FADE IN

 

REGINA (V.O): Eu só queria a chance de poder me manter em pé, firme e forte, e buscar o meu pai onde ele estivesse, mas o rumo com que as coisas tomaram, ficaram tão distorcidos, que eu me tornei alvo de mim mesma, e agora tenho apenas uma escolha, seguir o que eu acredito ou ser induzida pelas pessoas más. É uma escolha que somente eu tenho que fazer, e sem arrependimentos tenho que enfrentar.

 

CORTA PARA:

CENA 1 – INT – ESTRADA – NOITE

Regina está sentada na estrada asfaltada, seus olhos estão fechados, ela abre, e olha para Alexandre com ódio.

REGINA (gritando): Chega Alexandre, eu não quero mais mentiras e mentiras, é hora de você me contar toda a verdade. Você é meu pai de verdade?

ALEXANDRE (confuso): Eu não sei Regina, sua mãe sempre foi contra o nosso amor, ela queria apenas o Maurício, e ela nunca me disse nada, só que hoje eu percebo que a história que a Elisa te contou, faz todo sentido.

REGINA: Sabe, eu prefiro acreditar, e sempre será dessa forma, que meu pai é o Maurício, que soube me educar muito bem, e sou tudo que sou hoje, graças a ele. Você é um monstro, eu nunca teria se quer um pingo de orgulho de ter você como pai. Eu te mataria nesse instante (pausa)

Regina pega uma faca escondida em seu bolso. Ela coloca sobre o pescoço de Alexandre.

REGINA (com ódio): Eu cansei desse seu jogo patético de ir me contando migalhas e migalhas, me diz logo onde está meu pai, ou eu juro que te mato nesse instante, e não terei piedade nenhuma.

ALEXANDRE (calmo): Regina, eu não faço ideia onde está o seu pai, mas eu acho que quem tem a ver com ele pode ter sido a Elisa, faz todo sentido!

Regina retira a faca do pescoço de Alexandre e sai correndo irritada.

 

CORTA PARA:

CENA 2. CASA DOS TOWER – INT

Elisa está em casa, quando toma um SUSTO com o barulho da campainha. Ela abre a porta e se depara com Regina com um policial. Elisa fica irritada.

ELISA (irritada): O que vocês fazem na minha casa?

POLÍCIA: É verdade que a senhora está escondendo o pai desta moça?

REGINA: Eu cansei senhora Elisa, depois que a senhora tentou me matar na estrada, ou pelos tentou me dar um susto, eu percebi que a malvada dessa história toda é a senhora. E eu quero saber onde está o meu pai.

ELISA: Eu não sei onde está o pai dessa garota!

REGINA: Me fala logo!

ELISA: Querem revistar a casa? Fiquem à vontade.

POLICIAL: Com licença.

O policial entra na casa. Regina e Elisa se encaram dos pés à cabeça. Elisa fala baixinho.

ELISA: Você tira esse policial aqui de casa, e eu te revelo onde está seu pai.

Regina vai até o policial.

REGINA: Eu acho que eu estava enganada, me desculpe.

POLICIAL: Tudo bem, mas se souber de alguma pista avise a gente.

REGINA: Esse seria o seu trabalho né, mas sim se eu souber de algo eu aviso. Muito obrigada!

O policial se retira.

ELISA: Muito bom! Agora eu vou te mostrar onde está o seu pai, venha comigo até o carro.

REGINA: Vamos logo.

Regina e Elisa vão até a garagem.

 

CORTA PARA:

CENA 3. ESTRADA  – CARRO –  INT

Elisa e Regina estão dentro do carro. Elisa acelera rapidamente. Regina fica com medo.

REGINA: Pra onde você está me levando?

ELISA: Pra onde eu escondi seu pai!

REGINA: Eu espero que seja verdade.

ELISA (rindo): Tá com medo garota?

REGINA: Eu não tenho medo de nada.

CAM COLOCA UM REFLEXO NAS DUAS. O carro estaciona em uma rua sem saída. Regina fica cada vez mais com medo. Um reflexo se aproxima cada vez mais das duas. Elisa ri sem parar.

ELISA: O seu pai está naquela cabana!

Regina vai se aproximando de um barraco todo marrom. Ela fica com medo, e vai se aproximando cada vez mais, o reflexo do sol impugna sua mente, mas ela continua a andar. Ao chegar perto da cabana, ela bate na porta. Um homem abre a porta. Ela o encara tentando reconhecer, mas percebe que é um estranho.

REGINA: Você conhece algum Maurício?

HOMEM: Não moça, entra aí.

Regina entra, e o homem a serve um café.

HOMEM: Ele esteve por aqui por algum tempo, mas ele fugiu.

REGINA: Como assim fugiu?

HOMEM: Eu ganhei essa cabana do meu pai, eu descobri que ele era um homem muito mal, ele mantinha seu pai e mais outras pessoas em cativeiro.

Regina fica perplexa.

REGINA: Você tem alguma pista? Alguma direção? (pausa) Eu preciso ver o meu pai. Eu não aguento mais.

Regina se senta em uma cadeira de madeira.

REGINA (chorando): Em toda direção que eu vou eu não encontro ele. Estou cansada de tantas mentiras, tantas incógnitas, eu quero o meu pai!

HOMEM: Olha antes do seu pai sair, ele estava muito machucado, e acabou deixando cair um pedaço de papel que tinha as seguintes letras ST. Não faço ideia do que seja. É só isso.

REGINA: Tudo bem muito obrigada.

Regina olha para o papel em cima da mesa, e se emociona ao reconhecer a letra de seu pai.

REGINA (V.O): Finalmente eu tenho uma pista de que realmente o senhor esteja vivo, eu vou te encontrar!

Regina volta para o carro.

CORTA PARA:

CENA 4 – INT – ESTRADA – NOITE

No carro. Elisa e Regina conversam.

REGINA: Será que agora você pode me contar toda a verdade?

ELISA: O seu pai é viado Regina!

REGINA: Que história é essa?

ELISA: Ele teve um caso com o Alexandre, e eu peguei os dois se beijando, foi aí que eu fiquei louca.

REGINA: E por que vocês prenderam minha mãe?

ELISA: Então cala  a boca! Deixa eu contar! O Alexandre nutria um forte amor pela sua mãe e pelo seu pai, ele é bissexual, mas a sua mãe só sentia nojo do Alexandre, então foi aí que ele sequestrou a sua mãe, para que ela pudesse ceder aos encantos dele, mas não funcionou. Então, eu acabei me envolvendo com seu pai, mas eu descobri que ele tinha se envolvido comigo apenas para descobrir o paradeiro da sua mãe, então resolvi isolar ele nesta cabana durante todo este tempo.

REGINA: Meu Deus, você é cruel Elisa!

ELISA: Eu sou capaz de tudo para conseguir o que eu quero!

 

REGINA: Eu nunca vou te perdoar pelo que você fez com a minha família!

Regina dá um tabefe em Elisa e cospe no rosto dela. Logo em seguida ela pega uma faca do seu bolso e coloca no pescoço de Elisa.

REGINA: Eu vou te matar! Essa vai ser a minha vingança!

Alexandre aparece.

ALEXANDRE: Não faz isso!

REGINA: Ah chegou o homem bonzinho, que sequestrou minha mãe por quase 20 anos!

ALEXANDRE: Eu fiz isso por que a amava.

REGINA: Você acha que sequestrar as pessoas é amor? Droga você é meu pai, não pode ser verdade!

ALEXANDRE: Eu sou seu pai, e você precisa aceitar isso.

REGINA: Nunca, eu preferia ver você morto.

ALEXANDRE: Cala a boca garota, e solta esta faca.

Regina larga a faca e chora sem parar. Ela sai do carro aos prantos.

 

ELISA: Sua filha não consegue nem matar uma mosca.

ALEXANDRE: Ela puxou a mãe dela, honesta, batalhadora e guerreira.

ELISA: Você sempre falando bem daquela ordinária. Eu odeio!

ALEXANDRE: Eu te odeio Elisa, eu quero o divórcio!

ELISA: Esqueceu o que eu sei de você? Dos seus podres e de tudo que você fez?

ALEXANDRE: E esqueceu que você matou a mãe da Carlota? Esqueceu do vídeo?

ELISA: Então, estamos juntos nessa!

ALEXANDRE: Não, eu não tenho mais nada a perder. Eu quero me tornar uma pessoa boa Elisa.

ELISA: Você vai é morrer, pessoas boas morrem cedo.

ALEXANDRE: Cala  a boca Elisa!

Elisa sorri.

CENA 5 – INT – POSTO DE GASOLINA – NOITE

Regina vai até o posto de gasolina, e pede um telefone.

Ela liga para Vitor.

REGINA (no telefone): Eu preciso que você venha me buscar amigo, eu já tenho pistas do meu pai, e agora precisamos buscar minha mãe.

A imagem corta.

CORTA PARA:

CENA 6 – INT – CATIVEIRO – NOITE

Regina se reencontra com sua mãe. Alexandre sorri.

ALEXANDRE: Tudo bem, eu vou deixar você livre Marília.

REGINA: Mamãe, eu te amo muito!

MARÍLIA: Por que depois de vinte anos você vai me deixar livre?

REGINA: Por que ele descobriu que sou filha dele.

MARÍLIA: E quem contou isso pra vocês?

ALEXANDRE: Foi a Elisa!

MARÍLIA: Filha, isso é mentira, o seu pai é o Maurício, eles te contaram uma história absurda!

Elisa fecha a porta com cadeado. Alexandre, Marília e Regina ficam presos em uma sala no cativeiro.

ELISA: Sim, isso mesmo, era tudo mentira. E os bobões acreditaram! Agora vão ficar aí até virarem pó, com licença.

Elisa se retira, e fecha a porta de ferro. Ela ri descontroladamente.

ALEXANDRE: Meu Deus, essa mulher é mais louca do que eu imaginava.

REGINA: E agora mamãe, como vamos sair daqui?

MARÍLIA: Filha, o importante é que estamos juntas.

ALEXANDRE: E eu cai no papo dela, que você era minha filha.

MARÍLIA: Você e a Elisa se merecem, sempre foram ruins.

ALEXANDRE: Eu quero me tornar um homem bom Marília.

MARÍLIA: Eu percebo, você acha que eu caiu nessa? Depois de tanto tempo.

REGINA: Parem de brigar, é nesse momento que temos que nos unir para encontrar uma saída, nesse momento o Vitor deve estar me procurando.

A CAM se afasta desfocando.

CORTA PARA:

CENA 7 – EXT – CATIVEIRO – NOITE

Vitor e Elisa se encontram fora do cativeiro.

ELISA: Eu não acredito que ela trouxe o amigo junto.

VITOR: Pois é, cadê minha amiga?

ELISA: Ela está lá dentro com a mãe dela, as duas tiveram um reencontro em família.

VITOR: Aonde? Me leva até lá!

Elisa leva Vitor, abre a porta de ferro.

VITOR (se aproximando): Regina, vamos embora!

REGINA: Vitor, não deixa ela…

Elisa tranca Vitor dentro do cativeiro também. Todos se desesperam. A imagem congela.

FADE OUT

ESCRITA POR:

Vinicius Henzel

ELENCO:

Giovana Antonelli: Regina Oliveira

Bruno Ferrari: Rafael Tower

Lilia Cabral: Marília Oliveira

Gabriel Braga Nunes: Alexandre Tower

Murilo Benicio: Maurício Oliveira

Bruna Marquezine: Daniela Nascimento

Thiago Fragoso: Vitor Silva

PRODUÇÃO:

UNBROKEN PRODUCTIONS

Todos os direitos reservados ©