FADE IN:

 

 

CENA 01 – INT – RISING SUN – RESIDÊNCIA BROOKS – QUARTO (AVA) – MANHÃ

 

O quarto está escuro, as cortinas fechadas impedindo a entrada do sol. Ao centro está a cama de casal e Ava deitada sobre ela. Molly ENTRA e puxa as cortinas, permitindo a luz solar entrar.

 

MOLL [Olhando a sobrinha]: Está se sentindo melhor, querida?

 

AVA [Sentando-se]: Depois dessa madrugada infernal, sim.

 

MOLLY: Ainda bem que não aconteceu nada grave com você.

 

AVA: Só alguns ferimentos, mas os anciões já curaram.

 

MOLLY: Foi tão estranho ontem à noite.

 

AVA: Eu fiquei pensando… Será que o Salazar quem causou aquilo?

 

Molly apanha algumas roupas jogadas ao chão.

 

MOLLY: Pode ser que sim e que não.

 

AVA: Mas se foi, o que ele quer comigo? Eu não fiz nada para ele, na verdade, fiz o que ele profetizou há anos. Eu não deveria ser o alvo dele, não é?

 

MOLLY [Tensa]: Não pense sobre isso, Ava. As coisas vão acontecendo e nós vamos entendendo aos poucos.

 

A porta do quarto é aberta, Jack, David e Gina ENTRAM.

 

JACK: Bom dia!

 

GINA: Nem parece que os corvos te arranharam. Sua pele está bem limpa.

 

AVA: Magia é tudo, não?

 

DAVID: Não vai levantar hoje?

 

AVA [Levantando-se]: Vou sim.

 

Jack vai até ela e a beija.

 

JACK: Estamos te esperando lá embaixo.

 

AVA: Ok. Vocês viram a Elena?

 

DAVID: Não.

 

GINA: Ela sumiu depois que você foi curada.

 

Ava olha o celular.

 

AVA: Espero que ela esteja bem.

 

MOLLY: Deve estar. Agora vai se trocar que eles vão tomar café, vamos!

 

Molly empurra todos para fora e Ava vai ao banheiro.

 

CORTA PARA:

 

 

CENA 02 – INT – RISING SUN – CASA ESCONDIDA – SALA – MANHÃ

 

A casa é bastante gasta por dentro. As paredes estão cobertas por teias de aranhas e sujeiras, o piso empoeirado e alguns moveis destruídos.

 

PHOEBE: Que lugar terrível.

 

PABLO: Como vamos ficar aqui?

 

LOUISE: Querem mordomias? Vão para as casas de vocês.

 

Daiane pisa em algumas baratas.

 

DAIANE: Ao menos uma faxina seria agradável.

 

Salazar surge no topo da escada e lentamente desce os degraus.

 

SALAZAR: Isso é apenas luxuria de vocês. Eu achei o lugar bem… Aconchegante.

 

CARL [Sussurrando]: Claro que ele ia gostar, é velho igual o lugar.

 

SALAZAR: Disse alguma coisa?

 

CARL [Tenso]: Que… Vamos aturar o lugar por respeito ao senhor.

 

SALAZAR: Ótimo!

 

Louise carrega uma cuia dourada até ele com um líquido vermelho dentro.

 

LOUISE: Os corvos trouxeram o que pediu. Tomei a liberdade em preparar para você.

 

SALAZAR [Pegando a cuia]: Como sempre as aves são mais uteis que vocês.

 

Ele fecha os olhos e mexe com a mão o líquido e o toma de uma vez.

Phoebe e os outros fazem cara de nojo.

 

SALAZAR [Olhando as mãos]: É o que me ajuda a manter o meu corpo.

 

As mãos dele se curam.

 

LOUISE: Essa situação precisa mudar. Se o seu corpo for desintegrado como pode acontecer, jamais conseguirá chegar ao seu objetivo final.

 

SALAZAR: Estou cuidando disso. Ainda hoje vou descobrir um meio crucial de me manter vivo.

 

Ele olha para os jovens.

 

PHOEBE: O que nós vamos fazer hoje?

 

SALAZAR: Não preciso de vocês por hoje, mas qualquer movimentação eu desejo saber.

 

PHOEBE: É claro.

 

Ele olha para os quatros e os adolescentes desaparecem em uma nuvem escura.

 

SALAZAR [Olhando para Louise]: Farei uma visitinha aos anciões.

 

CORTA PARA:

 

CENA 03 – INT – RISING SUN – RESIDÊNCIA LANCASTER – QUARTO – MANHÃ

 

A porta do quarto de Leonor está encostada e Dylan escuta gemidos, ele corre e ENTRA. Leonor está sangrando pela boca, nariz, olhos e ouvidos.

 

DYLAN [Segurando-a]: Meu Deus!

 

LEONOR [Esforçando-se]: Tenha… Calma! Quero que me ouça…

 

DYLAN: Não. Por favor, fique quieta. Eu vou ligar para…

 

LEONOR [Cortando a fala dele]: Não tenho mais tempo. Só diga a Lindsay que eu a amo e que… [Tosse].

 

DYLAN: Não! A senhora não pode…

 

LEONOR: Prometa-me que jamais deixará a Lindsay? Prometa-me que cuidará dela por toda a sua vida? Por favor, Dylan. Eu preciso ouvir isso de você.

 

Dylan chora.

 

DYLAN: Eu prometo!

 

LEONOR: Obrigada! Eu amo vocês e desejo que sejam felizes.

 

Leonor parece ser sufocada e não consegue respirar. Ela agoniza por alguns instantes e mais sangue sai de sua boca, ela olha para Dylan mais uma vez e dá seu último suspiro.

 

DYLAN: Não! Por favor. Não!

 

Dylan lentamente abaixa o corpo da mulher, quando a porta é aberta e Lindsay ENTRA assustada.

 

LINDSAY: O que foi? Porque está chorando?

 

DYLAN: Eu sinto muito! [Nervoso] Ela estava… Eu não sabia o que fazer e ela… Despediu-se e…

 

Lindsay se aproxima lentamente da cama e suas lágrimas escorrem pelo seu rosto.

 

LINDSAY: Não! Ela não pode ter morrido. [Balançando o corpo da mãe] Mãe! Acorda! Por favor. Mãe!

 

Lindsay chora desesperadamente e Dylan se aproxima e a abraça.

 

DYLAN: Eu sinto muito!

 

LINDSAY [Apertando-o/Gritando]: Porque tinha que ser assim? Por quê?

 

CORTA PARA:

 

CENA 04 – EXT – RISING SUN – FLORESTA – MANHÃ

 

O céu está claro e limpo. Jack puxa Ava e seguem David e Gina que caminham em meio às árvores.

 

AVA: Onde estamos indo?

 

JACK: Para uma última tentativa de seus poderes voltarem.

 

AVA: De novo isso?

 

DAVID: Você precisa sentir a natureza, Ava.

 

GINA: Ela precisa sentir raiva. Da última vez ela ficou poderosa quando ficou enfurecida.

 

JACK: Não. Dessa vez teremos ajuda.

 

Eles chegam ao mesmo lugar onde Salazar retornara.

 

AVA: Aqui?

 

Os anciões aparecem. Eles estão vestidos com uma capa branca.

 

DOROTHEA: Olá, Ava.

 

AVA: O que está acontecendo?

 

MEREDITH: Os seus amigos pediram ajuda em relação a seus poderes.

 

DOROTHEA: Vamos tentar trazer seus poderes de volta.

 

AVA: Vão?

 

IAN: Mas dependerá mais de você do que de nós.

 

DOROTHEA: Sente-se ao centro. Vamos fazer um círculo ao seu redor.

 

Ela olha um círculo ao chão feito com cinzas e ervas.

 

AVA: Para que o círculo?

 

DOROTHEA: É um círculo de concentração. Tentaremos concentrar sua magia dentro dele, caso ela esteja realmente presa dentro de você.

 

Ava se senta ao centro do círculo. Dorothea, Meredith, Ian e Clovis ficam ao redor.

 

GINA: Isso é bizarro.

 

DAVID: Não. [Atencioso] É magia pura.

 

Os anciões fecham os olhos e erguem as mãos e os giram em torno do corpo.

 

ANCIÕES [Conjurando]: “SANCTE FORTIS, RELEASE COMPREHÉNSI OMNES MAGICAE”.

 

O vento parece aumentar ainda mais. As árvores balançam e de repente tudo fica frio, os anciões são lançados um em cada árvore e raízes brotam do chão os prendendo.

 

JACK: O que está acontecendo?

 

DAVID: Só pode ser…

 

Salazar e Louise surgem em uma nuvem negra vindo do céu. Ava abre os olhos e se levanta.

 

AVA [Assustada]: O que está acontecendo?

 

Dorothea e os outros tentam se libertar.

 

CORTA PARA:

 

CENA 05 – INT – RISING SUN – HIGH SCHOOL M – CORREDOR – MANHÃ

 

Elena abre a porta principal do corredor e o mesmo está vazio. O zelador, (um senhor de cabelos grisalhos, pele escura, olhos pretos e com uniforme do colégio), dirige-se a ela.

 

ZELADOR: As aulas só vão começar amanhã, garota. Foi adiado não recebeu o aviso?

 

ELENA: Recebi. [Olhando em volta] Só vim…

 

ZELADOR: Algum problema?

 

ELENA: Está ouvindo isso?

 

ZELADOR: O quê? Não ouço nada.

 

Elena fecha os olhos e apenas ela escuta gritos.

 

ZELADOR: Deveria ir embora para casa.

 

ELENA: Não.

 

ZELADOR: Quem é você? Qual é o seu problema?

 

ELENA [Encarando-o]: Qual é o seu problema?

 

Ela se vira, mas escuta chamarem seu nome e volta a olhar. Uma mulher, (cabelos tingidos de loiro e ondulados, saia preta, blusa vermelha e saltos também vermelhos).

 

MULHER: Olá. Tudo bem?

 

ELENA: Sim. Quem é você?

 

MULHER: Sou a nova diretora do colégio, Fanny Mendel.

 

ELENA: Sou a…

 

FANNY: Elena, não é?

 

ELENA: Sim. Como sabe?

 

FANNY [Sorrindo]: Fiz a lição de casa. O que veio fazer aqui?

 

ELENA: Eu só… Achei que minha amiga tivesse marcado comigo aqui, mas me enganei.

 

FANNY: Bom… Já que veio, não quer me ajudar com algumas tarefas? Prometo que será divertido.

 

Elena olha para a mulher e depois olha a hora em seu celular.

 

ELENA: Acho que posso sim.

 

FANNY: Não vai avisar a sua amiga?

 

ELENA: Depois eu mando uma mensagem.

 

CORTA PARA:

 

 

CENA 06 – EXT – RISING SUN – FLORESTA – MANHÃ

 

Ava tenta sair do círculo, mas não consegue. Salazar caminha até ela.

 

SALAZAR: Ava, Ava, Ava!

 

AVA: O que faz aqui?

 

SALAZAR: Ora, não é obvio? Senti saudades de você.

 

AVA: Poupe-me de sua ironia.

 

SALAZAR: Está tão arisca. Será que meus corvos deixaram traumas demais?

 

Ava o encara.

Jack dá alguns passos, mas David o segura.

 

AVA: Você quem mandou aquelas aves, não foi? Eu desconfiei.

 

SALAZAR: Precisava de uma coisa que só você tinha.

 

AVA: O quê?

 

SALAZAR: Seu sangue! [Sério] Tive uma infeliz consequência graças à profecia.

 

AVA: Como assim?

 

Salazar caminha em volta dela.

 

SALAZAR: Como conjurei a profecia, não tive a esperteza em calcular a duração dela e meu corpo está sofrendo com isso, uma falha enorme. Preciso do seu sangue, pois de alguma forma, nossos… Laços sanguíneos conseguem me manter.

 

AVA: Então você está morrendo?

 

SALAZAR: Não exatamente.

 

AVA: Então o que veio fazer aqui? Conversar comigo?

 

Salazar olha para a garota.

 

SALAZAR: Ontem precisei de você, hoje preciso deles.

 

O bruxo vira-se e olha os anciões presos às árvores.

 

SALAZAR: Olá, anciões. Desculpem a minha falta de educação em não cumprimentá-los na entrada e tratá-los desta forma, mas temos assuntos pendentes.

 

DOROTHEA [Irritada]: Seu miserável.

 

SALAZAR [Debochando]: É um elogio ou um insulto? Estou confuso!

 

DOROTHEA: O que você quer conosco?

 

SALAZAR: Como falei, temos assuntos pendentes e eu decidi resolvê-los por agora.

 

CLOVIS: Você é mesmo um desgraçado. Acha que pode aparecer e nos intimidar desta maneira? Somos anciões, temos a força de…

 

Salazar aperta a mão direita e a boca de Clovis parece ser fechada.

 

SALAZAR [Olhando para Clovis]: De todos vocês, você é o que mais fala besteira. O que acha de mudarmos isso?

 

A boca do ancião é aberta e sua língua é arrancada. Bastante sangue escorre de sua boca.

 

MEREDITH [Horrorizada]: Meu Deus!

 

SALAZAR: Deus não tem nada com isso, Meredith.

 

DOROTHEA: Você é insano e vai pagar por tudo!

 

SALAZAR: Esse assunto é velho.

 

LOUISE: Acabe logo com eles.

 

Louise olha para Dorothea.

 

DOROTHEA: Como pode estar ao lado dele?

 

LOUISE: Reconheço um vencedor.

 

SALAZAR: Leve a Dorothea, Louise.

 

A raiz volta ao chão e Dorothea é solta. Louise segura à anciã e injeta algo nela.

 

LOUISE: Até mais tarde, Dora.

 

Dorothea desmaia e Louise desaparece com ela em uma nuvem negra.

 

MEREDITH: O que fará com ela?

 

SALAZAR: O problema não é o que acontecerá com ela, mas sim com vocês.

 

Salazar olha para Clovis, com a boca sangrando e ainda preso.

 

SALAZAR: Eu do outro lado, o lugar em que me prenderam, imaginava como eu mataria vocês, mas quer saber… Matar é o que importa e não a maneira.

 

Ele abre a mão e uma bola de fogo se forma sobre ela e ele lança ao tronco da árvore em que Clovis está preso e o mesmo começa a pegar fogo, e rapidamente as chamas aumentam e consomem o ancião. Ian e Meredith se olham preocupados.

 

SALAZAR: Não se preocupem. Vocês o encontraram logo, logo.

 

MEREDITH: Vai para o inferno, seu infeliz.

 

SALAZAR [Rindo]: Vocês primeiro.

 

Ele faz o mesmo com Meredith e Ian. As chamas consomem os corpos dos três anciões ainda presos às árvores. Salazar vira-se e olha para Ava.

 

AVA: Você vai pagar por tudo que fez.

 

SALAZAR: Isso não foi nada ao que pretendo fazer com todos que se opuserem contra mim. Eu estou totalmente enfurecido com esse lugar e farei uma limpeza até que tudo esteja como eu desejo.

 

Os olhos dele ficam escuros e ele desaparece da mesma maneira que chegara. Jack corre e desfaz o círculo e Ava consegue sair e abraçá-lo. David e Gina olham para a garota.

 

AVA: Ele quer mesmo acabar com todos.

 

DAVID [Olhando os corpos em chamas]: E pelo visto, já começou!

 

Ava também olha os corpos.

 

AVA: E a Dorothea, será que ficará bem?

 

DAVID: Precisamos alertar aos outros.

 

CORTA PARA:

 

CENA 07 – EXT – RISING SUN – LANCHONETE – MESA 03 – TARDE

 

De um lado está James comendo algo e em sua frente está Ashley (Disfarçada de Nádia) sentada e encarando-o.

 

ASHLEY: Fiquei tão preocupada com a Ava ontem.

 

JAMES: Realmente. Foi um ataque terrível.

 

ASHLEY: Acha que o Salazar fez aquilo?

 

JAMES: Quem mais faria?

 

ASHLEY: Os anciões foram cuidadosos com ela curando todos os ferimentos.

 

JAMES: Claro. A garota é hoje a bruxa mais poderosa dos últimos anos e eles temem que ela tombe a balança.

 

ASHLEY: Também temo isso. Eu acredito que a Ava é boa, mas e se ela não aguentar o fardo que sua vida proporciona? Eu me culpo por ter trazido ela para essa loucura.

 

JAMES: E o que iria fazer? Abortar?

 

ASHLEY [Encarando-o]: Jamais! Eu deveria ter levado ela comigo, mas fui fraca e medrosa. Tive medo que a minha filha fosse…

 

Ela não consegue concluir.

 

JAMES[Completando]: Um monstro?

 

ASHLEY: Sim.

 

Os dois ficam em silêncio por alguns segundos. Christian se aproxima.

 

CHRIS [Ofegante]: James!

 

JAMES: Oi Chris. Como você está?

 

CHRIS: Indo.

 

JAMES [Apontando para Ashley]: Já conhece a Nádia?

 

CHRIS [Apertando a mão de Ashley]: É um prazer, Nádia.

 

James percebe o nervosismo de Chris.

 

JAMES: Algum problema?

 

CHRIS: Não soube da má notícia?

 

JAMES [Tenso]: Não. O que aconteceu?

 

CHRIS: O David acabou de me ligar, a Leonor morreu.

 

James fica espantado e Ashley paralisada.

 

JAMES: A Leonor?

 

CHRIS: Sim. Também fiquei espantado, não sabia que ela estava doente ou algo assim. Estou indo a casa dela agora, vamos?

 

JAMES [Levantando]: Claro.

 

Ashley segura às lágrimas para não se revelar a Chris. James olha para ela e percebe seu sofrimento.

 

CHRIS: Vou só falar com o funcionário para ele tomar conta da lanchonete enquanto estou fora.

 

JAMES: Ok.

 

Chris se afasta. James ajuda Ashley a se levantar.

 

JAMES: Eu sinto muito.

 

ASHLEY: Minha melhor amiga se foi. Eu nem tive a chance de falar com ela.

 

JAMES: Eu sei. Acho melhor te deixar no hotel, se for à casa da Leonor, podem perceber e você não a conhecia.

 

ASHLEY: Não. Eu vou ficar bem, vou com você.

 

JAMES: Tem certeza?

 

ASHLEY: Sim.

 

Chris se aproxima.

 

CHRIS: Vamos?

 

JAMES: Vamos!

 

 

CORTA PARA:

 

 

CENA 08 – INT – RISING SUN – HIGH SCHOOL M – DIREÇÃO – TARDE

 

A sala da diretora Fanny é ampla e moderna. Duas poltronas da cor creme em frente à mesa e uma estante completa de livros.

 

Elena olha o pátio da janela e Fanny está organizando alguns papeis.

 

FANNY: Tudo bem?

 

ELENA: Sim. Eu só estou pensativa.

 

FANNY: E no que está pensando?

 

ELENA: Em como a vida é curta.

 

FANNY: Como assim?

 

ELENA: Nada. Eu só estou sentindo que o dia hoje é de tristeza. Típicos sentidos que eu tenho.

 

Fanny olha para Elena e sorri.

 

FANNY: Você me parece ser tão especial.

 

ELENA: Mas a senhora nem me conhece.

 

FANNY: Chame-me de você.

 

ELENA: Certo!

 

FANNY: Não conheço você, mas só essas horas em que conversamos conhecendo o colégio, pude perceber o quanto você é uma menina centrada e que pensa no próximo. Sua prioridade é ajudar, mesmo que possa se machucar.

 

Elena se surpreende com as palavras da diretora.

 

ELENA: Nossa! Realmente percebeu isso nessa horinha que estive aqui?

 

FANNY [Rindo]: Sou observadora, Elena.

 

ELENA: Bastante!

 

O celular de Elena vibra e ela o pega.

 

FANNY: Algum problema?

 

ELENA: Essa não!

 

FANNY: O que aconteceu?

 

ELENA: A mãe de uma amiga morreu.

 

FANNY: Nossa! Você ainda agora falou em vida curta, que o dia é de tristeza.

 

Elena fica nervosa.

 

ELENA: Coincidência.

 

FANNY: Pode ser!

 

Elena se levanta.

 

ELENA: Foi um prazer ficar aqui, mas preciso ir.

 

FANNY: Espero nos vermos mais.

 

ELENA: Amanhã devo estar aqui. Volta às aulas!

 

FANNY: Verdade. Então até amanhã!

 

ELENA: Até!

 

A garota SAI e fecha a porta. A diretora observa e sorri.

 

 

CORTA PARA:

 

CENA 09 – INT – RISING SUN – RESID. LANCASTER – JARDIM – TARDE

 

Todos estão reunidos na sala. O corpo de Leonor está em um caixão de madeira da cor marrom claro e ao centro em frente à lareira. Ao redor do mesmo estão várias coroas de flores e faixas com frases escritas por amigos e família.

 

AVA [Olhando James e Ashley próximos ao caixão]: Seu pai e aquela mulher estão namorando?

 

JACK: Não sei. Eles dizem serem só amigos!

 

AVA: Engraçado que parece que eu a conheço de algum lugar.

 

JACK: De ontem da sua casa.

 

AVA: Não. Eu digo de algum outro lugar.

 

JACK: Acho que não. Deve ser impressão.

 

AVA: Pode ser.

 

Lindsay está sentada em uma cadeira perto do corpo da mãe e abraçada a Dylan.

 

GINA: Já falou com a sua tia sobre o ocorrido, Ava?

 

AVA: Como? O dia hoje foi coberto de Obscuridade e fatalidades extremas.

 

DAVID: Verdade. Tudo em poucas horas, só prova o quanto as coisas acontecem sem nós percebermos.

 

Elena se aproxima deles.

 

AVA [Falando com a amiga]: Onde estava? Eu não te vi desde ontem.

 

ELENA: Estava no colégio.

 

GINA: Saudades de estudar?

 

ELENA: Não. Eu só acordei com a necessidade de ir lá, tive sonhos e imagens em que eu estava lá, mas não vi nada demais. Só conheci a nova diretora.

 

GINA: E como ela é?

 

ELENA: Bem elegante. Parece ser bem gente boa e conversamos bastante.

 

DAVID: Estranhos esses seus sentidos.

 

AVA: Sentiu algo em relação à mãe da Lindsay? Ou… De mais alguém?

 

ELENA: Eu só tive a sensação hoje pela manhã de ver fogo. Algumas chamas consumiam algo, apenas isso. Por quê?

 

AVA: Porque fomos atacados pelo Salazar hoje e ele matou os anciões e levou a Dorothea com ele.

 

Elena fica surpresa.

Molly ouve tudo ao se aproximar.

 

MOLLY: O Salazar atacou vocês?

 

AVA: Sim. E levou a Dorothea com ele.

 

MOLLY: Minha nossa! O que será que ele quer com ela?

 

AVA: Não sabemos, mas coisa boa não é.

 

 

CORTA PARA:

 

 

CENA 10 – INT – RISING SUN – CASA ESCONDIDA – TARDE

 

Dorothea está pendurada por correntes de aço velhas e enferrujada. Seu rosto está sujo de sangue e seus pulsos vermelhos. Louise está deitada em frente à anciã e Salazar estala os dedos e olha fixo para Dorothea.

 

SALAZAR: Vai cooperar ou não?

 

DOROTHEA: Faça o que tiver que fazer, mas não farei o que você quer.

 

SALAZAR: Eu já disse, não preciso de você, só que me fale onde está aquela maldita suprema.

 

Dorothea cospe o sangue de sua boca.

 

DOROTHEA: Se depender de mim, jamais permitirei que a encontre.

 

LOUISE: Você consegue mesmo ser insuportável, Dora.

 

SALAZAR: Tem sorte de eu depender que use essa sua língua maldita e me fale onde encontrar a suprema, mas também sou previsível e consegui um jeito de fazer você falar.

 

DOROTHEA: Como o quê?

 

Salazar olha para Louise e ela caminha até o outro cômodo e volta puxando uma garota, (japonesa, aparenta ter uns dezessete anos, cabelos pintados de loiro platinado e preso em um coque, roupas jeans), amarrada nas mãos e pés e com a boca tampada.

 

SALAZAR [Aproximando-se da garota]: Reconhece a menina?

 

Dorothea olha para a menina e chora.

 

SALAZAR: Pelo choro, acho que sim.

 

DOROTHEA: Isso chega a ser baixo, até mesmo para você.

 

SALAZAR: Encontrei a filha da suprema, mas ela está sumida e nem mesmo a filha dela sabe dizer onde a desgraçada encontra-se. Apenas uma pessoa pode dizer onde encontrá-la e você é essa pessoa e se quer que a menina sobreviva, fale onde encontrar a Bruxa suprema.

 

Dorothea olha para a menina mais uma vez e depois para o bruxo.

 

DOROTHEA: Tudo bem! Eu posso ajudar, mas deve deixá-la ir!

 

SALAZAR: Eu honro com minhas palavras, diga e a garota será libertada.

 

Dorothea e ele se encaram.

 

 

FADE OUT.

 

 

–FIM DO EPISÓDIO–

Criado e Escrito por:

MARCOS H.

 

Produzido por:

UNBROKEN PRODUCTIONS.

 

Unbroken Productions Original Séries.

2016 – Story Of Witches – Segunda Temporada – Todos os direitos Reservados.