Cena 01 (Eldor – Midlands – Dia)

Fade in

A câmera percorre a cidade com a imagem levemente desfocada mostrando vários pontos, pessoas caminhando pela cidade, no centro há várias barracas comerciais, os guardas patrulham a cidade, crianças brincam na fonte. O sol brilha forte até que de repente tudo fica escuro. As pessoas estranham, curiosamente olham para o céu. A câmera se movimenta até centralizar em uma montanha atrás do castelo. De repente a partir dela surge fogo e várias rochas são lançadas na cidade.

As pessoas começam a correr desesperadamente, um chofar é tocado por um guarda. Inesperadamente gars invadem a cidade sobrevoando e atacando as pessoas. O portão central da cidade é aberto e um exército de morcs entram e destroem tudo pela frente espalhando fogo pela cidade.

CORTA EM FUSÃO PARA…

Imagem aérea mostrando a cidade toda destruída e várias pessoas mortas.

Fade out

Cena 02 (Arghon – Cabana do Mago – Noite – Int.)

Fade in

A imagem vai clareando e ganhando foco aos poucos, até que vemos o teto da casa de Gildore nitidamente. 

Abre em Adrian que vai recuperando os sentidos, o que chama a atenção de Sarah e Gildore que estão sentados à mesa.

Sarah: (Surpresa) Ei veja! Ele está acordando.

Gildore: (Espantado) Mas por Arazi, como isso é possível?

Adrian acorda assustado.

Adrian: O que está acontecendo?

Sarah e Gildore se entreolham.

Fade out

 

Fade in:

Cena 03 (Arghon – Cabana do Mago – Noite – Int.)

Adrian se senta na cama confuso e assustado. Gildore e Sarah se aproximam dele.

Adrian: Onde estou? (Olhando para Sarah) Você?

Gildore: Você já o tinha visto antes?

Sarah: Sim, ele me salvou quando estava sendo perseguida pelos homens de Aladark.

Adrian se levanta confuso.

Adrian: Gildore, o que está acontecendo?

Gildore tenta acalmá-lo.

Gildore: Calma meu jovem, você foi envenenado e veio parar aqui. Esta é Sarah, me ajudou a cuidar de você.

Sarah: Mas como ele pode ter sobrevivido, você havia me dito que ele estava morto.

Gildore: Agora você acredita que ele é o Witcher?

Adrian senta-se na cama ainda confuso e sem entender.

Adrian: Do que vocês estão falando? O que é o Witcher?

Sarah olha surpresa para Gildore.

Sarah: Você não contou a ele?

Gildore: Achei que seria melhor que ele não soubesse.

Sarah: Mas, como pode pensar isso? Você deveria tê-lo ensinado, preparado. Ele tem um grande destino pela frente.

Gildore: E quem é você para decidir o destino de um homem?

Sarah: Eu não, é a profecia.

Adrian levanta-se da cama impacientemente.

Adrian: Chega! Digam-me o que está acontecendo. Que papo e esse de Witcher, de profecia?

Adrian levanta-se da cama impacientemente.

Adrian: Chega! Digam-me o que está acontecendo. Que papo e esse de Witcher, de profecia?

Gildore se inclina na cadeira e respira fundo.

Gildore: (Preocupado) Está bem. Witcher é um herói abençoado e escolhido pelos Deuses, que surgem em um tempo de dificuldades e sofrimento.

Sarah: Você é a esperança que estávamos esperando.

Adrian se mostra confuso se afastando.

Adrian: Não entendo. O que querem de mim? Sou apenas um simples fazendeiro.

Sarah se aproxima e estende sua mão apoiando em seu ombro.

Sarah: Você é muito mais que isso. Você é a nossa esperança de derrotarmos Aladark e todo o mal que ele trouxe.

Adrian: (Confuso) Quem é Aladark?

Gildore se aproxima.

Gildore: Acho que está na hora de você saber toda a verdade. (Pausa…) Primeiro você precisa saber quem é Samoran Aladark.

CORTA PARA…

FLASHBACK

Gildore narra enquanto aparecem as imagens levemente desfocadas.

CASTELO – NOITE – INT.

Imagem mostra Aladark andando em slowmotion por um corredor escuro e estreito de um castelo.

Gildore: Um mago muito poderoso da primeira ordem.

Imagem mostra o rei sentado em seu trono.

Gildore: Ele se tornou conselheiro do rei Victor de Anárion, quando este conquistou o reino de Eldor.

CORTA PARA…

ELDOR – NOITE – EXT.

Imagem mostra geral da grande cidade com várias torres e casas medievais cercada por uma grande muralha ao redor e o castelo na parte mais alta.

Gildore: Eldor se tornou o reino mais poderoso e próspero dos territórios. O rei tinha trazido uma época de paz e prosperidade.

CORTA PARA…

 

CASTELO – NOITE – INT.

Abre numa sala oval escura. No centro há uma bola de cristal sobre um pedestal metálico que emite luz branca iluminando ao redor. Aladark com as mão sobre a bola observa atentamente sem nem piscar os olhos.

Gildore: Um dia, a sede de poder e o orgulho encheram a mente e o coração de Aladark, e a escuridão invadiu seus olhos. Tudo isso por conta de um objeto mágico (foca na bola de cristal), muito poderoso que teve um efeito devastador em sua alma, fazendo-o perder a razão.

CASTELO – QUARTO DO REI – NOITE – INT.

Imagem mostra o rei dormindo ao lado de uma mulher (rainha) sem que possamos ver o rosto dela. A porta se abre lentamente, Aladark entra e caminha até a cama onde o rei está.

Gildore: Aladark então, só pensava em assumir o poder, começando por Eldor. Ele então lançou uma poderosa maldição que caiu sobre o rei. Depois disso o rei jamais pode falar novamente.

Aladark estende a mão sobre a cabeça do rei. Em sua mão uma nuvem que emitem um brilho verde escuro desce como uma brisa sobre o rei.

CORTA PARA…

 

SALA DO TRONO – NOITE – INT.

Abre em Aladark sentado no trono cercado de súditos e guardas. Todos se curvam diante dele.

Gildore: Aladark assumiu o comando do reino como regente. Seus objetivos principais eram conquistar os outros territórios e acabar com aqueles que cruzavam seu caminho. Ele se tornou um tirano.

CORTA PARA…

 

VILAREJO – NOITE – EXT.

Cena mostra uma imagem geral de uma cena de guerra. Soldados de Eldor invadem um vilarejo queimando casas e matando pessoas.

Gildore: Aladark estava conquistando os quatro territórios. Nestes tempos difíceis surgi uma voz vindo da floresta negra. Uma profecia.

COTA PARA…

 

FLORESTA ESCURA – DIA – EXT.

A câmera aérea percorre em alta velocidade mostrando uma grande e densa floresta.

COTA PARA…

 

REINO DA FLORESTA – DIA – EXT.

A cena abre em meio a uma cidade dentro da floresta, com casas sobre as arvores com troncos grossos e longos. No solo há trilhas cercadas com luz brilhante e as copas das arvores cobrem a claridade que vem do céu. Ao redor há pequenas cachoeiras que caem sobre o rio com águas claras que corta a cidade. A câmera percorre a trilha sobre o rio até chegar a um templo feito de pedras douradas e brilhantes. A imagem atravessa a porta do templo até chegar a um altar onde está uma mulher de vestido branco brilhante com um capuz que encobre a cabeça.

A câmera gira 180° até mostrar o rosto da mulher, branco com olhos claros cabelos longos loiros prateados e orelhas pontudas de elfo.

Gildore: Balassui Yiskah, sacerdotisa de Arazi, a grande deusa da floresta e de todas as criaturas vivas. Da sua voz veio a profecia que anunciava a vinda daquele que poderia trazer a luz nos tempos de escuridão. O Witcher estava à caminho. Ele nasceria no primeiro ano da quarta Era.

CORTA PARA…

 

TORRE DO CASTELO DE ELDOR – NOITE – INT.

Imagem mostra Aladark no salão oval diante da bola de cristal meditando com suas mãos sobre ela.

Gildore: Com muito esforço, Aladark descobriu o vilarejo em que o Witcher nasceria. Então para tentar evitar a profecia ele foi até a grande montanha solicitaria do norte.

CORTA PARA…

 

MONTANHA SOLITÁRIA – NOITE – INT.

Imagem mostra Aladark subindo a montanha que está envolvida por nuvens negras e neve. Seguido dele está Wolfric e alguns guardas.

Gildore: Ele sabia que a criatura mais temível pelos homens residia entre os montes. Aladark saberia como despertá-la e como comandá-la.

Imagem mostra Aladark parado sobre a entrada de uma grande caverna escura.

Gildore: Da sua boca saíram as palavras que despertaram o grande dragão do norte.

A câmera fecha o zoom focando no rosto de Aladark.

Aladark: (Com tom de voz imponente) Dragon! Suknja hajde! Lyda mig!

Foca na entrada da caverna. De repente sai o grande dragão rugindo fazendo o chão tremer. Os homens de Aladark se afastam assustados.

CORTA PARA…

 

CABANA PRÓXIMA AO VILAREJO DE EGRON – NOITE – INT.

A cena abre em um quarto com Gildore dormindo em uma cama.

Gildore: Aladark planejava atacar toda a cidade de Egron matando todos os que residiam para ter certeza que o Witcher não sobreviveria. Por sorte, ou talvez não uma voz veio até mim através de um sonho anunciando o terror que se aproximava.

Gildore acorda repentinamente. Ele se levanta e sai rapidamente.

Corta em Gildore cavalgando em alta velocidade para o vilarejo.

CORTA PARA…

CIDADE DE EGRON – ARREDORES DE ELDOR – CASA – INT. – NOITE

A cena abre dentro de uma pequena casa em um quarto improvisado onde há uma mulher com uma criança recém-nascida nos braços. Ao fundo há muitos ruídos e confusão.

A mulher em desespero entrega o menino para Gildore que o recebe em seus braços.

Gildore: Você tinha nascido em Egron no meio do caos. Eu o recebi em meus braços logo depois de seu nascimento. Sua mãe não teve muito tempo de se despedir.

A mulher faz um sinal para Gildore que rapidamente sai com a criança.

CORTA PARA…

ELDOR – NOITE – EXT.

Imagem aérea mostra a cidade em chamas. A câmera se movimenta de baixo para cima até mostrar o dragão azul do Norte sobrevoando a cidade.

CORTA EM…

Gildore fugindo com a criança no braço acompanhado de um anão (Elmo).

Gildore: Fugi para Eldor achando que lá estaria mais seguro, mas o caos se espalhou por lá. Eldor estava perdida, mas minha ida até lá não foi em vão, pois tive ajuda.

A câmera acompanha Elmo correndo em direção ao norte da muralha que cerca a cidade e Gildore o acompanha.

Gildore: Elmo sabia uma passagem secreta para sair de Eldor, mas não foi fácil chegar até lá.

Gildore desvia-se das chamas e várias pedras que caem ao seu redor tentando proteger o bebê que chora em seus braços. Ele continua correndo até que de repente o fogo que vem do alto atinge uma casa a sua frente bloqueando o caminho separando Elmo de Gildore.

Gildore: Foi quando tive que enfrentar algo que jamais havia imaginado. A criatura mais temível de toda a terra.

Gildore olha cautelosamente para o céu, a sombra do dragão passa sobre ele. Ouvimos o bebê chorando. A câmera foca em seu rosto até que se move para o dragão vindo em sua direção.

Gildore: O grande dragão azul do norte.

O dragão pousa em sua frente e o encara, fazendo Gildore recuar para trás onde há uma fonte cheia de agua. O dragão se aproxima cautelosamente, seu pescoço fica vermelho prestes a cuspir fogo.

Gildore levanta sua mão para se proteger, o dragão cospe o fogo que vai em direção a Gildore, ao mesmo tempo que ele faz um movimento com a mão e toda a agua da fonte sai em forma de onda invade seu corpo transformando-se em uma bola de agua protegendo-o das chamas.

O Fogo cessa e em seguida a bola de agua se desfaz. O dragão continua encarando Gildore que segura o bebê nos braços.

Gildore: Aquela foi a batalha mais difícil da minha vida, mas sabia que tinha algo muito precioso nos braços, então não poderia desistir.

Gildore olha para cima e percebe uma pequena torre prestes a cair. Ele estende a mão para a torre e lança um raio que a atinge fazendo-a despencar sobre o dragão.

A torre faz abrir passagem sobre as ruinas onde Gildore encontra-se com Elmo.

Gildore: Após ter derrotado ligeiramente o grande dragão encontrei-me com Elmo e fugimos.

CORTA PARA…

 

FRONTEIRA DE MIDLANDS COM WESTLAND – NOITE – EXT.

A cena abre na fronteira onde a imagem acompanha Gildore com a criança no colo cavalgando chegando a barreira e Elmo atrás. Eles param em frente a barreira e Elmo retira um pingente de seu pescoço com uma pedra brilhante azul. Em seguida ele aponta para a barreira que se abre.

Gildore: Com a ajuda e Elmo e Vodijha atravessei a fronteira. Elmo preferiu ficar, pois tinha uma missão a cumprir.

A barreira se fecha, Elmo monta em seu cavalo e volta para trás.

FIM DO FLASHBACK

A imagem em close no rosto de Gildore com os olhos fechados. Abre o zoom e Gildore abre os olhos.

Gildore: Então foi assim que cheguei até aqui. Conheci Ruffus d’Alanmir, e descobri que no mundo não havia escolha melhor além dele para cria-lo como filho.

Adrian se mostra confuso e perdido.

Adrian: Você está querendo dizer que eu sou um herói que deve salvar o mundo?

Sarah: Você é a nossa única esperança.

Sarah pega sua bolsa e retira de dentro um livro de capa dura feito de madeira.

Sarah: (Mostrando o livro a Adrian) Vê isso? É o livro das sombras. Me foi dado por Elmo para eu trazer até você.

Adrian pega o livro e olha para capa onde vemos um símbolo de dois triângulos juntos formando uma estrela dentro de um círculo.

Sarah: Com ele você vai conhecer os segredos do poder e derrotar Aladark e seu exército.

Adrian observe as páginas em um idioma estranho.

Adrian: Eu não posso ler isto.

A imagem foca na página do livro. De repente as letras mudam a forma. Adrian se espanta e rapidamente fecha a página.

Gildore: Claro que você pode lê-las. Só você pode. Além disso há outra coisa também.

Gildore se aproxima da lareira acesa. Ele se abaixa em frente a lareira, faz um movimento com a mão e de repente surge uma espada em meio ao fogo com um brilho vermelho alaranjado. Adrian se mostra chocado. Gildore puxa a espada do fogo e a leva em direção a Adrian que espantando se afasta.

Gildore: Esta é a Diceblade, a “Espada da Justiça”.

Sarah: Com ela e o livro das sombras você será invencível.

Adrian pega a espada delicadamente e a analisa. Gildore e Sarah se entreolham sorrindo, mas de repente Adrian aponta a espada para eles.

Adrian: Para trás! 

Sarah: (Confusa) Mas o que está fazendo?

Adrian: Fiquem longe de mim! Acham que vou acreditar nesta fantasia? Desde que te conheci minha vida virou um inferno!

Gildore tenta se aproximar.

Gildore: Calma meu rapaz, eu sei que tudo parece sem sentido agora, mas…

Adrian faz um pequeno gesto ameaçador fazendo com que Gildore se afaste.

Adrian: Vocês são loucos. Fiquem longe de mim. Vocês dois.

Adrian pega o livro e sai pela porta.

CORTA PARA…

CABANA DO MAGO – NOITE – EXT.

Ele vai em direção ao cavalo parado ao lado da casa e monta sobre ele. Gildore e Sarah o seguem.

Sarah: Adrian! Aonde vai?

Adrian: (Confuso) Vou para casa. Não me sigam.

Adrian conduz o cavalo a dar meia volta e sai cavalgando em direção a trilha.

Sarah: E agora?

Gildore: Deixe-o ir.

Sarah: O que? Não vamos atrás dele?

Gildore: Não. Deixe-o seguir sua consciência. Ele deve descobrir a verdade por si mesmo.

Gildore entra em sua casa e Sarah observa a trilha durante alguns segundos. Em seguida ela entra na casa.

CORTA PARA…

 

Cena 04 (Arghon – Floresta – Noite – Ext.)

A imagem aérea mostra Borowir empunhando uma espada, conduzindo seu cavalo em alta velocidade como se estivesse fugindo de algo. Ele olha para trás e vemos um drakor seguindo-o pelo ar. A criatura sobrevoa e ultrapassa Borowir que tenta acertá-la com a espada, mas não alcança. O Drakor dá a volta e voa de encontro a Borowir que o encara e ergue sua espada.

Borowir: Venha!

A criatura mostra os dentes e voa em direção a Borowir que vai de encontro a ela. O drakor se aproxima e se choca com a espada de Borowir que corta sua cabeça com um só golpe. A imagem acompanha Borowir de frente cavalgando em seu cavalo olhando para trás, vemos a criatura caída no chão.

CORTA PARA…

Cena 05 (Arghon – Vilarejo – Noite – Ext.)

A cena abre em Borowir em seu cavalo chegando ao vilarejo. Ele para e se surpreende com o que vê.

Borowir: Pelos espíritos! O que é isso?

Corta em um jovem casal sendo perseguidos por um drakor. O rapaz tropeça em uma pedra e cai, a mulher para e tenta ajudá-lo.

Homem: Deixe-me! Fuja.

Mulher: Não vou deixá-lo.

O drakor pousa na frente deles e os encara. Em seguida ele dá um impulso para atacá-los quando inesperadamente uma espada atravessa seu corpo o matando. A criatura cai e vemos Borowir tirando sua espada dela já morta.

Borowir: Fujam daqui.

O homem acena a cabeça agradecendo e rapidamente foge com a mulher. Borowir olha um grupo de guardas protegendo a entrada do palácio do conselho com medo, e em seguida vai em direção a eles. Um dos guardas o observa e sorri ao vê-lo.

Guarda: Borowir! É Borowir chegando!

Borowir passa pela cidade desviando-se dos drakors, onde alguns são atingidos por flechas atiradas pelo grupo de guardas. Borowir consegue chegar até eles.

Guarda: Borowir que bom vê-lo.

Borowir desce do cavalo.

Borowir: O que são essas coisas?

Guarda: Não sabemos! Eles são muito rápidos, mal conseguimos acertá-los.

Borowir: E o conselheiro? Preciso lhe dar uma notícia.

Guarda: Ele está protegido dentro do palácio.

Borowir observa a cidade sendo destruída pelo ataque.

A câmera foca em um guarda numa das torres da cidade apontando uma flecha. Ele atira em direção a um drakor que desvia e a flecha segue atingindo o sino da pequena torre do palácio fazendo-o balançar. O vibrar do sino incomoda o drakor que não consegue voar e acaba caindo dentro de um estábulo em chamas. Borowir observa e se mostra animado.

Borowir: Preciso de um arco.

Um dos guardas oferece seu arco a Borowir.

Borowir: Deem-me cobertura.

Borowir monta no cavalo e parte em direção a torre do sino, enquanto os guardas atiram flechas dando cobertura a Borowir. De repente um drakor vem em sua direção, ele rapidamente aponta o arco e atira uma flecha em direção a criatura. A câmera viaja acompanhando a flecha que passa ao lado do drakor e vai em direção a torre até que atinge o sino. Com o barulho o drakor acaba caindo no chão, e em seguida Borowir o ataca com a espada matando-o.

Borowir olha para o grupo de guardas.

Borowir: Atirem no sino!

Um dos guardas aponta para o sino e os outros fazem o mesmo. Eles começam a atirar flechas no sino fazendo-o balançar. Os drakors começam a ficar incomodados com o barulho. Borowir para em frente a torre e desce do cavalo.

Em seguida ele sobe rapidamente até o topo, pega uma corda que está pendurada e a balança fazendo soar o sino. Os drakors começam a enlouquecer e acabam voando fugindo do barulho.

Borowir: (Sorrindo vitorioso) É isso aí! Saiam! Vão embora seus malditos!

A câmera aérea acompanha os drakors deixando a cidade. Os guardas e os sobreviventes da cidade gritam vitoriosos!

CORTA PARA…

Cena 06 (Arghon – Casa – Noite – Ext.)

Adrian cavalga em seu cavalo até que para ao ver um clarão a sua frente.

Adrian: (Surpreso) Pelos Deuses!

A imagem mostra a casa de Adrian em chamas. Ele desce do cavalo e se aproxima da casa, mas se incomoda com o calor. Ele dá a volta pelos fundos.

Adrian: (Preocupado) Pai!

Ao dar a volta ele vê seu pai deitado no chão apoiado em uma pedra ao lado da casa.

Ruffus: Adrian!

 Adrian rapidamente vai ao seu encontro.

Adrian: (Surpreso) Pai!

Adrian se aproxima e percebe que seu pai está gravemente ferido na barriga. Preocupado ele se abaixa.

Ruffus: (Falando com dificuldade) Adrian! Meu filho, você está bem?

Adrian: (Confuso) Sim meu pai, tudo vai ficar bem. Preciso levar o senhor a um curandeiro.

Ruffus: Já é tarde demais. Você foi até Gildore?

Adrian: Sim, mas eu não entendo. Por que me mandou ir até ele? Ele disse coisas que não fazem sentido. Ele mentiu não foi? Ele é louco!

Ruffus balança a cabeça negativamente.

Ruffus: Não meu filho! Tudo que Gildore disse é verdade. Você é o que ele falou que você é.

Adrian: (Confuso) Mas… (pausa) Então o senhor não é meu pai.

De repente lagrimas saem dos olhos de Ruffus e ele pega nas mãos de Adrian.

Ruffus: Você sempre será meu filho. Tendo meu sangue ou não, eu sempre te amarei Adrian, meu filho.

Ruffus fechas os olhos e para de segurar as mãos de Adrian, que o movimenta tentando acordá-lo.

Adrian: Pai! Pai! (Chorando) Não, por favor.

Adrian se apoia no corpo de Ruffus. De repente ouve-se algo se movendo na floresta e uma forte brisa faz as arvores balançar.

Adrian se vira para trás cautelosamente e retira a espada da capa presa a cintura e com ela vai caminhando lentamente em direção a floresta.

Adrian: Quem está aí?

A imagem mostra a floresta escura e inesperadamente surgem três drakors voando que pousam cercando Adrian que se mostra assustado.

Adrian: Pelos espíritos o que é isso?

Adrian levanta a espada para se proteger. Close na lâmina que emite um brilho levemente avermelhado. Os drakors se entreolham curiosos e surpresos, um deles observa o cavalo de Adrian que na cela está preso o livro das sombras.

Adrian: Para trás!

Um dos drakors se movimenta rapidamente e dá um salto sobre Adrian fazendo-o derrubar a espada e cair no chão. Em seguida o drakor pula sobre ele impedindo-o de levantar, dá um rugido e se prepara para atacá-lo quando de repente uma bola de fogo atinge o drakor o atirando para longe.

A imagem mostra Gildore com as mãos levantadas e ao seu lado Sarah. Adrian se levanta rapidamente enquanto os drakors se afastam e se aproxima de Gildore.

Sarah: Você está bem?

Adrian: Sim. O que são eles?

Sarah: São drakors, vampiros da lua cheia.

Adrian: O que fazem aqui?

Gildore: Eles não atravessaram a fronteira por acaso, estão a serviço do “Guardião” e de Aladark.

Gildore avança enquanto os drakors se afastam temendo-o. Um dos drakors voa sobre o cavalo de Adrian e pega o livro das sombras. Gildore aponta para ele.

Gildore: Vatra sphère!

Imediatamente uma bola de fogo sai da mão de Gildore sendo atirada em direção ao drakor, porém ele desvia. Em seguida todos eles fogem com o livro.

Sarah: Não! Eles se foram!

Gildore: Sim! Infelizmente perdemos o livro das sombras, a arma mais poderosa já conhecida. Provavelmente eles vão leva-lo a Aladark que irá utilizá-lo para dominação do mundo.

Adrian cabisbaixo se senta no chão com uma expressão desanimadora.

Adrian: Foi tudo minha culpa. Meu pai está morto e agora Aladark terá o poder nas mãos. Eu falhei.

Sarah: Não! Eles se foram!

Gildore: Sim! Infelizmente perdemos o livro das sombras, a arma mais poderosa já conhecida. Provavelmente eles vão leva-lo a Aladark que irá utilizá-lo para dominação do mundo.

Adrian cabisbaixo se senta no chão com uma expressão desanimadora.

Adrian: Foi tudo minha culpa. Meu pai está morto e agora Aladark terá o poder nas mãos. Eu falhei.

Gildore se abaixa e apoia a mão em seu ombro.

Gildore: Não meu jovem. Ainda é muito cedo para falar disso. Você é o Witcher, não está previsto em seu destino desistir assim tão facilmente.

Adrian: (Desanimado) Mas o livro foi levado, e eu nem sequer poderia ter impedido. Se vocês não chegassem a tempo eu estaria morto.

Gildore: Os Witchers não nascem sabendo das coisas. Nem sempre estão prontos, ou na maioria dos casos não sabem que estão. Por isso eu e Sarah estaremos com você, isso se aceitar nossa ajuda.

Gildore pega a espada Diceblade e a entrega para Adrian. Em seguida ele se levanta e a segura com firmeza, a espada começa a emitir um brilho.

Adrian: Então me ensine.

Gildore e Sarah dão um sorriso.

CORTA PARA…

Cena 07 (Palácio do Conselho – Noite – Int.)

A cena abre em uma grande janela onde se vê a geral da cidade toda destruída e vazia. A câmera abre o zoom se distanciando da janela até mostrar o conselheiro que olha por ela com as mãos para trás. Um homem chega pelas suas costas e vemos que é Wolfric.

Wolfric: Eu avisei que ela traria destruição as suas terras.

O conselheiro se vira e encara Wolfric com uma expressão abatida. A imagem mostra o restante do salão vazio e escuro, iluminado apenas pelas velas sob a retangular mesa e o fogo da lareira.

Conselheiro: O que devo fazer?

Wolfric: Dê-me alguns homens, armas e permissão para caçá-la e eu a trarei para você antes do amanhecer.

Conselheiro: Mas meu irmão…

Wolfric: Esqueça! Ele agora está sob domínio da bruxa.

De repente Borowir entra no salão com um olhar desconfiado. O Conselheiro sorri ao vê-lo.

Conselheiro: Borowir! Que bom que está aqui. Preciso que vá buscar meu pai…

Borowir abaixa a cabeça com uma expressão triste e o Conselheiro estranha.

Borowir: Sinto muito meu senhor, mas Ruffus está morto. Sua casa foi incendiada.

Conselheiro: (Surpreso) O que? (Preocupado) Como assim?

Borowir: Sim, meu senhor. Não foi possível salvá-lo.

O conselheiro se senta inconformado, em seguida Wolfric se aproxima dele.

Wolfric: Me escute. Veja a cidade, o povo. Até mesmo sua família foi destruída por ela. Deixe que eu vá à sua procura e lhe prometo que a trarei para você.

Conselheiro: Que assim seja. Vá com alguns homens e traga ela para mim e o meu irmão também.

Borowir dá um passo à frente.

Borowir: (Em tom de protesto) Meu senhor, acha que este homem é digno de nossa confiança? E Adrian é seu irmão, não faria nada para nos prejudicar.

Conselheiro: Adrian não é meu irmão.

Borowir: (Surpreso) Como assim?

O conselheiro caminha desolado observe a cidade destruída.

Conselheiro: Vá Wolfric e traga os traidores.

Wolfric: Como quiser.

Wolfric deixa o salão. Borowir chocado se aproxima do conselheiro.

Borowir: Meu senhor, acha mesmo que pode confiar neste homem?

Conselheiro: Vá Borowir e o siga.

Borowir sorri esperançoso.

Borowir: Sim meu senhor.

Borowir deixa o salão. A câmera foca o conselheiro de costa olhando para cidade através da janela.

CORTA PARA…

 

Cena 08 (Floresta de Null – Noite – Ext.)

A cena abre em meio a floresta a noite com a lua cheia iluminando-a. A câmera mostra de cima um círculo de fogo e Adrian no meio. Gildore se aproxima do círculo com um saco dourado nas mãos e Sarah assiste mais distante.

Gildore: Está pronto?

Sarah pega a espada e a segura enquanto Gildore despeja na mão um pó dourado que sai do saco e começa a andar em volta do círculo enquanto fala.

Gildore: Adrian d’Alanmir, seu caminho será longo e incerto. Você irá percorrer esta jornada?

Adrian: (Convicto) Sim.

Gildore: Você deixará para trás amigos, parentes e tudo que conhece para seguir em seu destino?

Adrian: Sim!

Gildore: Mesmo com as forças do mal prometendo trazer a sua morte, você irá permanecer nesta jornada?

Adrian: (Respira fundo) (Pausa…) Sim!

Gildore: Então irá aceitar o nome do Witcher e cumprir seu destino?

Adrian: (Pausa… Respirando fundo) Sim!

Sarah entrega a espada para Gildore que entra no círculo de fogo e a entrega para Adrian no qual a segura com firmeza. Em seguida Gildore atira o pó sobre o fogo fazendo as chamas ficarem maiores em volta de Adrian.

Gildore: (Em tom forte e alto) Adrian d’Alanmir, eu Elbereth Van der Gildore, mago da “Primeira Ordem” o nomeio o Witcher!

Adrian levanta a espada para o alto, em seguida um raio que vem do céu atinge a espada fazendo com que ela emita um brilho azul metálico.

CORTE BRUSCO PARA…

 

CASTELO (QUARTO DE ALADARK – INT – NOITE)

Abre em Aladark acordando assustado em sua cama com o som do trovão.

Aladark: O que?

Foca em sua expressão de medo enquanto o som do trovão e a claridade dos relâmpagos brilham pela janela do quarto.

Aladark: Impossível!

De repente entra no quarto um homem alto vestido com uma armadura e uma espada na cintura.

Homem: Algum problema milorde?

Aladark: (Preocupado / Ansioso) Reúna os guardas e chame o Fiennes!

Homem: Sim milorde.

O homem sai rapidamente pela porta. Close no rosto de Aladark apavorado.

CORTA PARA…

 

Cena 09 (Eldor – Torre do Castelo – Noite – Int.)

A cena abre no grande salão oval com Aladark parado em frente ao pedestal olhando a bola de cristal. De repente um velho homem vestido com uma armadura onde há uma capa dourada nas costas.

Homem: Aconteceu alguma coisa milorde?

Aladark: (Olhando para a bola de cristal) Sim Fiennes. Algo muito grave. Algo que eu pensei que você tivesse resolvido no passado.

Fiennes: (Estranhando) O que houve milorde?

Aladark se vira para Fiennes com um olhar sério.

Aladark: O Witcher está vivo.

Foca na expressão de surpresa de Fiennes.

Fiennes: Isso é impossível milorde.

Aladark: Não! Não é. Por 21 anos eu dormi tranquilo, mas acabei de ter um sonho. Uma visão. Eu vi o Witcher sendo nomeado. Você falhou Fiennes.

Fiennes se afasta de Aladark amedrontado.

Fiennes: Me dê mais uma chance milorde e eu acabo com ele.

Enquanto Fiennes se afasta Aladark se aproxima dele.

Fiennes: Não Fiennes, você envelheceu. Já está na hora de você dar lugar a outro. Sou grato a você por tudo que fez por mim, mas seu tempo já acabou.

Aladark estende a mão para Fiennes em sinal de agradecimento.

Fiennes: Se é assim que meu senhor deseja.

Fiennes responde a gratidão e dá a mão para Aladark que a segura forte. Neste momento Aladark retira da cintura uma adaga e corta o pulso de Fiennes, fazendo cair no chão agonizando.

Aladark: Obrigado Fiennes.

Aladark leva a adaga até um cálice e pinga o sangue de Fiennes na taça. Em seguida ele vai até uma estante e retira um livro grande de capa dourada escura e o abre, pega uma pena e molha no sangue dentro do cálice, e a seguir escreve no livro.

A câmera foca em Fiennes no chão morto com uma expressão de pânico no rosto.

CORTA PARA…

 

Cena 10 (Midlands – Castelo – Noite – Int.)

A imagem abre em um salão de um castelo em algum lugar de Midlands onde um velho homem de cabelos castanhos longos e aparência idosa lendo um livro parecido com o de Aladark.

Close no livro e vemos na página em branco, palavras escritas com sangue surgindo. O velho homem as lê com atenção, de repente chega um guarda e observa curiosamente.

Guarda: Aconteceu algo mestre?

Mestre: Ordens de Aladark. Ele quer que reúna o exército e os magos. Ordena que se direcionem para Westland imediatamente.

Guarda: Entendido!

O guarda rapidamente sai. O mestre se mostra surpreso.

 

CORTA PARA…

Cena 11 (Floresta de Null – Noite – Ext.)

A cena abre com a imagem em close numa fogueira acesa onde vai se a brindo. Sentados ao redor da fogueira estão Adrian e Sarah e em pé mais distante está Gildore.

Adrian: Por que paramos? Precisamos recuperar o Livro das Sombras.

Gildore: Agora está escuro e há drakors à solta. Melhor esperarmos amanhecer para prosseguirmos. Além disso as criaturas não poderão atravessar a fronteira.

Sarah: Faz sentido.

Adrian: Mas o inimigo está cada vez mais próximo da fronteira e nós estamos mais distante dele.

Gildore se aproxima.

Gildore: Meu jovem, as vezes para ganhar terreno, é preciso recuar.

Adrian: (Confuso) Mas isso não faz sentido.

De repente eles ouvem um ruído que vem da parte mais fechada da floresta. Sarah se levanta rapidamente e pega sua espada. Adrian retira sua espada da cintura.

Adrian: O que foi isso?

Gildore: Algo se aproxima.

Silencio em clima de suspense. De repente drakors aparecem ao redor saindo da mata.

Adrian: Cuidado!

Eles se afastam sendo cercados por 10 drakors que se aproximam deles. Imagem fecha nos três.

CORTA PARA…

 

Cena 12 (Floresta de Null – Noite – Ext.)

Cena segue fechada em Borowir cavalgando em seu cavalo rapidamente na floresta até que para em um local aberto. Imagem aberta mostra vários homens brutalmente mortos. Borowir desce do cavalo e lentamente se aproxima dos corpos. Vemos que são os mesmos soldados que partiram com Wolfric.

Borowir: (Chocado) Meu Deus!

Close em Borowir que se mostra desconfiado.

CORTA PARA…

Cena 13 (Palácio do Conselho – Noite – Int.)

A cena abre no salão vazio onde o conselheiro está sentado em frente a lareira tomando um cálice com uma expressão pensativa. De repente uma luz clara como um relâmpago reflete em seu rosto vindo da janela. Curioso ele se levanta e vai até a janela.

Outro clarão reflete. De repente um soldado entra no salão com uma expressão apreensiva.

Soldado: Milorde! A fronteira está sendo atacada.

Conselheiro: (Surpreso) O que?

Soldado: Soldados de Midlands e de outras partes. Aladark está nos atacando. Estão tentando entrar em nossas terras.

Close no Conselheiro que se mostra preocupado.

CORTA PARA…

Cena 14 (Fronteira – Noite – Ext.)

A cena abre mostrando fronteira com Westland. A cam aérea atravessa a fronteira e viaja mostrando o campo onde vemos um grande exército e várias catapultas gigantes. Bolas de fogo gigantes são atiradas em direção a barreira se chocando e provocando uma explosão, gerando assim um clarão de luz intensa. A cada explosão a barreira brilha menos e vai ficando mais fraca.

Imgem vai se distanciando.

CORTA EM TELA PRETA.

 

CONTINUA…

 

FIM DO EPISÓDIO.

CRIADO POR:

Douglas Souza

ELENCO:

Craig Horner: Adrian d’Alanmir

Kristen Stewart: Princesa Sarah

Bruce Spence: Gildore (Mago da Montanha)

Clive Standen: Borowir 

Rory McCann: Argos Wolfric

Gethin Anthony: Adriel d’Alanmir (Concelheiro)

Peter Dinklage: Elmo (O Duende)

Joseph Fiennes: Samoran Aladark

PRODUZIDO POR:

Douglas Souza

Clayton Correia

Bruno Junior

PRODUTORES EXECUTIVOS:

Cristina Ravela

Douglas Souza

ESCRITO E DIRIGIDO POR:

Douglas Souza

PRODUÇÃO:

Moonlight Pictures

Unbroken Productions

Todos os direitos reservados ©