FADE IN:

 

 

CENA 01 – INT – NEW ORLEANS – BAR – NOITE

 

A porta do bar é aberta, Louise, Phoebe e Pablo ENTRAM. Os três caminham para uma das mesas de madeiras espalhadas pelo recinto. O lugar é escuro e bastante rústico, balcão e prateleiras cheios de bebidas. O lugar não está cheio, só alguns homens já bêbados estão próximos à mesa de sinuca.

 

LOUISE [Puxando a cadeira e sentando]: Lugarzinho medíocre.

 

PABLO: Poderia nos dizer de uma vez por todas o que viemos fazer em Nova Orleans?

 

O garçom se aproxima.

 

PHOEBE: Por favor, fritas e três taças com vinho.

 

LOUISE: O quê?

 

Louise olha para o garçom.

 

LOUISE: Uma vodca bem forte e pura, as fritas e refrigerantes para eles.

 

O rapaz anota e se afasta.

 

PHOEBE: Já podemos beber, sabia?

 

LOUISE: Pouco me importa, só não estamos aqui para diversão.

 

PHOEBE: E o que viemos fazer aqui?

 

Louise olha em volta. Seus olhos vasculham cada canto do bar, até que ela parece ver algo.

 

LOUISE: Acho que já encontrei.

 

Ela levanta e caminha até uma mulher, (cabelos escuros até os ombros, uma blusa com o nome CHURCH’S BAR, uma calça jeans, sapatos e avental, origem japonesa), que está segurando um bloco de papel e uma caneta e conferindo os litros de bebidas.

 

LOUISE [Sorrindo]: Juro que nunca imaginei te encontrar aqui.

 

A mulher vira-se rapidamente e se surpreende ao olhar para Louise.

 

MULHER: O que você quer aqui?

 

LOUISE: Ora, Selena. Não vai nem me abraçar e ser educada?

 

SELENA [Afastando-se]: Vai embora.

 

Louise segura o braço dela. As lâmpadas piscam e o bar inteiro começa a tremer.

 

SELENA [Olhando a mão de Louise em seu braço]: Eu falei para ir embora.

 

LOUISE: Vejo que seus poderes continuam invejáveis.

 

SELENA: Estão ainda maiores, então se tem amor a sua vida, pegue esse seu traseiro e saia daqui.

 

LOUISE: Não irei embora, alguém precisa de você. Não ouviu os boatos?

 

SELENA: Quais?

 

LOUISE: O Salazar retornou.

 

Louise pega uma garrafa e enche um copo sobre o balcão.

 

SELENA: Retornou? Isso não me importa, estou tentando viver minha vida longe disso.

 

LOUISE: Chega desse drama, Selena. Sabemos que você ama ser uma bruxa e uma bruxa bem poderosa. Além disso, o Salazar precisa de você.

 

Selena fica tensa. Ela olha para os lados e os dois garçons e os homens bêbados estão inconscientes, graças a Pablo e Phoebe.

 

LOUISE: Então, vem por bem ou por…

 

SELENA: Se você não sai por bem, sairá de outra forma.

 

Selena joga o avental sobre o balcão e fecha os olhos e ao abri-los novamente, estão com uma cor dourada.

 

SELENA: Eu fiquei vivendo longe disso há anos. Não vou permitir que chegue e me obrigue a voltar, eu não sou como antes.

 

Louise vai se afastando. Phoebe se aproxima e olha para Selena.

 

PHOEBE: Então é isso? Viemos busca-la, mas quem é ela?

 

LOUISE: Ela é a Suprema.

 

Phoebe fica surpresa.

 

PHOEBE: Suprema?

 

LOUISE: Você vem sim comigo, Selena. Ou a Dorothea e a sua filhinha morrerão.

 

Os olhos de Selena voltam à cor castanha.

 

SELENA: Ele pegou a Halley?

 

LOUISE: O Salazar não está brincando.

 

SELENA: E o que exatamente ele quer comigo?

 

LOUISE: Digamos que…. Um grande favor.

 

SELENA: Tudo bem, eu vou.

 

CORTA PARA:

 

CENA 02 – INT – RISING SUN – RESID. LANCASTER – MANHÃ

 

Próximos à lareira estão alguns colchões e dormindo estão, Lindsay e Dylan, David e Gina, Jack e Ava, e Elena acordada e olhando o fogo da lareira. Ava desperta e olha para a amiga.

 

AVA: Tudo bem?

 

ELENA: Tudo sim, por quê?

 

Ava se senta perto da amiga e encosta a cabeça no ombro dela.

 

AVA: É que, depois que o Salazar voltou e as bruxas foram tiradas do seu corpo, percebi o quanto você está diferente.

 

ELENA [Tensa]: Na verdade, acho sim que mudei. Eu não sei exatamente em que, mas me sinto mais sensitiva. E escuto coisas às vezes que não é mesmo real, é algo que só…

 

AVA [Completando]: Você consegue ouvir.

 

ELENA: Isso! E eu estou começando a me achar louca, Ava.

 

Elena chora.

 

AVA: Calma, sabe que podemos achar uma forma de descobrir o que você tem.

 

ELENA: A questão não é essa. Eu só preciso de…

 

Elena olha para Ava.

 

AVA: Pode falar.

 

ELENA: Eu preciso de um tempo sozinha, sem ter que fazer parte desse mundo.

 

AVA: Mas esse é o seu mundo. Você faz parte disso, quer queira quer não.

 

ELENA [Levantando]: Eu sei. Eu só… Queria que tudo fosse como antes. Queria que seu pai nunca tivesse morrido, que não tivesse ido embora naquela noite da boate e que você não descobrisse que era uma…

 

AVA: Bruxa?

 

Os outros acordam.

 

JACK: Tudo bem?

 

AVA: Sim. Nós só…

 

ELENA: Não. [Gritando] Nada está bem com aquele louco do Salazar por aí, não está nada bem para nenhum de nós. E nem está no começo do que ainda pode vim, eu só estou cansada disso! Eu não posso fazer parte disso!

 

Elena olha para todos.

 

ELENA: Desculpa Lindsay. Eu sinto muito pela sua mãe, espero que fique bem.

 

Ela calça a sapatilha.

 

AVA: Aonde você vai?

 

ELENA: Viver a minha vida sem ter que pensar se ali, ou lá eu vou ser atacada, possuída ou conversar com mortos.

 

AVA: Onde quer que você vá, seus dons irão com você.

 

ELENA: Preciso ficar sozinha. Até mais!

 

Elena abre a porta de entrada e alguém cai em seus braços, já inconsciente.

 

ELENA: Meu Deus! Socorro!

 

Jack e David correm e ajudam a garota. Eles viram o corpo para o lado e reconhecem a pessoa.

 

AVA: Quem é essa?

 

GINA: É a Halley.

 

CORTA PARA:

 

CENA 03 – INT – RISING SUN – RESID. BROOKS – SALA – MANHÃ

 

Molly está sentada em uma das poltronas e folheia uma revista e Charlie desce a escada. Ele percebe a inquietação dela.

 

CHARLIE: Qual é o seu problema? Parece que está incomodada.

 

MOLLY: Preocupada, na verdade.

 

CHARLIE: Com o quê?

 

MOLLY: Com quem. Os anciões estão mortos e o Salazar sequestrou a Dorothea.

 

CHARLIE: Os anciões, o quê?

 

MOLLY: Isso mesmo que ouviu.

 

CHARLIE: Não. [Escondendo o sorriso] Isso não pode ser verdade.

 

MOLLY: A mais pura. Estou preocupada com o que aquele doente pode fazer com a Dora.

 

CHARLIE: Matá-la igual aos outros?

 

MOLLY: Eu espero que não. Não desejaria que ela morresse.

 

CHARLIE: Por mim. Aqueles infelizes mereceram.

 

MOLLY: Como pode dizer isso?

 

CHARLIE: Com a boca?

 

MOLLY: Você é mesmo um cretino, Charlie. Como pude me deixar ser enganada e engravidar de você?

 

CHARLIE: Porque você é uma desesperada! No fundo, você realmente me ama e sabe disso, mas eu falei que não sou homem para se ter uma família. Eu não sei sobre isso.

 

MOLLY: Tem razão, nunca devia ter permitido isso.

 

CHARLIE: Ainda está em tempo. Tire a criança!

 

Molly acerta uma tapa no rosto dele.

 

MOLLY [Gritando]: Quero que suma da minha frente. Terei esse bebê sozinha e ele nunca precisará saber quem é o pai. Dê o fora da minha casa!

 

Ela sobe a escada e Charlie toca o rosto. Ele pega sua carteira e sai da casa, furioso.

 

CORTA PARA:

 

CENA 04 – INT – RISING SUN – RESID. SILVÉRIO – SALA – MANHÃ

 

Ashley se olha ao espelho pela última vez e arruma sua peruca. James usa uma calça moletom, uma camisa preta e sandálias e desce a escada.

 

JAMES: Olha ela. Já está indo para o colégio?

 

ASHLEY: Sim. Hoje eu tenho que me apresentar aos alunos e a diretora quer conversar com todos os professores.

 

JAMES: Você está linda.

 

ASHLEY: Agradeço. Nádia Parks está indo.

 

Ela pega a bolsa e James entrega uma chave a ela.

 

JAMES: Já que ficará aqui, precisará de uma.

 

ASHLEY: Obrigada! Você é um grande amigo.

 

JAMES: Eu sei.

 

Ela SAI.

 

CORTA PARA:

 

CENA 05 – INT – RISING SUN – RESID. LANCASTER – SALA – MANHÃ

 

A garota está deitada no sofá e Gina e Lindsay curam seus ferimentos.

 

AVA: O que será que houve com ela?

 

DAVID: Será que o Salazar a pegou?

 

ELENA: Viu? Era disso que eu falava mais cedo. Todo dia é uma surpresa, algo novo. Vemo-nos no colégio!

 

Ela vai embora.

 

GINA: Essa garota não está bem.

 

AVA: Estamos vendo.

 

GINA: Não. Eu falei da Elena.

 

AVA: Acho que ela está em uma fase ruim, muitas coisas aconteceram nessa metade do ano e ela está bem… Traumatizada.

 

Ava olha para Jack e ele está de braços cruzados, sério e olhando a garota no sofá.

 

AVA: Algum problema, Jack?

 

JACK: Por quê?

 

AVA: Está meio… Tenso.

 

GINA: Ah! É que a Halley e ele já namoraram.

 

Todos olham para Gina.

 

GINA: O quê? A Ava iria saber mesmo.

 

AVA: Nunca me falou sobre uma namorada.

 

JACK: Porque não importava. A Halley foi embora com a mãe dela alguns anos atrás e eu nem tinha ideia que ela voltaria.

 

A garota tosse e vai despertando.

 

GINA: Halley?

 

HALLEY [Olhando surpresa]: Gina? Graças a Deus!

 

Ela abraça a garota.

 

LINDSAY: O que aconteceu com você, Halley?

 

HALLEY: O desgraçado do Salazar me pegou. Ele ameaçou me matar para a Dorothea falar onde está a mamãe.

 

AVA: E o que ele quer com a sua mãe? Ela é importante assim?

 

A garota levanta.

 

JACK: A mãe dela é Selena Davis, a suprema.

 

AVA: Suprema? Como assim?

 

Halley abraça Jack.

 

HALLEY: É bom te ver.

 

JACK: Igualmente.

 

AVA: Vão falar sobre a tal Suprema?

 

HALLEY: Quem é ela?

 

AVA [Séria]: Ava Brooks!

 

Halley fica surpresa.

 

HALLEY: Então você é a famosa, Ava Brooks. Finalmente eu a conheço, já ouvi seu nome, mas nunca uma imagem ou algo parecido.

 

JACK: A Ava é a bruxa que completa a liga.

 

HALLEY: Sim, Claro. E é o equilíbrio e tudo mais, sei a história.

 

Jack coloca o braço em volta do pescoço de Ava e Halley observa.

 

HALLEY: Bom… A suprema como soube é a minha mãe, a bruxa suprema é designada a cuidar de seu Coven. Uma bruxa suprema é escolhida pela natureza, é a bruxa mais poderosa daquele Coven e por isso ela se torna a suprema.

 

AVA: E porque ela não cuida das bruxas daqui?

 

HALLEY: Ela se negou essa responsabilidade. A mamãe não é uma mulher de suportar muita pressão, mas conhece tudo sobre magia, feitiços e porções.

 

AVA: E o que o Salazar quer com ela?

 

HALLEY: Isso eu não sei.

 

CORTA PARA:

 

CENA 06 – INT – RISING SUN – CASA ESCONDIDA – SALA – MANHÃ

 

Salazar está em frente à lareira e olha as chamas. A grande porta frontal range quando aberta e ao fechar, Louise aparece primeiro, em seguida, Selena.

 

SALAZAR: Bem vinda, Suprema.

 

Ele se vira lentamente.

 

SELENA: Pode me chamar de Selena.

 

SALAZAR: Muito bem, Louise. Você e os outros se superaram desta vez.

 

Daiane e Carl descem a escada e vão para perto de Phoebe e Pablo.

 

SELENA: Meu Deus!

 

Ela olha para o chão e ver Dorothea jogada, ensanguentada e desmaiada.

 

SELENA: O que fez com ela?

 

SALAZAR: Foi difícil para ela soltar a língua e falar onde encontra-la.

 

SELENA: Seu miserável.

 

Selena faz Salazar ser jogado na parede e faz o fogo da lareira flutuar em sua frente.

 

LOUISE: Minha nossa!

 

PHOEBE: Ela tem mesmo bastante magia.

 

Salazar sorri e olha para a mulher.

 

SALAZAR: Acabe com isso e me devolva ao chão.

 

SELENA: Porque eu faria isso? Cadê a milha filha?

 

SALAZAR: É sobre ela mesmo que ia falar. Mate-me e sua filha também morrerá.

 

SELENA: O quê?

 

Selena faz o fogo recuar e deixa o bruxo cair. Ele olha para ela.

 

SALAZAR: Precisamos mudar à nossa maneira de tratamento.

 

SELENA: Não serei e nem estou do seu lado, quero a minha filha e a Dora.

 

SALAZAR: Pode tê-las, caso me ajude com algo.

 

SELENA: Onde está a Halley?

 

SALAZAR: Deve estar pela cidade.

 

SELENA: O que fez a ela?

 

SALAZAR: Eu coloquei um feitiço nela, caso resolvesse perder a cabeça e quisesse me matar. Eu me liguei a Halley, o que fizer comigo, acontecerá a ela.

 

CORTA PARA:

 

CENA 07 – INT – RISING SUN – HIGH SCHOOL M – PÁTIO – MANHÃ

 

Ava está sentada em uma das mesas. Jack se aproxima e percebe o incomodo dela.

 

JACK: O que foi?

 

AVA: Nada.

 

JACK: Se fosse nada, você não estaria assim. É por causa da Halley?

 

AVA: Não! Pouco me importa se ela te namorou, eu sei que você gosta de mim.

 

JACK: Não. Eu não gosto de você, eu te amo. Existe diferença.

 

Ele se aproxima dela e a beija. Ao termino, ela fica cabisbaixa.

 

JACK: Já sei. É sobre a Elena, não é?

 

AVA: Estou perdendo a minha amiga, Jack. Ela não quer e nem gosta dessa vida sobrenatural.

 

JACK: É como você falou Ava. Pode ser uma fase, de todos, psicologicamente a Elena foi a que mais sofreu. Ela teve cinco bruxas malditas dentro dela.

 

AVA: Na verdade, também não suporto essa angustia. É como se vivêssemos a espera de algo. Estamos aguardando o quê?

 

JACK: Nada. O que o Salazar tiver que fazer, ele vai. Se ele planeja acabar com os humanos, a cidade seja o que for nós estaremos juntos para impedi-lo.

 

Ava o abraça.

 

AVA: Promete! Promete que vamos ficar juntos.

 

JACK: Prometo! É claro que sim e tenho uma ideia para que você não fique a mercê sem seus poderes.

 

AVA: Como assim?

 

JACK: A Lindsay e o Dylan não vieram, não foi?

 

AVA: Não. Ela está em luto e quis ficar em casa.

 

JACK: Ok. Manda uma mensagem e pede para eles nos encontrarem na praia no fim da tarde. Naquela parte perto da floresta.

 

AVA: Tudo bem. Mas o que faremos?

 

JACK: Faça isso! E depois me encontre na classe, vou conversar com o David e Gina.

 

Jack a beija e SAI. Ava pega o celular e manda as mensagens.

 

CORTA PARA:

 

CENA 08 – EXT – RISING SUN – ACAMP. DOS CAÇADORES – CENTRAL – QUASE TARDE

 

Dylan caminha em direção a central. Dois guardas na entrada apontam a arma para ele, o garoto olha as mãos e ao virá-la faz as armas serem arrancadas dos guardas.

 

DYLAN: Vão andar por aí.

 

Os guardas se olham. Dylan abre a porta com força e enxerga Louis sentado na cadeira que antes fora de Thommy.

 

LOUIS: Ora, Ora Dylan Brooks de volta a tropa!

 

DYLAN: Cala a boca, Louis. Cadê o Thommy?

 

LOUIS: Opa, não venha chegando e bancando o poderoso.

 

DYLAN: Eu não estou com paciência para suas infantilidades e não pretendo bater um papo com você. Pela última vez, onde está o Thommy?

 

Thommy aparece atrás de Dylan, com uma bengala, os olhos enfaixados e as roupas rasgadas e todo sujo.

 

THOMMY: Olá, Dylan.

 

DYLAN [Olhando o caçador]: O que é isso? O que ele fez com você?

 

THOMMY: O Louis fez o melhor que pôde.

 

DYLAN: Ele te destruiu, Thommy. Ele fez o caçador que existia em você ser um grande nada.

 

THOMMY: Ele me fez ser o homem que sempre fui. Eu não era eu de verdade matando bruxas e seres sobrenaturais.

 

DYLAN [Surpreso]: Está arrependido?

 

THOMMY: Sim. Por mim eu já tinha morrido e este lugar teria sido destruído.

 

Louis bate na mesa e os dois se assustam.

 

LOUIS: Eu ainda estou aqui. E pra falar a verdade estou enjoado desta conversa.

 

Louis parece ser sufocado e se debate contra a mesa.

 

DYLAN: Meus poderes estão de volta, Louis. Sou oficialmente um bruxo e se quer saber, terei o prazer em matá-lo. Por sua culpa, a mãe da garota que eu amo morreu, por sua culpa ela teve que me ressuscitar naquela noite e a natureza a fez pagar por algo que você cometeu.

 

Os olhos de Dylan fervem de ódio.

 

THOMMY: Não filho! Não suje as suas mãos. Você não merece passar por isso e ele não vale a pena.

 

DYLAN: Cansei Thommy. Eu já deveria ter feito isso há bastante tempo.

 

Dylan sufoca Louis ainda mais. Mas de repente alguns tiros são disparados em direção de Louis e Dylan assustado deixa o corpo dele cair.

 

THOMMY: Dylan, você está bem? Quem fez isso?

 

Dylan olha para a porta e um dos caçadores da entrada balança a cabeça para ele.

 

DYLAN: Estou sim. Um dos soldados atirou contra o Louis.

 

THOMMY: Ele está morto?

 

Dylan vai até o corpo de Louis e fecha os olhos dele.

 

DYLAN: Sim.

 

THOMMY: Tudo poderia ser diferente, se eu não tivesse sido burro.

 

DYLAN: O erro também foi meu em não perceber a cobra sob nosso teto.

 

Dylan vai até o soldado e aperta sua mão.

 

SOLDADO: O que faremos agora, chefe?

 

DYLAN: Vão para casa! Eu ligarei para os líderes e avisarei que essa tropa será desfeita e vocês serão encaminhados para outras.

 

THOMMY: Você sempre foi bom com os soldados, seria um chefe melhor do que fui.

 

DYLAN: Essa vida nunca foi para mim.

 

THOMMY: Tem razão.

 

Dylan se aproxima dele.

 

DYLAN: Venha. Vamos ao medico ver seus ferimentos e tentar corrigir o que o Louis causou.

 

THOMMY: Porque se preocupar comigo agora? Eu não mereço.

 

DYLAN: Na vida nem todos merecem, mas de alguma forma precisam. Você cuidou de mim e me criou e toda vida me quis como seu filho, podemos ter uma vida boa aqui em Rising Sun se aceitar.

 

THOMMY: Serei um fardo para você. Cego, velho e inútil.

 

DYLAN: Um fardo que faço questão de suportar.

 

Thommy sorri e abraça o garoto.

 

DYLAN: Vamos lá! Eu te ajudo.

 

CORTA PARA:

 

CENA 09 – INT – RISING SUN – CASA ESCONDIDA – SALA – TARDE

 

Dorothea acorda e olha todos ao redor. Selena fizera algumas porções e curara seus ferimentos.

 

DOROTHEA [Esforçando-se]: Onde está a Halley?

 

SELENA: Não se preocupe, ela está bem.

 

SALAZAR: Viu como eu tenho palavra, Dorothea?

 

DOROTHEA: O que ele quer com você, Sele?

 

SELENA: Quer que eu conjure um feitiço.

 

DOROTHEA: Apenas isso?

 

SELENA: O corpo dele está morrendo e descobriu uma forma de salvá-lo, mas enquanto não consegue tudo que precisa, pediu para que eu conjurasse esse feitiço. Já que sou a suprema e tenho bastante poder.

 

Dorothea se senta com bastante cuidado.

 

DOROTHEA: Qual o feitiço que ele quer?

 

Selena para em frente a ela e cruza os braços.

 

SELENA [Tensa]: O ÉCHANGE.

 

Dorothea olha espantada.

 

DOROTHEA: Mas… Esse feitiço é perigoso, pode mata-la.

 

SALAZAR: Pode matar uma bruxa comum, ela é a suprema. A magia que ela tem vem das ancestrais de todas as supremas da terra de Rising Sun. Sabemos a quantidade de suprema que passaram por aqui, ela consegue.

 

DOROTHEA: Mas ainda é perigoso. Mesmo que ela tenha magia o suficiente, pode sim ser fatal.

 

SELENA: Eu farei, não tenho escolha. Ele se ligou a minha filha e se o corpo dele morrer, o da Halley morrerá.

 

SALAZAR: Ótimo! Diga do que precisa.

 

SELENA: Espaço. Luar. Alguns ingredientes e o corpo que você usará.

 

SALAZAR: Já tenho tudo.

 

DOROTHEA: Qual corpo você escolheu?

 

CORTA PARA:

 

CENA 10 – EXT – RISING SUN – BEIRA MAR/PRAIA – FIM DA TARDE

 

Uma fogueira está acesa dentro de um circulo. Lindsay se aproxima e estão todos a sua espera.

 

LINDSAY: O que é isso?

 

JACK: Oi Lindsay. Onde está o Dylan?

 

LINDSAY: Ele está ocupado e não pôde vim. O que faremos?

 

JACK: Sei que está passando por um momento terrível e sinto muito por ter que fazê-la sair de casa, mas pensei que podíamos ajudar a Ava.

 

GINA: Como faremos isso aqui na praia? E diga-se neste lugar bizarro, ninguém vem aqui nessa parte. Seja rápido!

 

Gina olha em volta.

 

DAVID: Você quer conectar, não é? Quer ativar a Liga!

 

Lindsay e Gina olham surpresas para Jack.

 

GINA: É isso?

 

JACK: Sim. Conectados, nossos poderes ficam para todos e a Ava poderá se defender, caso o Salazar ataque.

 

LINDSAY: Por mim, tudo bem.

 

DAVID: Também não vejo problema nisso.

 

GINA: Eu vejo!

 

Todos olham para Gina.

 

JACK: O quê?

 

GINA: Quando conectados, nossos poderes ficam estranhos e eu não suporto quando um usa magia, o outro fica mais fraco. É como ter uma garrafa de água no deserto com apenas um gole e dividir em cinco, sempre terá certa quantidade.

 

JACK: Porque sempre tem que ser tão egoísta?

 

GINA: Não é egoísmo. É só preferência, todos falaram sua decisão, eu disse a minha. E desculpa Ava.

 

JACK: Sem conectar não somos uma liga e hoje em dia é raro encontrar uma liga completa. Vamos Gina, até pelo menos os poderes da Ava voltar.

 

GINA [Incomodada]: Eu não gosto, mas serei boa só dessa vez.

 

DAVID: Essa é a Gina que preferimos.

 

GINA: Essa Gina é temporária e nesse momento estou sentido ela indo embora.

 

JACK: Entrem ao círculo, cada um em um lugar e ao redor da fogueira.

 

Todos fazem o que ele diz. Ava parece trêmula.

 

AVA: E agora?

 

DAVID: Esse círculo vai impedir que a magia saia. E que ela seja passada para todos. Quando conectados a nossa magia passa de quatro para apenas uma e todos passam a usá-la em conjunto.

 

GINA: A parte que odeio.

 

AVA: Isso sim é bem diferente de quando tentamos conectar e foi um feitiço falso.

 

DAVID: Agora nos conectaremos. Seremos uma liga.

 

JACK: Repitam: “FACIAMUS UNUM VALIDA”.

 

TODOS [Conjurando]: “FACIAMUS UNUM VALIDA”.

 

Dentro do círculo algo parece sair deles e formar uma grande bola sobre o fogo que concentra parte da magia e depois passa por todos, até que se desfaz. Eles estão com os olhos fechados e parecem leves. O fogo muda de cor e ficam totalmente azul, cinco marcas surgem nos pulsos deles, cada uma em um. O círculo ao chão se desfaz e ambos caem desmaiados.

 

 

FADE OUT.

 

 

–FIM DO EPISÓDIO–

Criado e Escrito por:

MARCOS H.

 

Produzido por:

UNBROKEN PRODUCTIONS.

 

Unbroken Productions Original Séries.

2016 – Story Of Witches – Segunda Temporada – Todos os direitos Reservados.