volta para a sua mesa.

 

CORTA PARA:

 

CENA 07 – INT – TORMENS F. – HIGH SCHOOL GREENFILL – GINÁSIO – TARDE

 

No Ginásio da escola, este enorme e com as arquibancadas ao seu redor e ao centro um grande espaço livre. Agatha sobe na escada e uma garota à segura na parte inferior. Algumas outras meninas organizam as cadeiras e o mural com as fotos de Amélia e flores de alguns outros amigos.

 

AGATHA [Olhando em volta] Alguém viu o Oliver? Ele sumiu faz alguns minutos.

 

GAROTA [Olhando Agatha na escada] Eu o vi ir em direção do banheiro masculino.

 

AGATHA – Vou lá, preciso que ele me mostre o slide de abertura logo.

 

Agatha desce a escada e corre em direção do banheiro.

 

CORTA PARA:

 

CENA 08 – INT – BANHEIRO MASCULINO – HIGH SCHOOL GREENFILL – TARDE

 

Agatha empurra a porta de madeira grossa e vê Oliver aos beijos com outro garoto.

 

AGATHA – Oliver! Você para o seu trabalho para ficar de amasso com o Pietro?

 

Oliver empurra o garoto e corre fechando a porta bruscamente.

 

OLIVER [Falando baixo] Você é doida? Sabe que ninguém pode saber disso?

 

Pietro, um garoto alto, cabelos loiros e lisos que vai até os ombros, olhos verdes claros e com um corpo definido, olha para Agatha e fala vestindo a camiseta.

 

PIETRO – Fica calma, Maninha. Já íamos voltar para ajudar.

 

AGATHA – Eu sei que concordei que ia aceitar essa relação às cegas de vocês, mas precisam ter mais cuidado. E isso não é lugar e nem o momento para ficarem de saliência.

 

OLIVER – Tem razão. Fomos… Irresponsáveis!

 

PIETRO – É. Não vamos mais fazer isso.

 

OLIVER [Encarando-o] Não?

 

PIETRO – Não no colégio. E se alguém nos pegar?

 

AGATHA – Vocês deveriam assumir logo esse romance. Hoje em dia isso já é comum.

 

PIETRO – Não. Sou capitão do time de futebol e não quero ter a fama de…

 

OLIVER – Bicha? Viado? Gay?

 

PIETRO – É. Isso!

 

AGATHA[Olhando para Oliver] E você ainda fica com ele? Ele é meu irmão, mas eu não queria um cara assim.

 

PIETRO – Pega leve. Eu só tento me manter no time.

 

Oliver olha para Agatha meio cabisbaixo e a amiga o encara e sai. Oliver se olha ao espelho e se vira para sair, mas Pietro o segura.

 

PIETRO – Não concorda com isso que ela falou, não é? Sabe que gosto e te curto, mas na frente dos outros nós não podemos ter intimidades.

 

OLIVER – Claro. Eu sei! Vamos logo voltar para lá.

 

Oliver sai rapidamente e Pietro o segue.

 

CORTA PARA:

 

CENA 09 – INT – TORMENS F – HIGH SCHOOL GREENFILL – GINÁSIO – TARDE

 

Oliver volta a mexer no computador e olha os slides. Agatha olha para a entrada do Ginásio e vê Alec em pé olhando o lugar. O garoto entra e todos o encaram. Agatha corre até ele.

 

AGATHA – O que faz aqui?

 

ALEC – Estava em casa sem nada para fazer e resolvi vir.

 

AGATHA – Errou feio. Vai para casa, olha só como eles estão te olhando.

 

ALEC – Não tenho medo ou vergonha. A minha consciência está limpa.

 

O garoto que discutira com Alec na noite anterior na festa de Amélia, olhos escuros, cabelos pretos e curto ondulado, um pouco forte, aproxima-se.

 

AGATHA – Essa não!

 

ALEC – O quê?

 

GAROTO[Empurrando Alec] Matou a garota e resolveu vir zombar de todos?

 

ALEC – Ei! Eu não matei a Amélia.

 

AGATHA[Colocando-se ao meio] Raul! Não avance, o Alec ele… É…

 

RAUL – Ele o quê?

 

AGATHA[Olhando para o garoto] O Alec…

 

OLIVER[Aproximando-se] Ele não matou a Amélia. Se ele diz que não fez, não podemos culpa-lo, mesmo que ele tenha sido pego no flagra, não significa que tenha sido ele. Não tem provas o suficiente que o incriminem e a polícia está investigando tudo. Então… Você deve se controlar.

 

Oliver tenta afastar Raul, mas o garoto enfurecido ao puxar seu braço, acerta a barriga de Oliver, que na hora sente a dor. Alec olha para o amigo e avança em Raul.

 

AGATHA[Gritando] Alec, não!

 

Alec não escuta e faz Raul cair com uma rasteira. O garoto cai com as costas no chão e Alec fica em cima dele e acertando-o vários socos. Pietro tenta segurar Alec, mas o garoto fica transtornado. Raul não consegue reagir e seu rosto já está coberto por sangue. Oliver se joga sobre Alec e o segura.

 

OLIVER – Chega! Você vai mata-lo.

 

ALEC [Respirando ofegante/Furioso] Ele… Bateu em você.

 

OLIVER – Foi sem querer. Calma!

 

Raul desmaia e seu rosto está todo machucado. A garota que segurara a escada para Agatha, cabelos curtos e castanhos, olhos acinzentados, guarda o celular e Agatha percebe.

 

AGATHA[Segurando a garota] O que você fez Maya?

 

MAYA – Chamei a polícia. Esse garoto quase matou o Raul.

 

AGATHA[Preocupada] Não devia ter feito isso.

 

Alec olha para Raul e começa a perceber que o que fez foi uma grande burrada.

 

OLIVER – Você só piorou tudo.

 

Uma viatura se aproxima rapidamente e quando param, dois policiais descem.

 

ALEC – Droga!

 

Alec olha os dedos ensanguentados. Os policiais se aproximam e quando Agatha explica, Alec é pego por um deles. Oliver o observa entrar no carro e ser levado na viatura.

 

FADE OUT.

 

— FIM DO EPISÓDIO —

 

Criado e Escrito por:

Marcos Henrique

 

Supervisão Textual e Argumentos por:

Kaio Gomez.

 

Realização:

Unbroken Productions

 

Unbroken Productions Original Series

2016 – STORMY SECRETS – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.