FADE IN:

 

 

CENA 01 – INT – RISING SUN – RESID. SILVÉRIO – QUARTO (JACK) – NOITE

 

O quarto é espaçoso e com as paredes azuis e cinzas, uma cama de casal ao centro, ao lado algumas estantes, um guarda-roupa no lado direito e a mesa com o computador. Jack e Ava estão deitados sobre a cama, ela com a cabeça sobre o braço dele.

 

AVA[Olhando o teto] Você está com medo?

JACK – De quê?

AVA – Do que pode acontecer.

JACK – Do Salazar?

AVA – Não é só ele que me faz temer. Tudo bem que ele é o inimigo maior, mas sabemos que sempre haverá mais e isso é o que me deixa assustada e irritada também.

 

Jack puxa a cabeça dela.

 

JACK – Qual o problema?

AVA – Eu só estou… Furiosa, porque nunca podemos agir como pessoas normais? Porque nunca podemos ser adolescentes sem ter grandes problemas e porque alguém sempre me quer morta?

 

Jack se senta e Ava também.

 

JACK[Explicando] A resposta para suas perguntas está obviamente em sua frente. Não podemos ter uma vida normal, porque nós não somos normais.

 

Jack olha para o lustre em seu quarto e as lâmpadas piscam.

 

JACK – Isso parece normal? Você é uma bruxa e isso é um fato, sempre haverá problemas.

 

Ava o abraça.

 

AVA – Você tem razão. Pareceu o David falando agora.

JACK – Não sei se levo isso como um elogio.

 

AVA – Falando nele, porque vocês são tão distantes? Era pra ele ser seu melhor amigo, vocês são os dois caras da liga e mesmo assim eu não os vejo como próximos. Para ser sincera, eu só vejo vocês se comunicarem quando estamos todos juntos, fora isso, nunca vi.

 

Jack fica em silêncio por alguns minutos.

 

AVA – Falei algo errado?

 

JACK – Não. Eu só percebi o quanto certa você está. Eu não sei, mas o David e eu nunca fomos os melhores amigos mesmo, só somos… Amigos. O básico! Sou mais próximo da Lindsay, eu a conheci primeiro, desde pequenos. Depois foi a Gina e a Halley e aí o David.

 

AVA[Fazendo careta] Halley! Tinha que citá-la?

 

JACK[Rindo] O quê? Ciúmes agora?

 

AVA – Não. Eu só a acho bem… Eu não fui com a cara dela.

 

JACK[Olhando aos olhos dela] Não se preocupe com ela, eu só tenho olhos para você. Eu te amo e sabe disso.

 

Ele a beija e ela retribui. Eles vão se deitando e Jack com uma mão toca o rosto dela e com a outra vai passando por seu corpo, até que chega a seus seios e Ava segura à mão dele.

 

JACK – O que foi?

 

AVA[Tímida] Nada. É só que eu não estou pronta, ainda.

 

JACK – Sabe que não quero te apressar, mas não se sente segura comigo?

 

AVA – A questão não é você, sou eu. Eu que ainda não me sinto pronta para darmos esse avanço na relação, a qual iniciamos há pouco tempo.

 

Jack a beija.

 

JACK – Desculpa, eu não quis ser insensível.

 

AVA – Tudo bem.

 

Ela o beija e levanta e coloca seu casaco e pega sua bolsa.

 

JACK – Vai embora?

 

AVA – Conhece a tia Molly. Já deve está preocupada ao extremo.

 

JACK – Certo! Então até amanhã.

 

AVA – Até, lindo.

 

Ela ri e o beija, depois sai do quarto. Jack suspira e olha para o teto, entediado.

 

CORTA PARA:

 

CENA 02 – EXT – RISING SUN – BAR SUN – NOITE

 

Fanny está bem vestida, usando um vestido escuro, saltos finos e acabara de chegar ao local, ela olha em volta e vê Charlie em uma das mesas, ela se aproxima.

 

FANNY – Ora, Ora. Mais cedo estava sem conseguir abrir a porta de seu quarto de tão bêbado e já está bebendo novamente?

 

CHARLIE[Ignorante] E você por acaso agora vai ficar me controlando?

 

FANNY[Sem graça] Desculpe-me.

 

Ela se vira, mas ele a segura.

 

CHARLIE – Eu errei. Você quem devia me desculpar, eu só falei assim porque estou irritado e descontei na pessoa errada.

 

FANNY – Tudo bem. Só porque o achei interessante ficarei lhe fazendo companhia.

 

Ela ri e senta-se com ele.

 

CHARLIE – E respondendo a pergunta inicial, eu não estou bebendo. É que gosto daqui e como não tenho outro lugar pra ir. Vim aqui e pedi uma água com gás.

 

FANNY – Que bom que eu cheguei então.

 

Ela olha as bebidas e Charlie a olha com interesse.

 

CHARLIE – Você é uma mulher linda, elegante e de classe, porque está sozinha em uma noite dessas?

 

FANNY – Porque algumas pessoas não me valorizam, assim como acontece com você.

 

Ela olha para ele e mostra um sorriso audacioso.

 

CHARLIE – Como sabe que não me valorizam se não me conhece?

 

FANNY – Engraçado perguntar e não ter percebido, mas eu reconheço um bruxo quando vejo um.

 

Charlie fica espantado e olha sério para Fanny, que o encara.

 

CORTA PARA:

 

CENA 03 – INT – RISING SUN – RESID. SILVÉRIO – GARAGEM – NOITE

 

Jack está sem camisa e usando apenas um calção preto e sandálias. Ele lava seu carro, quando alguém se aproxima e bate no capô do veículo.

 

HALLEY – Parece que o tédio te fez ficar disposto.

 

JACK[Surpreso] Halley?

 

HALLEY – Você não muda mesmo, uma hora dessas e você em casa lavando o carro, evolua Jackson.

 

Ele ri e fecha a porta do carro.

 

JACK – Evoluí bastante, não percebeu? Só não sou de sair tanto.

 

HALLEY – Eu sei. Por isso eu trouxe isso.

 

Ela mostra uma sacola plástica e puxa uma garrafa de vodca.

 

JACK – Continua bebendo?

 

HALLEY – Às vezes é divertido, sabia.

 

JACK – Eu sei, eu só não…

 

HALLEY – Qual é Jack. O seu pai não está em casa, está?

 

JACK – Não. Mas amanhã tenho aula e…

 

Halley anda um pouco e sem mexer as mãos faz a porta da garagem ser fechada.

 

HALLEY – Vamos curtir um pouco.

 

JACK – Tudo bem, mas sem passar dos limites.

 

Halley para em frente a ele.

 

HALLEY – Você se tornou um bundão com o passar dos anos.

 

Jack joga o pano molhado sobre uma caixa.

 

JACK – Não me subestime, Halley Davis.

 

Ele pega a garrafa e passa por ela, Halley apenas sorri.

 

CORTA PARA:

 

CENA 04 – INT – RISING SUN – RESID. BROOKS – SALA – NOITE

 

Ava desce a escada e encontra Molly pensativa.

 

AVA – Briga com o Charlie e depois fica se martirizando.

 

MOLLY – Não estou pensando nele. Só estou cansada!

 

Ela levanta.

 

AVA – Vai dormir?

 

MOLLY – Não, vou preparar um chá para mim.

 

Molly passa e Ava senta-se ao sofá e liga a televisão. A porta é aberta e Elena entra.

 

AVA[Olhando a garota] Elena!

 

ELENA – Oi. Eu vi seu carro na garagem e deduzi que estava em casa.

 

AVA – Entra e senta aqui.

 

Elena se aproxima e age meia sem jeito.

 

ELENA – Eu vim aqui porque meus pais decidiram.

 

AVA – Vão mesmo embora, não é?

 

ELENA – Sim. Eu sinto muito, mas eles preferiram ir.

 

AVA – E quando será a partida de vocês?

 

ELENA – Minha mãe só vai semana que vem e o meu pai vai amanhã, pois precisa organizar o aluguel do apartamento e as coisas lá.

 

AVA – E você vai com a sua mãe?

 

ELENA – Não. Eu vou amanhã com ele.

 

Ava olha surpresa.

 

AVA – O quê? Mas já?

 

ELENA – Peguei a minha transferência com a Fanny ontem quando conversávamos e ela me chamou, já está tudo certo.

 

AVA – Não devia ir, poderia ao menos concluir o ano e nos formarmos e aí você…

 

ELENA – Não! Prefiro ir antes, essa cidade se tornou um grande inferno e… Minha vida não parece ser mais minha.

 

Ava segura à mão dela.

 

AVA – Tudo bem. Só quero que saiba que estarei sempre aqui torcendo por você e que mesmo sentindo sua falta, estarei esperando a sua volta. Isso é uma fase e eu acho que vai te fazer bem esse tempo, mesmo sem querer aceitar, eu entendo.

 

Elena a abraça.

 

ELENA – Você é e sempre será minha melhor amiga, mas preciso sim desse tempo.

 

AVA – Conta comigo, ok?

 

ELENA – Sempre!

 

Ela enxuga as lágrimas.

 

ELENA – Preciso ir terminar de arrumar algumas coisas.

 

AVA – Ainda te verei amanhã?

 

ELENA – Receio que não, mas estamos nos despedindo agora e eu prefiro que nem me veja, pois chorarei bastante. [Risos]

 

AVA – Tudo bem então, Boa viagem.

 

ELENA – Obrigada!

 

Ela se levanta e caminha até a porta. Ava sente as lágrimas escorrerem por seu rosto quando Elena acena e sai fechando a porta.

 

CORTA PARA:

 

CENA 05 – INT – RISING SUN – BAR SUN – MESA – NOITE

 

Charlie olha em volta.

 

CHARLIE – Como sabe que sou um bruxo?

 

FANNY – Uma bruxa reconhece sua espécie.

 

CHARLIE – Você também?

 

FANNY – Sim. Porém temos problemas em comum.

 

CHARLIE – Exemplifique.

 

FANNY – Somos falhos sem magia.

 

Charlie se aproxima dela.

 

CHARLIE – Perdeu seus poderes?

 

FANNY – Foram arrancados de mim.

 

CHARLIE – O mesmo aconteceu comigo.

 

FANNY – Meu clã era rigoroso, mas tiveram o final merecido.

 

CHARLIE – O que aconteceu?

 

FANNY – Fui expulsa, então eu os fiz pagar pelo que me fizeram.

 

Ela bebe mais da sua bebida.

 

CHARLIE[Sorrindo] Você é a minha versão feminina.

 

FANNY – Imaginei que sim. Por isso tenho uma proposta para você.

 

CHARLIE – Tem?

 

FANNY – Posso conseguir magia para nós, mas para isso existe um preço.

 

CHARLIE – Quanto?

 

FANNY – Não em dinheiro, mas sim em vida.

 

CHARLIE – Está falando de…

 

FANNY[Completando] Sim. Sacrifício! Uma boa magia sempre requer sacrifício. Então, aceita?

 

Charlie olha para sua água com gás e depois olha para ela.

 

CHARLIE – Digamos que sim, o que preciso fazer?

 

FANNY – É simples. Explicarei tudo e aí poderemos conseguir o nosso maior desejo.

 

Ela ri e ele a escuta bastante atento.

 

CORTA PARA:

 

CENA 06 – INT – RISING SUN – RESID. SILVÉRIO – QUARTO – NOITE

 

Jack e Halley estão no chão, um de frente para o outro e ao meio estão alguns copos vazios e ele bebe mais um.

 

HALLEY – Você me fez pagar a minha língua. Não aguento mais!

 

Jack ri e aparenta já estar um pouco bêbado.

 

JACK[Rindo] Eu falei que ia te mostrar o quanto eu era capaz.

 

Halley se deita.

 

HALLEY – Estou com a cabeça girando.

 

JACK – Eu estou morto de sono.

 

Ele se levanta, mas acaba tombando e caindo sobre a cadeira do computador. Halley gargalha e depois vai ajuda-la.

 

HALLEY – Você está terrível que nem em pé consegue ficar.

 

Ela o ajuda a levantar e o leva para a cama. Jack anda tombando e acaba caindo sobre Halley na cama.

 

JACK – Desculpa! Eu…

 

HALLEY – Tudo bem.

 

Halley fica olhando para ele e Jack tenta se levantar, mas ela o puxa e o beija, em seguida, ele se afasta.

 

JACK – Não! Eu não posso…

 

HALLEY[Tampando a boca dele] Eu sei que você quer e eu também, não deixe que suas emoções atrapalhem.

 

Ela segura o rosto dele e vai se aproximando e o beija, Jack não resiste e acaba se entregando. Ele retribui o beijo e em seguida, tira a blusa dela. Halley desabotoa sua calça e tira sua calcinha, ela fica totalmente pelada e depois tira a roupa de Jack.

 

JACK – Isso está errado!

 

HALLEY – O que os olhos não veem o coração não sente.

 

Ela o beija novamente e se entregam ao momento e acabam transando.

 

CORTA PARA:

 

CENA 07 – INT – RISING SUN – HIGH SCHOOL M – CORREDOR – MANHÃ

 

Ava caminha apressada e aparenta estar irritada. Gina fecha seu armário e caminha até ela.

 

GINA – Parece que seu dia começou muito bem.

 

AVA[Guardando os livros] Na verdade, está péssimo. O Jack se atrasou e não atende a droga do celular, a Elena foi embora da cidade e eu tenho que lidar com isso.

 

GINA – Sinto muito pela Elena.

 

AVA – Valeu!

 

Ela fecha o armário. David vai a seu armário e Gina suspira olhando para ele.

 

AVA – Você gosta muito dele, não é?

 

GINA[Tímida] Não importa. O David não me olha como eu o olho.

 

AVA – Já falou com ele? Disse o que sente?

 

GINA – Ele já devia ter percebido. Nós já transamos, temos uma relação como namorados, porém ele nunca me pediu oficialmente.

 

Ava desvia seu olhar.

 

AVA – Acho que devia falar com ele.

 

GINA – Quem sabe… [Ela vê Ava incomodada] O que você quer perguntar?

 

AVA – Sabe… O Jack ontem veio querendo… Você sabe.

 

GINA – Transar com você? Pode falar todos aqui sabem o que é isso.

 

AVA – Isso. Porém eu ainda não estou pronta, como foi com você? Digo, a sua primeira vez.

 

Gina a encara.

 

GINA – Foi normal. Eu estava ficando com esse garoto e estávamos na minha casa sozinhos e acabou acontecendo. Eu tinha quinze anos.

 

AVA – Não foi com o David?

 

GINA – Não. O David foi bem depois. O meu primeiro foi… [Ela faz cara de nojo] O Carl!

 

AVA[Surpresa] Carl? O cachorrinho da Phoebe?

 

GINA – Fazer o quê? Nem todas tem sorte de pegar um gato como o Jack no começo, você tem e muita. Eu errei em ter perdido a virgindade com ele, deveria ter pensado mais sobre isso e você saberá quando se sentir pronta. Eu não me arrependo, mas se fosse hoje eu pensaria muito sobre isso.

 

Ava ri.

 

AVA – Obrigada, Gina. Esse papo foi o mais longo e sensato que tivemos desde que nos conhecemos.

 

Gina ri de volta.

 

GINA – Verdade. [Séria] Mas vai pagar meu almoço, já que te ajudei.

 

AVA[Rindo] Tudo bem.

 

Lindsay se aproxima bastante sorridente e agitada.

 

GINA – O que aconteceu?

 

LINDSAY – Acabei de sair da sala da Fanny e ela me nomeou como presidente do comitê de organizações da escola.

 

AVA – Sério?

 

GINA – Que bom. Era tudo o que você queria.

 

LINDSAY – Pois é. E como primeira tarefa, vou desenvolver um tema para a festa que acontecerá em dois dias, para arrecadar fundos para o novo laboratório e sala para artes aqui na escola.

 

AVA – Legal!

 

LINDSAY – Mas não tenho ideia do que fazer. Quero que seja marcado, já que é nosso último ano e eu desejo muito ser reconhecida quando sair como a melhor criadora das festas.

 

GINA – Calma aí, Lindsay.

 

AVA – Porque não faz uma festa a fantasia?

 

LINDSAY[Empolgada] Adorei Ava. Obrigada pela ideia.

 

Ela a abraça e pega uma folha no caderno de Gina.

 

GINA – O que está fazendo?

 

LINDSAY – Preciso anotar o que precisarei. Tenho pouco tempo, licença.

 

Ela passa pelas amigas escrevendo no papel.

 

GINA[Gritando] Espera! Viu a Halley? Ela não voltou ontem para casa.

 

Lindsay não responde.

 

GINA – Surda!

 

AVA[Curiosa] Halley não dormiu na sua casa?

 

GINA – Não. Estou preocupada!

 

Ava fica séria. O sinal toca e elas caminham para a sala.

 

CORTA PARA:

 

CENA 08 – INT – RISING SUN – CASA ESCONDIDA – SALA – MANHÃ

 

Selena desce a escada e Salazar está olhando um grande livro velho. Ela vai em direção à porta, quando ele fecha rapidamente o objeto em suas mãos e vira-se para ela.

 

SALAZAR – Onde pensa que vai?

 

SELENA – Vou procurar a minha filha e me despedir.

 

SALAZAR – Não acho necessário, você sobreviverá ao feitiço.

 

SELENA – Não sabemos. Pode acontecer, mas é um risco que não quero correr e não morrerei sem me despedir da minha garota.

 

SALAZAR – Sem discussão. Você não irá.

 

Ele caminha em direção à escada. Ela o paralisa.

 

SELENA – Será necessário lembrar que eu não sou uma prisioneira, só estou sendo forçada a usar os meus poderes pelo bem da minha filha?

 

Salazar continua imóvel.

 

SELENA – Não tente me controlar, Salazar. Não tenho medo de suas ameaças fracas e tolas, lembre-se que sou a suprema, a bruxa mais poderosa e só estou atendendo aos seus pedidos porque você ameaçou a vida da minha filha e uma mãe sempre vai defender a sua cria.

 

Ela o liberta.

 

SALAZAR[Olhando-a] Muito bem.

 

Ele vai até ela e coloca a mão sobre o coração dela. Selena parece sentir dores.

 

SALAZAR – Sei muito bem que é a suprema, porém você sangra como todas as outras bruxas e pode ser morta, então não me ameace em minha casa e nem tente me intimidar, pois eu odeio ser coagido.

 

SELENA[Esforçando-se]

Você precisa de mim.

 

SALAZAR – Verdade, mas matando você uma nova suprema é escolhida naturalmente, mais nova e mais forte, posso encontra-la e usá-la.

 

Ele para de usar seus poderes e ela respira aliviada.

 

SALAZAR – Permitirei a sua ida, porém não fale nada a ela ou a ninguém sobre o ÉCHANGE ou eu mato aquela garota sem nem tocá-la.

 

SELENA – Não seria tola.

 

Ela vira-se e sai. Louise caminha até ele.

 

LOUISE – Enfrentou a suprema.

 

SALAZAR[Sério] – Comigo aqui, não existe suprema. Apenas um superior, que sou eu!

 

Ele sobe a escada e Louise o observa.

 

CORTA PARA:

 

CENA 09 – INT – RISING SUN – RESID. SILVÉRIO – QUARTO (JACK) – MANHÃ

 

Jack abre os olhos e olha em volta, ele coloca as mãos na cabeça e parece sentir dores.

 

JACK[Reclamando] Droga!

 

Ele se senta e percebe alguém ao seu lado e quando puxa o cobertor, encontra Halley nua e dormindo.

 

JACK [Tenso] – Essa não!

 

Halley vai despertando e ele fica em silêncio.

 

HALLEY – Bom dia, J.

 

JACK – Como viemos parar aqui?

 

HALLEY – Não se lembra?

 

JACK – Lembro-me de estarmos bebendo e depois ficou tudo escuro.

 

HALLEY – Bebemos e você disse que queria vir para cama, eu te ajudei e você me beijou quando estava te cobrindo, daí o beijo acarretou todo o resto.

 

Ele percebe que está pelado e procura sua cueca. Halley levanta ainda nua e pega a cueca dele ao lado da cama e o entrega.

 

JACK – Não devia ter acontecido.

 

HALLEY – Não se preocupe. A Ava não precisa saber disso e também acho que erramos só pelo fato de estar com ela, mas eu sei que você gostou e…

 

JACK[Irritado] Para! Eu não quero entrar em detalhes e preciso me trocar e ir ao colégio.

 

Ele se veste.

 

HALLEY – Não adianta se enganar, Jackson. Eu o conheço e ontem, nós tivemos a melhor noite de sexo sem estarmos juntos.

 

JACK – Eu amo a Ava. Eu desejo ela e o que aconteceu só aconteceu pelo fato de que eu estava bêbado, então não ache que isso se repetirá, pois se for para ser assim, nem sua amizade eu desejo. Prefiro ficar longe!

 

Halley fica séria e pega suas roupas.

 

HALLEY – Realmente percebo agora o grande erro.

 

Ela coloca a blusa e sua calça e pega sua sandália e sai batendo a porta. Jack soca o travesseiro.

 

CORTA PARA:

 

CENA 10 – EXT – RISING SUN – RESID. BROOKS – MANHÃ

 

Molly vem da cozinha, quando a porta é aberta. Ela vê Charlie entrar e esconde o alivio e a tensão.

 

MOLLY – O que veio fazer aqui?

 

CHARLIE – Pedir perdão.

 

MOLLY – Negado, até mais!

 

Ela se vira.

 

CHARLIE – Eu te amo!

 

Molly para e lentamente olha para ele.

 

CHARLIE[Continua] Eu amo você e só percebi quando pensei que te perderia e não é isso que eu quero, estou sendo sincero. Eu amo você, o problema está em mim, eu sou problemático, desconfiado, inconfiável e principalmente teimoso. Não queria ter brigado com você pelos anciões e muito menos pensar em magia, eu só quero que fiquemos bem, só isso.

 

Ela enxuga as lágrimas.

 

MOLLY – É verdade o que disse? Você me ama?

 

CHARLIE [Aproximando-se] – Mais que verdade, é um fato e contra fatos não existem argumentos, então…

 

Molly o cala com um beijo. Charlie retribui e agarra-a bem forte. Molly se afasta e olha aos olhos dele.

 

MOLLY – Não sabe o quanto esperei esse momento.

 

Ela o puxa e sobem a escada.

 

CORTA PARA:

 

CENA 11 – EXT – RISING SUN – PRAÇA – QUASE TARDE

 

Halley está sentada em um banco sob uma árvore que faz sombra onde ela está. Ela olha a foto de Jack pelo celular.

 

HALLEY [Falando Sozinha] – Idiota! Achou mesmo que ele ia te querer fácil assim?!

 

Ela olha em frente e Selena caminha em sua direção.

 

HALLEY [Surpresa] – Mãe?

 

Selena ri e senta-se ao lado dela. Halley a abraça e as lágrimas escorrem pelo seu rosto.

 

SELENA – Também senti a sua falta, querida.

 

HALLEY – Onde esteve?

 

SELENA – Nova Orleans.

 

HALLEY – Sério? Porque fugiu e me deixou com a Lola?

 

SELENA – Foi burrice, eu estava com medo, mas não quero falar disso.

 

HALLEY – Como assim?

 

SELENA [Chorando] – Não tenho tempo, vim me despedir.

 

HALLEY – O quê? Aonde você vai?

 

SELENA – Um lugar que você não entenderia, apenas pode ir e não retornar.

 

HALLEY – Que papo é esse?

 

SELENA – O Salazar me pediu um favor e farei.

 

HALLEY – Está com ele? Você vai ajuda-lo?

 

SELENA – Não tenho escolha.

 

HALLEY – Ele torturou a tia Dora. Ele é um maníaco, me machucou e me libertou. Ele é louco e mesmo assim vai ajuda-lo?

 

SELENA – Precisa me entender. Eu não posso negar-me.

 

Halley se afasta.

 

HALLEY – Então porque veio até mim se está do lado errado? Preferia nem ter visto você se fosse para saber que vai ajudar o miserável.

 

Selena chora ainda mais.

 

SELENA – Ele se ligou a você. Se eu não ajuda-lo, você morrerá.

 

HALLEY[Séria] Como é que é?

 

SELENA – Isso mesmo. O miserável se ligou e se eu não ajuda-lo, ele te mata.

 

HALLEY – Meu Deus! E eu te julgando.

 

Ela abraça a mãe.

 

SELENA – Eu sinto muito!

 

HALLEY – Eu quem sinto. Você não pode quebrar o feitiço?

 

SELENA – Não. É arriscado. Apenas ele pode fazer isso.

 

HALLEY – E de que forma ele quer sua ajuda? Ele quer que a senhora faça algo de ruim, porque se for eu prefiro morrer a ter que suportar saber que ele manipula você.

 

SELENA – Não posso falar, mas tome cuidado, ok?

 

HALLEY[Chorando] Eu te amo tanto.

 

SELENA – Eu te amo muito mais, querida.

 

Ela alisa o rosto da filha e quando Halley pisca os olhos, Selena não está mais lá.

 

HALLEY[Olhando em volta] Mãe?

 

CORTA PARA:

 

CENA 12 – INT – RISING SUN – RESID. BROOKS – QUARTO – TARDE

 

Charlie veste sua cueca e depois a calça, ele olha para Molly que está cochilando e enrolada com o cobertor da cama.

 

CHARLIE[PENSAMENTO – O.S/OFF] Desculpa por isso, mas eu preciso fazer.

 

Ele puxa de seu bolso um lenço e coloca em frente ao nariz de Molly e segura a cabeça dela por alguns segundos, até que ela fica ainda mais mole. Ele guarda o lenço e pega um frasco de seu bolso e procura nas gavetas dela uma agulha, até que encontra.

 

CHARLIE[Olhando a mulher] Não serei um bom pai e nunca serei um bom homem.

 

Ele fura a ponta do dedo dela e pinga o sangue dentro do frasco por alguns minutos, até que o mesmo enche com uma quantidade satisfatória do liquido.

 

CHARLIE[Olhando o frasco] Será o melhor para todos nós!

 

Ele guarda o frasco e limpa a agulha colocando-a ao mesmo local e olha tudo e depois sai do quarto, fechando a porta.

 

CORTA PARA:

 

CENA 13 – EXT – RISING SUN – FLORESTA – NOITE

 

Selena caminha abraçada a Dorothea que acabara de chorar. Louise está em frente a duas pedras enormes com formatos de mesa. Phoebe, Carl, Pablo e Daiane estão mais distantes, porém atentos e ao redor deles estão algumas tochas com chamas.

 

DOROTHEA – Vai mesmo fazer isso?

 

SELENA – Eu preciso.

 

DOROTHEA – Tudo bem. Estarei aqui esperando!

 

Elas se abraçam. Chris está preso em uma das duas pedras, deitado e amarrado nos pés e mãos, ele demonstra nervosismo.

 

SALAZAR – Calma! Um pouco mais e você nem precisará temer tanto.

 

CHRIS – Seu maníaco! Você é uma desgraça para a nossa espécie.

 

SALAZAR[Furioso] Calado!

 

Ele está na outra mesa de pedra. Louise vai até ele.

 

LOUISE – Preparado?

 

SALAZAR – Há bastante tempo! Lembre-se, depois que for feito, jogue a porção sobre o meu corpo e cubra-o.

 

LOUISE – Por quanto tempo ficará inconsciente?

 

Selena se aproxima.

 

SELENA – Depende de como o corpo reagirá.

 

LOUISE – Acho bom fazê-lo acontecer bem, pois você sofrerá caso ele não consiga.

 

SELENA – Cuide de suas obrigações, traidora e deixe que das minhas eu tomo conta.

 

Ela avança, mas Salazar a segura.

 

SALAZAR – Não é hora para isso!

 

Louise o olha e se afasta.

 

SELENA – Podemos começar com isso?

 

SALAZAR – Absolutamente!

 

Ela olha o céu e observa a lua sobre eles.

 

SALAZAR – O que farei?

 

Ela segura firme uma adaga negra.

 

SELENA – Vire-se.

 

Ele se vira e Selena faz um símbolo na nuca dele. Um círculo e ao meio um infinito e dois pontos, o mesmo ela faz na nuca de Chris.

 

SELENA – Bom… Seu espirito será adormecido de seu corpo e arrancado, passando a habitar o corpo do Chris. Poderá passar horas na transição, mas acho que não teremos problemas quanto a isso.

 

SALAZAR – E você? Sobreviverá, não é?

 

SELENA – Exigirá muito esforço. O seu espirito sairá do seu corpo, passará pelo meu e chegará ao dele.

 

SALAZAR – Tudo bem. Comece logo!

 

Selena faz o mesmo símbolo em suas mãos e se posiciona no topo das mesas de pedras. Ela coloca as mãos sobre a testa dos dois e olha para a lua.

 

SELENA [Fechando os olhos – Conjurando] “SANCTUM LUNA SPECTACULUM ISTUD COMMUTATIONEM TESTIS ÉCHANGE”.

 

Ela dita algumas vezes. Os olhos de Salazar e Chris giram e fica brancos, o mesmo acontece com os olhos de Selena. Os corpos sobre as mesas de pedras tremem bastante, algo parece sugar o corpo de Salazar, até que ele fica parado. Selena começa a gritar e a tremer, ela balança sem tirar as mãos das testas deles e Chris parece receber o espirito. Os olhos do corpo de Salazar voltam ao normal e Selena começa a parar de tremer, mas sem abrir os olhos.

 

DOROTHEA[Tensa] Ela está ficando fraca.

 

LOUISE – Ela concluindo o feitiço pode morrer, mas apenas depois de feito.

 

DOROTHEA – Cala essa boca!

 

Chris para de tremer e seus olhos são fechados. O nariz de Selena sangra e ela começa a cuspir mais sangue, ainda com os olhos fechados.

 

Phoebe e os amigos ficam assustados e se afastam um pouco. Dorothea caminha até ela, mas antes de tocá-la, algo Selena é lançada para trás e cai inconsciente. Louise joga a porção sobre o corpo de Salazar e cobre-o.

 

LOUISE[Tensa] Vai dar tudo certo!

 

Dorothea segura à cabeça de Selena e toca no pescoço e no pulso dela, mas parece não senti-los e chora abraçando o corpo da suprema.

 

 

FADE OUT.

 

–FIM DO EPISÓDIO–

Criado e Escrito por:

MARCOS H.

 

Produzido por:

UNBROKEN PRODUCTIONS.

 

Unbroken Productions Original Séries.

2016 – Story Of Witches – Segunda Temporada – Todos os direitos Reservados.