FADE IN:

 

 

FLASHBACK (ANOS ANTES) – RISING SUN – FLORESTA – EXT – MADRUGADA

 

Um homem, aparentemente jovem, (por volta dos trinta e sete anos, cabelos castanhos e com poucos fios levemente grisalhos, olhos verdes claros, uma grande capa preta), anda rapidamente em meio à floresta totalmente escura, apenas uma leve luz ilumina um espaço em sua frente.

 

Ao se aproximar mais, pode-se ver claramente um enorme círculo de fogo e ao meio dele, um pentagrama (Uma estrela de cinco pontas desenhada ao chão) e ao centro um caldeirão, com uma forma oval e feito de um metal prateado. O homem passa pelas chamas do círculo e nada o acontece, uma mulher se aproxima e entrega-o um pequeno saco de couro.

 

MULHER [Sem encará-lo]: Aqui está, Salazar.Tudo o que me pediu está dentro deste saco.

 

SALAZAR: Muito bem, Annabelle. Você foi útil durante todo esse tempo e jamais poderei questionar sua lealdade.

 

ANNABELLE [Abaixando a cabeça]: Obrigada, Senhor.

 

Salazar olha para a mulher e levanta o rosto dela, fazendo-a encará-lo.

 

SALAZAR: Lembre-se que todo o sacrifício que eu faço é para um bem maior.

 

ANNABELLE: O que deseja dizer com isso?

 

SALAZAR: Cuide-se do outro lado.

 

Ele abre as mãos e do peito de Annabelle algo pula. Seu coração está nas mãos do bruxo e a mulher cai morta.

 

SALAZAR [Irônico]: Era uma boa mulher.

 

Ele caminha até o caldeirão e espreme o coração dentro, fazendo o sangue se misturar aos demais. Ele pega a sacola e joga algumas cinzas dentro do objeto.

 

SALAZAR [Olhando o líquido]: Só mais alguns minutos.

 

O círculo de fogo cresce ainda mais e Salazar se surpreende com Dorothea, Ian, Clovis, Meredith e Louise, (todos os anciões mais jovens), ao seu redor.

 

SALAZAR [Sorrindo]: Esperava por vocês.

 

DOROTHEA [Gritando]: Acabou, Salazar. Pare com isso e se permita viver na legalidade e na ordem de nosso Coven.

 

LOUISE: Como se ele fosse mesmo se permitir.

 

Salazar gargalha e faz as chamas do circulo de fogo diminuir.

 

SALAZAR: Cinco garotos brincando com o poder de anciões. Não sejam tolos, nenhum de vocês é páreo para mim e já sabem qual é o final disso.

 

MEREDITH: O que ele quer dizer com isso?

 

DOROTHEA: Ele sabe que vamos detê-lo, mas deve ter planejado algo.

 

CLOVIS: Então menos falatório e mais ação?

 

DOROTHEA: Deem as mãos e conjurem o feitiço que criamos.

 

IAN [Apreensivo]: Precisa mesmo dar certo.

 

Os anciões se olham e em seguida fixam os olhos e erguem as mãos na direção de Salazar. O bruxo percebe e volta rapidamente para o caldeirão e olha o sangue dentro dele borbulhar.

 

SALAZAR [Apressado]: Vamos!

 

O líquido começa a escurecer e ficar totalmente negro. Salazar pega uma adaga e corta a palma de sua mão, fazendo seu sangue pingar sete vezes dentro do caldeirão, o que faz o líquido borbulhar ainda mais.

 

SALAZAR [Conjurando]: “SANCTE FORTIS, VATICINARE AD ME”.

 

Do caldeirão uma grande névoa negra se forma e cresce para cima, formando uma forte bola escura e em segundos a mesma explode e espalha uma forte magia na cidade. Os anciões são jogados ao chão e Salazar continua em pé e olhando fixo para o céu.

 

DOROTHEA [Ordenando]: Levantem! Precisamos continuar.

 

MEREDITH: O que ele fez?

 

LOUISE: Isso é magia das trevas. Acho que ele conjurou uma profecia.

 

Salazar se aproxima deles.

 

SALAZAR [Sorrindo]: Isso mesmo! Conjurei minha própria profecia e tenho certeza que não falhará.

 

DOROTHEA: E o que profetizou?

 

SALAZAR: Em anos, uma descendente dos Brooks será a maior bruxa de todas, ela carregará o fardo de me trazer de volta e todos vão temer ao poder que ela carregará. Será filha de dois puros bruxos e ao nascer tomará todo o poder da família.

 

CLOVIS: Nós não permitiremos o nascimento dessa bruxa, é simples.

 

SALAZAR: Tão ingênuos para se considerarem anciões. Eu não iria deixar essa informação passar, não é. Com os poderes que tomei de sete clãs, pude adicionar na profecia a dádiva para que essa garota nasça com o equilíbrio dentro de si.

 

MEREDITH: Mas isso é uma blasfêmia contra a natureza.

 

SALAZAR: Esse é o problema de bruxas e bruxos como vocês, pensam pequenos e sempre pensam em razão com a natureza.

 

DOROTHEA: Chega! Você foi longe demais com essa palhaçada.

 

Dorothea fecha os olhos e abre seus braços para o alto, os outros quatro anciões ficam observando-a e ela canaliza a magia deles.

 

DOROTHEA [Conjurando]“SANCTE FORTIS, NATURALIS MALEDICTIONE HAC ANIMA”.

 

No céu escuro, as nuvens se formam sobre a cabeça deles. A lua desaparece sobre as nuvens e o vento gira em torno de todos. Salazar olha para a floresta e as árvores balançam com a força do vento e as folhas secas são arrastadas juntamente com punhados terra.

 

DOROTHEA [Olhando o Bruxo]: Não parece surpreso.

 

SALAZAR [Sorrindo]: Eu sabia que faria isso, por isso conjurei a profecia.

 

DOROTHEA: Você pagará pelo que fez, mas não deste lado, não neste mundo.

 

SALAZAR [Sério]: Vou aguardar a hora que a profecia se cumprir, e aí Dorothea, veremos qual preço vocês pagarão.

 

O vento aumenta ainda mais e os anciões se seguram ao tronco das árvores. Salazar abre os braços e de repente, em segundos, no céu em meio às nuvens algo parece sugar seu espirito e seu corpo cai inconsciente. O círculo de fogo se desfaz, o pentagrama é coberto pela terra e o caldeirão virara pó com a explosão da profecia.

 

MEREDITH [Tensa]: Será que deu certo?

 

Ian corre até o corpo inconsciente de Salazar e sente a pulsação dele.

 

IAN: Parece morto.

 

DOROTHEA: O corpo sim, o espirito não.

 

CLOVIS: O que faremos agora?

 

DOROTHEA: Irei esconder o corpo e apenas eu saberei onde encontra-lo.

 

Os outros quatros anciões olham para ela e não questionam a decisão tomada.

 

[FIM DO FLASHBACK]

 

 

CORTA PARA:

 

CENA 02 – EXT – RISING SUN – FLORESTA/CACHOEIRA – MANHÃ

 

O dia está claro e com um clima agradável. As copas das árvores balançam com a leve brisa fresca, o lago está calmo e suas águas cristalinas. À margem do lago está estendida ao chão uma grande toalha vermelha e branca, com comidas e bebidas, ao lado, Ava está em uma posição de meditação, os olhos fechados, os cabelos presos em um rabo de cavalo e vestindo um biquíni.

 

Jack se aproxima lentamente, ele está apenas com um calção de banho e segurando uma sacola plástica.

 

AVA [Impaciente]: Isso não está funcionando.

 

JACK: Porque você não se concentra.

 

Ela levanta e vai até o lago, onde joga água em seu rosto.

 

JACK: Você precisa ter controle e aí sim os seus poderes voltarão.

 

AVA: Não sei não. Isso está me deixando irritada, uma hora sou uma bruxa forte e capaz, agora uma bruxa sem poderes. Estou igual ao Charlie.

 

Jack olha para as duas barracas próximas a ele e de uma delas, Elena surge ainda de olhos fechados.

 

JACK: O que ela tem?

 

AVA: Não sei. Tudo bem, Elena?

 

ELENA [Caminhando]: Sim. Só preciso de um tempo e com certeza acordarei…

 

Ela cai dentro do lago. Ava corre para ajuda-la e Jack não segura sua risada. Das outras duas barracas que estão do lado oposto às duas anteriores, Gina, David, Lindsay e Dylan saem assustados.

 

LINDSAY: O que aconteceu?

 

AVA [Segurando à amiga]: A Elena caiu no lago.

 

GINA: Só podia.

 

Eles se sentam ao redor da grande toalha e tomam café.

 

DAVID: Amanhã voltamos às aulas e você ainda não recuperou seus poderes, Ava.

 

GINA: Isso está preocupante. Duas semanas se passaram desde a volta do… [Pausa] Vocês sabem.

 

AVA: Eu sei. Acham que gosto de ficar sem meus poderes? Eu me sinto diferente, como se estivesse vazia.

 

Elena se senta ao lado dos outros.

 

ELENA: Eu não penso assim, sei que a Ava é bruxa e por mim tudo bem, mas… Depois que ela conheceu vocês e descobriu esses poderes, parece que a vida dela se transformou em um inferno.

 

Todos ficam em silêncio e olham para Elena.

 

GINA: Está dizendo que nós temos culpa por tudo? Que se não fosse nós a Ava estaria livre disso?

 

ELENA: Não foi bem isso.

 

GINA [Cruzando os braços]: Não? Explique.

 

ELENA: Eu só quis dizer que…

 

GINA: Se você acha que ela estaria livre disso se não nos conhecesse está totalmente enganada. Na verdade, tudo que acontece nesta cidade é por culpa dela. A Ava foi quem transformou tudo em um grande campo de batalha.

 

Ava olha para Gina.

 

AVA: Acha isso mesmo? Que eu deveria nunca ter aparecido?

 

GINA: É. Acho.

 

LINDSAY [Incrédula]: Gina!

 

AVA [Irritada]: É incrível como você torna tudo uma briga, Gina. Você é irritante e totalmente infeliz consigo mesma e sempre ataca o outro a quem faz você parecer patética e menosprezada.

 

Gina avança, mas David a segura. Os sete se olham.

 

JACK: Acho que já deu.

 

DAVID: Falou o certinho.

 

JACK: O quê?

 

DAVID: Você sempre quer bancar de correto, não é, Jack?

 

JACK: Não. Você é quem sempre age como o líder e chefe desta liga.

 

DAVID: Sou o mais esperto e procurei saber mais sobre magia, ao invés de só esperar que façam.

 

JACK: Você é só um idiota.

 

David e Jack se encaram. Lindsay e Dylan se olham confusos.

 

DYLAN: Eles não parecem bem.

 

LINDSAY [Desconfiada]: Espera!

 

Lindsay se aproxima de Gina e olha as pupilas dela dilatadas e ao redor do globo ocular uma cor escura.

 

DYLAN: O que foi?

 

Lindsay confere um por um.

 

LINDSAY: Estão enfeitiçados.

 

DYLAN: O quê? Por quem?

 

Lindsay fecha os olhos e respira fundo, segundos depois, ela levanta.

 

LINDSAY [Falando alto]: Deveriam ser mais cuidadosos.

 

Phoebe, Daiane, Carl e Pablo saem dos arbustos abaixo das árvores e se aproximam.

 

PHOEBE [Sorrindo]: Vocês são tão fáceis de manipular.

 

CARL: E ainda se dizem amigos.

 

Os outros despertam. Gina olha para Ava e para os outros.

 

GINA: Isso que aconteceu foi…

 

PABLO: Exato! Fomos nós, o Salazar nos ensinou novos feitiços e esse eu considero bem especial, podemos enfeitiçar e a pessoa pode expor o lado mais obscuro dentro de si.

 

JACK: Seu desgraçado!

 

Jack se levanta, mas David o segura.

 

DAVID: Não faça com que eles consigam o que querem.

 

JACK [Irritado]: Me larga!

 

Jack se afasta. Phoebe olha para Ava.

 

PHOEBE [Debochada]: Está quieta, Ava. Não quer ser atrevida já que agora perdeu seus poderes, não é?

 

AVA: O que vocês querem?

 

DAIANE: Viemos…

 

PHOEBE [Ríspida]: Cala a boca, imbecil.

 

DYLAN: Escondem algo, não é.

 

PHOEBE: Fomos mandados aqui, pois o Salazar quer conversar com você.

 

Ela aponta para Ava.

 

AVA: Conversar?

 

PABLO: Isso. Ele quer… Tratar algo de família para família.

 

AVA: Aquele monstro não é nada meu.

 

PHOEBE: Você quem sabe.

 

Eles se viram.

 

AVA: Espera! Só isso? Vocês chegam aqui e falam apenas que ele quer me encontrar.

 

PHOEBE: Ele só nos mandou fazer isso, mas você se negou.

 

JACK: E o que ele vai fazer, já que ela não vai?

 

Phoebe olha para cada um e por último para Ava.

 

PHOEBE: Deviam se preparar, pois as coisas vão ficar perigosas por aqui.

 

Phoebe e os amigos desaparecem em uma nuvem negra que se afasta.

 

GINA: Acha que ela falou sério?

 

AVA: Eu não sei.

 

ELENA: Só escutem e se preparem.

 

Todos olham para Elena e a garota vai arrumar suas coisas. Jack e Ava se abraçam.

 

AVA: Estou ficando preocupada.

 

JACK: Não fique. Somos amigos, apesar de tudo e juntos nós somos fortes.

 

Ele a beija.

 

FUSÃO PARA:

 

CENA 03 – INT – RISING SUN – RESID. SILVÉRIO – QUARTO (HOSP.) – MANHÃ.

 

Ashley ENTRA ao quarto e fecha à porta, ela tira a peruca de cabelos pretos e suas lentes de contato da cor castanho.

 

James abre a porta e ela o encara.

 

JAMES: Está se desmontando, Nádia Parks?

 

ASHLEY: Sem piadas, James. Sabe que só precisa me chamar assim na frente dos outros.

 

JAMES: Deveria se revelar logo para a sua filha. Fica fingindo ser essa pessoa só para esconder que você é a Ashley, o que pode…/

 

ASHLEY [Cortando a fala dele]: Já falei que eu quero fazer isso. A Ava não vai me perdoar se souber que estou viva e a abandonei, primeiro quero fazer contatos com ela, quero ser amiga dela e quero que ela confie em mim.

 

JAMES: Você quem sabe. Mas conseguiu o que queria fazer?

 

ASHLEY: Sim. Agora sou professora substituta do colégio, lá poderei sempre ficar perto da Ava e dos outros.

 

JAMES: Eu só fico preocupado se ela descobrir antes e isso acabar deixando ela ainda mais chateada.

 

ASHLEY: Tentarei ser cuidadosa. Funciona com o Jack, não é? Ele acha que sou a sua amiga de Nova Orleans que veio para trabalhar e você me convidou para ficar na sua casa. Ela entenderá.

 

Ela se vira e ele abre o zíper do vestido dela. James olha o corpo de Ashley e fica sério.

 

JAMES: Você continua linda, sempre foi.

 

ASHLEY : Para com isso. Somos apenas amigos.

 

JAMES [Sem graça]: Eu sei.

 

Ela abre o guarda roupa e puxa uma calça e uma blusa. Ashley joga as roupas sobre a cama e procura sua sandália ao lado do guarda roupa, James fica surpreso.

 

JAMES [Olhando a cama]: Ashley?

 

ASHLEY: O quê?

 

JAMES: Você quem está fazendo isso?

 

ASHLEY: Fazendo o quê?

 

Ela olha para a cama e suas roupas estão flutuando. Ashley fica surpresa e se aproxima lentamente das roupas e quando as toca, elas caem.

 

ASHLEY: Meu Deus!

 

JAMES: Achei que seus poderes estavam com a Ava.

 

ASHLEY [Olhando as mãos]: E estavam.

 

JAMES: E como fez isso?

 

ASHLEY: Eu não sei.

 

CORTA PARA:

 

CENA 04 – INT – RISING SUN – RESID. BROOKS – QUARTO (MOLLY) – MANHÃ

 

A porta do quarto está entreaberta, na cama de casal está Molly e Charlie pelados, ofegantes e suados. Pelo chão estão as roupas de ambos, espalhadas.

 

CHARLIE: Nossa! Mesmo grávida você parece ter bastante fôlego.

 

MOLLY: Nem tanto, mas queria que nossa noite terminasse ótima.

 

CHARLIE: E gostou?

 

MOLLY [Sorrindo]: Com toda certeza.

 

CHARLIE: Ainda bem.

 

MOLLY: Charlie, nós estamos tendo alguma coisa séria? Durante essas duas semanas de calmaria, nós pudemos nos aproveitar e…/

 

CHARLIE [Cortando-a]: Molly. [Pausa] Acho melhor deixar tudo como está. Não sou uma pessoa que você queira como namorado ou outra coisa, eu sou um homem…/

 

MOLLY [Completando]: Diferente agora. Você está tentando mudar, você quer ser um bom pai para o nosso filho e eu sei que dentro de você existe uma boa pessoa que só precisa receber coisas boas para poder retribuir.

 

Ele olha para ela.

 

CHARLIE: Eu sou um homem complicado, meu passado sempre vai interferir em meu presente.

 

MOLLY: Uma vez você me pediu perdão pelo que aconteceu no passado. O Michael te desculpou e eu sei que a Ashley também, mas a verdade é que você é quem precisa se perdoar. O que fez foi terrível e maldoso, mas passou e agora você deve seguir sem ter que se lembrar do que fez, está marcado eu sei, mas de qualquer forma você tem que seguir.

 

CHARLIE: Viu? Isso só confirma o que eu penso. Você é boa demais para mim.

 

MOLLY: E eu sei que no fundo você também é bom.

 

Ela e Charlie se beijam, quando escuta alguém subir a escada.

 

MOLLY [Tensa]: Será a Ava?

 

CHARLIE: Vou fechar a porta.

 

MOLLY: Não, você está nu.

 

CHARLIE: Você também.

 

MOLLY [Olhando a porta]: Se tivéssemos…

 

A porta se mexe sozinha e eles se assustam. A tranca se move e Charlie olha para Molly.

 

CHARLIE: Quem fez isso?

 

MOLLY: Eu não sei, mas… Eu pensei em magia e ela… Fechou.

 

CHARLIE: Seus poderes voltaram?

 

MOLLY: Como? Estavam tomados pela Ava e mesmo assim se fossem libertados voltariam para os anciões.

 

CHARLIE: Você fechou a porta com magia, como fez isso?

 

MOLLY: Eu não sei, já disse.

 

Ele levanta e veste sua cueca e depois a calça.

 

MOLLY

O que foi?

 

CHARLIE: Vou até a sede dos anciões, descobrir sobre isso.

 

MOLLY: Meu Deus! Porque sempre tem que fazer isso? Acabar com tudo e tornar o clima chato e tenso.

 

Charlie coloca a camisa e olha para ela.

 

CHARLIE: Porque esse sou eu. Volto depois e conversamos.

 

Ele abre a porta e SAI, Molly olha para as mãos.

 

CORTA PARA:

 

 

CENA 05 – INT – RISING SUN – RESID. BROOKS – QUARTO (AVA) – MANHÃ

 

Ava deixa a bolsa sobre a cama e Elena se olha ao espelho.

 

ELENA: Três dias na floresta me deixou pálida.

 

Ava fica em silêncio e séria.

 

ELENA [Olhando para a amiga]: Algum problema, Ava?

 

AVA [Cabisbaixa]: Não sei. Fiquei pensando na briga no lago.

 

ELENA: Aquilo foi feitiço da Phoebe e dos outros.

 

AVA: Não Elena, aquilo foi o que nós pensamos sobre o outro, mas que não temos coragem de falar. Você realmente não acha que se eles não tivessem aparecido, eu estaria livre disso?

 

Elena vai até ela e se senta ao seu lado.

 

ELENA: Sinceramente, acho. Mas… Não quis colocar daquela forma. Eu acho que o passado da sua família é quem faz o agora ser uma grande confusão.

 

AVA: Como assim?

 

ELENA: Veja bem, teve o lance com o Salazar que fez a profecia e tudo mais para que você o trouxesse de volta. Sua mãe morreu ao nascer, você tomou todos os poderes da família e tudo que acontece nesta cidade gira em torno disso, de você e de todos os Brooks.

 

AVA: Acha que a minha família é quem é culpada pelo que acontece?

 

ELENA: Você tem dúvidas?

 

Ava abraça a amiga.

 

AVA: Tenho medo do que possa acontecer.

 

ELENA: Medo é algo que vai nos assolar por um bom tempo.

 

AVA: Falou igual ao Jack uma vez.

 

ELENA: Precisa ser forte e enfrentar o que vem por aí.

 

AVA: Mas o problema do Salazar não devia ser comigo e sim com os anciões, eles é quem o impediu.

 

ELENA: A história sempre tem dois lados.

 

CORTA PARA:

 

CENA 06 – INT – RISING SUN – RESID. LANCASTER – SALA – QUASE TARDE

 

Dylan abre a porta e carrega as suas coisas e as de Lindsay e ao ENTRAR em casa percebem vários papeis ensanguentados espalhados pelo chão.

 

A sala é grande e espaçosa, tem dois sofás ao meio e duas poltronas de cor vinho em cada lado próximas a janela e um grande tapete em frente à lareira. Lindsay olha para a sua mãe, cabelos bagunçados, olhos fundos e bastante pálida deitada na poltrona.

 

LINDSAY [Preocupada]: O que aconteceu aqui, Mãe?

 

LEONOR: Eu passei mal. Comecei a tossir, fiquei tonta e acabei vomitando sangue.

 

LINDSAY: Não pode ser. Já foi ao médico?

 

LEONOR: Ainda não. Eu não me levanto daqui faz horas e isso aconteceu ontem à noite.

 

LINDSAY: Precisamos chamar um médico.

 

LEONOR: Tenho o número do doutor Alfonso em minha carteira, ele é médico do hospital da cidade e um grande amigo, ligue e chame-o.

 

Lindsay corre até o corredor e pega a carteira da mãe dentro da bolsa dela. Dylan vai até ela e percebe Lindsay bastante trêmula.

 

DYLAN: Fica calma, vamos dar um jeito.

 

LINDSAY [Ríspida]: Não! Você sabe muito bem que tudo isso é minha culpa e os meninos tinham razão quando disseram sobre o equilíbrio.

 

DYLAN: Não devia ter feito o que fez. Não devia ter me trazido de volta naquela noite, pois agora a culpa cairá sobre mim.

 

LINDSAY [Olhando para ele]: Não me arrependo do que fiz. Eu te amo e não ia permitir que você morresse, não pelas mãos daquele animal que é o Louis.

 

DYLAN: Também te amo, mas a sua mãe hoje está assim por conta de tudo que aconteceu e eu não me perdoarei se ela se for.

 

LINDSAY: Não. Ela não vai morrer e a culpa não é sua. Para!

 

DYLAN [Irritado]: É sim.

 

Ele fecha as mãos apartando-as e as luzes piscam. A mesinha onde está à bolsa treme e Lindsay fica surpresa.

 

LINDSAY: Como isso aconteceu?

 

DYLAN: Não foi você?

 

LINDSAY [Olhando o garoto]: Não. [Pausa] Dylan seus poderes voltaram?

 

DYLAN: Não. Eu… Não sei. Como?

 

Ela pega o cartão do doutor e liga.

 

LINDSAY: Falamos disso depois.

 

Ela se afasta e alguém atende a ligação. Dylan olha as mãos e fica espantado.

 

CORTA PARA:

 

CENA 07 – INT – RISING SUN – SEDE DOS ANCIÕES – SALA – TARDE

 

A porta da sede é aberta bruscamente e Charlie ENTRA com uma expressão de raiva. Dorothea olha para ele surpresa e Ian e Clovis se levantam.

 

DOROTHEA: Bater antes de entrar seria bem agradável.

 

CHARLIE: Como a Molly recebeu os poderes de volta se fomos julgados igualmente.

 

MEREDITH: Do que está falando?

 

IAN: Os poderes da Molly não poderiam voltar para ela, já que…/

 

DOROTHEA: Espera! A Molly usou magia?

 

CHARLIE: Sim.

 

CLOVIS: O que acha que isso significa Dora?

 

Dorothea se senta.

 

DOROTHEA: Que a magia dos Brooks está com eles, pelo menos os que ainda vivem.

 

MEREDITH: E é possível?

 

DOROTHEA: Sim. A profecia já aconteceu, os poderes tomados foram para a Ava ficar mais forte, assim como ela ter sugado os poderes da liga dela.

 

CHARLIE: E quanto a mim? Quero os meus poderes se a Molly ficar com os dela. Que sejam justos, ao menos.

 

CLOVIS: Você é mesmo um imbecil, Charlie. Quando tomamos os poderes de um bruxo, ele nunca mais pode recuperá-los facilmente, tiramos o seu permanentemente, significa que você não pode mais tê-los.

 

CHARLIE [Surpreso]: O quê? E como a Molly obteve os dela?

 

IAN: Porque nós nunca os tomamos. Quando fizeram o crime e quebraram a liga deles, a Ashley já estava grávida, a Ava já estava tomando os poderes da família e quando fomos atrás da Molly, eles já tinham sido tomados.

 

Charlie fica decepcionado.

 

CHARLIE: Então eu deixei mesmo de ser um bruxo e virei um…

 

DOROTHEA: Sinto muito, mas você é apenas um homem comum agora.

 

CHARLIE [Furioso]: Não. Ainda posso canalizar magia de outros, posso usar magia negra.

 

DOROTHEA: Pode sim, mas não vai. Magia negra é perigo, traz morte e problemas e agora que será pai…/

 

CHARLIE: Veremos o quanto poderei fazer.

 

Ele sai e bate a porta com força.

 

CLOVIS: Será que ele falou sério?

 

DOROTHEA: Charlie Johnson é um homem ambicioso, ele vai tentar de tudo para recuperar seus poderes. Fiquem de olhos caso ele faça algo que prejudique os clãs.

 

CORTA PARA:

 

CENA 08 – INT – RISING SUN – CASA ABANDONADA – FIM DE TARDE

 

A casa por fora é bastante desgastada e velha, a sujeira consome grande parte do lugar. Em frente a ela está Louise e ao seu lado está Salazar.

 

LOUISE: Gostou do lugar?

 

SALAZAR: Fica distante da cidade e parece que ninguém nos incomodará.

 

LOUISE: Essa casa é minha, mas como fui embora deste lugar não a vendi.

 

SALAZAR: Você me surpreendeu Louise. Fez tudo como combinamos no passado e nunca pensou em me abandonar.

 

Ela se aproxima dele.

 

LOUISE: Quando eu faço uma promessa, eu a cumpro.

 

SALAZAR [Sorrindo]: Eu sei e gosto disso em você.

 

LOUISE: Não quer entrar e ver como é dentro?

 

SALAZAR: Só mais alguns minutos.

 

O sol começa a desaparecer e o céu começa a escurecer.

 

LOUISE: Esperando o por do sol?

 

SALAZAR: Não, dando boas vindas à noite. Escuridão combina mais comigo.

 

LOUISE: Combina mesmo.

 

Salazar ergue as mãos e ao mesmo tempo as raízes e as plantas vão se movendo, crescendo e se enroscando nas paredes velhas da casa, cobrindo basicamente tudo.

 

SALAZAR: Quero que achem que ninguém vive aqui.

 

LOUISE: Achei bacana. Podemos entrar agora?

 

Ele olha para as mãos e as mesmas parecem secas e feridas.

 

LOUISE [Preocupada]: Tudo bem?

 

SALAZAR [Incomodado]: Não gosto que se preocupem comigo ou tenham pena. Sabemos que isso pode ser revertido.

 

LOUISE: E vamos conseguir.

 

SALAZAR: Descobri um novo jeito que pode me ajudar a me manter vivo.

 

LOUISE: Como?

 

Ele levanta as mãos em direção ao céu e uma forte mancha preta se aproxima e voa sobre eles. Louise olha assustada, quando algo vem e pousa na mão dele. Um corvo, ave toda preta e com um bico médio e pontudo.

 

SALAZAR: Não são lindos?

 

LOUISE: Corvos? São pássaros medonhos, são…

 

SALAZAR: Sim. Considerados para nós como um presságio e blábláblá.

 

LOUISE: O que pretende fazer?

 

Salazar aproxima sua boca e sussurra algo para a ave. O corvo bate asas e volta para junto dos outros, vários e mais vários corvos voam ao céu e agora seguem o que pousara na mão do bruxo.

 

LOUISE: E agora?

 

SALAZAR: Agora…. Voltemos ao que interessa. A casa!

 

Eles caminham até a porta de entrada.

 

CORTA PARA:

 

CENA 09 – EXT – RISING SUN – RESID. BROOKS – JARDIM – NOITE

 

No jardim em meios às flores e árvores, uma grande mesa está posta. Pratos e talheres, copos e lenços, comidas e bebidas e ao redor da mesa estão, Molly, os anciões, Ava, Jack, Elena, David, Gina e Charlie.

 

MOLLY [Sorridente]: Agradeço terem vindo para o jantar, hoje é uma data especial, é a data em que eu comemoro um mês de gravidez e para mim isso é um momento divino, pois eu sempre quis um filho e estou tendo a oportunidade de gerar uma vida, pode ser tosco e bobo, eu sei, mas é que eu precisava fazer isso, eu senti a necessidade de comemorar esta data especial, então… Bom apetite a todos e estou extremamente feliz, de verdade.

 

Eles aplaudem.

 

CHARLIE [Incomodado]: É jantar ou aniversário? Pra quê os aplausos?

 

AVA: Fica quieto e come Charlie.

 

Molly olha para ele bastante séria.

 

ELENA: A Lindsay e o Dylan não vão vim?

 

DAVID: A mãe da Lindsay teve que ser medicada e parece estar bem ruim, ela ficou cuidando dela.

 

DOROTHEA: A Leonor está doente?

 

DAVID: Parece que sim.

 

GINA: Será que isso tem ligação com o que você e o Jack falaram?

 

David olha para Gina e Dorothea estranha.

 

DOROTHEA: Ligação com o quê?

 

JACK: A Lindsay trouxe o Dylan de volta, depois que o Louis os atacou e ele acabou morrendo sufocado.

 

Os anciões se olham.

 

IAN: Ela o trouxe do outro lado?

 

DAVID [Encarando o amigo]: Bom trabalho, Jack.

 

JACK: Precisavam saber.

 

DOROTHEA: Isso é perigoso e se falam sobre o equilíbrio da balança e da morte, estão corretos em suspeitar que a Leonor possa estar sofrendo por causa disso.

 

GINA: Espero que ela fique bem logo, a Lindsay sofreria demais se perdesse a mãe.

 

AVA: Vamos pedir a Deus que ela fique bem.

 

Molly olha para a lateral do jardim e percebe James e Ashley (disfarçada de Nádia).

 

MOLLY: James! Bem vindos, sentem-se.

 

James e Ashley andam até a mesa. Molly olha para Ashley/Nádia e estende a mão.

 

MOLLY: Sou a Molly, um prazer recebe-la.

 

Ashley aperta a mão dela bastante emocionada.

 

MOLLY: Tudo bem com você?

 

ASHLEY/NÁDIA [Tensa]: Sim. Sou a As… Nádia Parks.

 

Ela olha para todos, mas quando percebe Ava ao lado de Jack parece que vai desmaiar. James segura a mulher disfarçadamente e sussurra algo em seu ouvido.

 

JAMES: Tudo bem?

 

ASHLEY/NÁDIA: Sim. Eu só tive um choque.

 

Eles se sentam. Uma pena preta cai no prato de Elena e ela pega bastante confusa.

 

ELENA: Olha o que caiu no meu prato.

 

Ava olha.

 

AVA: Uma pena preta.

 

ELENA: Isso é estranho.

 

AVA: Por quê?

 

ELENA: Não sei. Eu só me arrepiei.

 

Elena olha para o céu e percebe a grande mancha escura e um barulho ao longe.

 

ELENA: Aquilo é uma nuvem carregada com chuva ou…

 

AVA [Olhando o céu]: Não parece ser uma nuvem.

 

Todos olham.

 

CLOVIS: E não é.

 

DOROTHEA: Parecem ser…

 

MEREDITH [Gritando]: Corvos!

 

Os pássaros voam em disparadas em direção deles e todos levantam para correr, mas as aves são rápidas e atacam usando os bicos e as garras na pele de todos.

 

IAN: Vou levar a Molly para dentro, nos dê cobertura Clovis.

 

Ele segura Molly e Clovis os protege usando magia. Elena se abaixa e fica sob a mesa e protegida, David e Gina fazem o mesmo e Jack puxa Ava, mas a garota fica presa e cai da cadeira, Jack tenta ser rápido, mas os corvos são mais e vários atacam e ferem a garota que aos poucos fica inconsciente.

 

FADE OUT

 

–FIM DO EPISÓDIO–

Criado e Escrito por:

MARCOS H.

 

Produzido por:

UNBROKEN PRODUCTIONS.

 

Unbroken Productions Original Séries.

2016 – Story Of Witches – Segunda Temporada – Todos os direitos Reservados.