CAPÍTULO 01

 

SONOPLASTIA: Katy Perry – Rise

 

REGINA (V.O): Em todo lugar eu paro alguns instantes e tento pensar sobre quem eu fui algum dia, e percebo que no mesmo instante em que eu estou escrevendo isso, o tempo transforma quem eu sou antes, em outra pessoa totalmente diferente. Somos como uma evolução desenfreada, mudamos a cada segundo, e nós mesmos não percebemos essa mudança, somente quem está ao nosso redor. A história que você vai ler a seguir não é uma história sobre vingança, mas sim sobre descobertas.

 

FIM SONOPLASTIA

FADE IN

 

CENA 1. INT. AEROPORTO. SÃO PAULO. NOITE

 

Muito movimento. Entre várias pessoas, Regina, (uma mulher de aproximadamente 26 anos, cabelos loiros ondulados, olhos castanhos), está trajando uma calça jeans e uma camisa rosa, e se locomove até o PORTÃO DE DESEMBARQUE

E encontra Vitor ( ). Ambos se abraçam fortemente…
REGINA (surpresa): Vitor! Que bom te ver por aqui, mas cadê meu pai?

VITOR: Então, Regina, eu não quero te deixar preocupada, mas…

REGINA: Já to preocupada, anda, diz.

VITOR: (titubeia / cria coragem). É que…eu não vejo ele há alguns dias, fui até a vizinhança e ninguém sabe dele.

REGINA (abismada): Como assim?

VÍTOR (sem graça): Ele sumiu, Regina.

 

Regina pensa um pouco.

 

REGINA: Eu vou atrás dele.

 

Sem se despedir, Regina VAI EMBORA. Em Vítor, sem saber o que fazer.

 

CORTA PARA:

 

CENA 2. EXT. CASA DESCONHECIDA. SÃO PAULO. NOITE

 

A CAM mostra a FACHADA de uma casa humilde, a única da vizinhança que tem essa aparência, ao redor, mansões de todos os estilos. Regina, dá um suspiro e empurra um portão (enferrujado de cor verde). Ela caminha devagar sem fazer barulho, ela fica parada olhando para a porta marrom que está entreaberta.

 

Regina leva a mão ao peito, receosa. Toma coragem e entra.

 

CORTA RAPIDAMENTE PARA:

CENA 3. INT. CASA DESCONHECIDA. SÃO PAULO. NOITE
O seu olhar percorre por toda sala (um sofá de couro e uma mesa ao lado), e logo percorre a cozinha (balcão de marfim e uma mesa pequena com 4 cadeiras).

REGINA (preocupada): Eu sei que eu não avisei que iria chegar de viagem, porém os semestres foram passando tão rápido, quando vi já era hora de vir embora para o Brasil. Ai pai! Cadê você?
Ela desiste de encontrar o pai e fica inquieta, senta em uma cadeira, quando percebe um pequeno bilhete jogado no chão que a impressiona por estar escrito com uma letra muito grande e forte. Regina pega o papel.
“Quando você voltar eu estarei longe. Fique longe da família Tower.”.
Os seus olhos tremem ao ler o papel,  ela fica paralisada por alguns segundos.

 

== INÍCIO FLASHBACK ==

 

INT. CASA DESCONHECIDA. SÃO PAULO. NOITE

 

PANÔRAMICA na mesma vizinhança (uma rua de pedra e casas mais humildes), Regina (aproximadamente 5 anos, vestida com uma blusa de lã) está sentada próximo a um poste. Ela ouve gritos e vai até um muro sem reboco.

Ela olha por um buraco do muro e vê

SEU PAI BRIGANDO COM OUTRO HOMEM

Volta em Regina, que chora. Ela vai até o seu pai (aproximadamente 26 anos, cabelos castanhos, vestido com uma camisa azul). Regina puxa a camisa dele e começa a chorar. Ele aponta para o homem que está na sua frente.

 

PAI (gritando): Regina, está vendo esse homem? Ele é o responsável por tudo de ruim que acontece na nossa família! Esse homem é um canalha! Ele e a família dele!

 

Regina fica sem entender.

 

HOMEM: Eu vou acabar com sua vida, seu ordinário. Eu prometo.
REGINA (assustada): Seu monstro!

 

Em Regina, que chora, desesperada.

 

== FIM DO FLASHBACK ==


CORTA PARA:

CENA 4. INT. SHOPPING / PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO. SÃO PAULO. MANHÃ

A CAM PERPASSA TODO AMBIENTE mostrando pessoas de todas as idades comendo em mesas distintas.

 

Em Regina, sentada em uma cadeira próximo a uma mesa (branca), ela olha para Vitor que acaba de chegar.

 

REGINA: Vitor, acho que eu sei o que aconteceu com o meu pai! Olha isso.

 

Vítor se senta, Regina lhe entrega um papel.

 

VÍTOR (lê): Quando você voltar eu estarei longe. Fique longe da família Tower

REGINA (nervosa): Você viu? Foram eles!

VÍTOR: Eu não sei quem é essa família Tower, mas você tem que ter cuidado para não tirar conclusões precipitadas.

 

Regina BATE na mesa, revoltada.

 

REGINA (gritando): Eu preciso da sua ajuda. Você vai me ajudar?

VITOR (assustado): O que você quer que eu faça?

REGINA (nervosa): Eu quero sua ajuda para me aproximar daquela família e achar o meu pai!

VITOR: E o que eu ganho em troca?

REGINA: Você vai ganhar dinheiro.

VITOR: Regina, você sabe muito bem que a única coisa que eu quero, é o seu amor.

 

Regina se vira e solta um suspiro.

 

REGINA: Você sabe que eu sempre vou te considerar como um irmão. Eu te amo, mas não da maneira que você queria que fosse.

 

Vitor faz uma expressão de decepcionado e coloca sua mão direita em cima da mão dela que está sobre a mesa. Os dois se olham.

VITOR: Eu vou te ajudar, e você não precisa me dar dinheiro nenhum, está bem?

 

Regina sorri.

 

CORTA RAPIDAMENTE PARA:

CENA 5. EXT. CASA DESCONHECIDA. SÃO PAULO. TARDE

 

PANORÂMICA em uma casa luxuosa, branca, três andares de puro glamour, destoando da casa de Regina, bem de frente.

Um SEDAN (branco, moderníssimo) acaba de estacionar. Dele sai um JOVEM (22 anos, cabelos lisos, olhos azuis; veste uma camisa branca com gola V e calça jeans rasgada), que vai em direção ao portão de ferro, quando este é aberto por uma mulher (42 anos, cabelos lisos e longos, olhos castanhos; traja um vestido azul florido).

 

MULHER: Rafael, seu pai estava desesperado atrás de você.

RAFAEL: O que aconteceu?

MULHER: Parece que ele queria alguns papéis, ele disse que tentou te ligar, mas você não atendia.

O jovem abraça sua mãe.

RAFAEL: Tudo bem, depois eu falo com ele. O almoço está pronto?

MULHER: A Carlota preparou algo, mas você nem me falou que viria tão cedo, eu teria pedido pra preparar seu prato preferido.

RAFAEL: Ah mãe, não precisa. Eu passei aqui só pra te dar um beijo; Tenho que ir correndo para o escritório, hoje tem a entrevista da minha nova secretária.

MULHER: E a Janine?

RAFAEL: Eu tive que demitir, ela é muito fofoqueira e rabugenta.

 

Os dois soltam risadas, e Rafael entra em casa.

 

CORTA PARA:

CENA 6. INT. CASA DE REGINA. SÃO PAULO. TARDE

 

Regina está sentada no sofá de couro, enquanto segura e olha para um retrato com uma foto antiga dela e de seu pai.

A campainha TOCA.

Regina leva um susto, coloca o retrato sobre a mesa e se levanta. Segue até a porta. Ao abrir se depara com Vitor (segurando uma maleta preta).

 

VITOR: Como você está? Alguma notícia do seu pai?

REGINA: Eu procurei por tudo que é lugar…, mas a única coisa que me vem à cabeça é aquele bilhete referente à família vizinha. Tudo parece tão errado!

 

Vitor entra na sala e os dois se sentam no sofá de couro.

 

VITOR: Por que você não vai até a polícia e deixa que eles procurem pelo seu pai?

 

Regina se levanta e olha fixamente para Vitor.

 

REGINA (irritada): A minha vida inteira o meu pai falou com certo desprezo daqueles Tower, e sabe Vitor, eu sinto que ele escondia algum segredo, preciso descobrir o que ele escondia, e se isso tem a ver com seu desaparecimento.

VITOR: Então você acha que seu pai sabia algo monstruoso deles?

 

Regina se senta novamente.

 

REGINA: Eu desconfio, mas eu não tenho certeza, a única coisa que eu sei é que quero meu pai perto de mim. E não quero dar um passo em falso, e fazer com que meu pai sofra, seja aonde ele estiver.

 

Regina começa a chorar, Vitor segura na mão dela e sorri.

 

VITOR: Eu tenho uma ideia que pode ajudar você a descobrir se aquela família tem algo a ver com o desaparecimento do seu pai.

REGINA: Você sempre tão brilhante. O que você pensou dessa vez?

 

Vitor abre a maleta preta sobre o sofá (documentos e alguns papéis). Regina sorri.

 

CORTA PARA:

CENA 7. EXT. EMPRESA KRASMANN / FACHADA. SÃO PAULO. TARDE

 

MUSIC FADE: Photograph – Ed Sheeran.

 

Regina (Trajando vestido e sapato vermelhos) olha para a fachada da empresa (um muro alto com grama verde na parede, um pequeno outdoor com o nome da empresa).

 

REGINA: É aqui que vou encontrar as respostas para o desaparecimento do meu pai.

 

Ela respira aliviada e aperta o botão da campainha.

CORTA RAPIDAMENTE PARA:

CENA 8. INT. EMPRESA KRASMANN / ELEVADOR. SÃO PAULO. TARDE

 

Regina esbarra em Rafael (que está vestido de terno preto e uma calça jeans), ele segura alguns papéis, os dois se olham fixamente. Enquanto Regina aperta o andar.

 

RAFAEL (sugere): Eu te conheço de algum lugar?
REGINA: Você não me conhece. Eu sou a candidata para a vaga de secretária!
RAFAEL: Então é você que irei entrevistar?
REGINA: Acredito que sim. Você é o Rafael Tower?
RAFAEL: Correto! E você é Vitória Figueiredo, como estava escrito em seu currículo?

REGINA: Sim.
Os dois se cumprimentam, e trocam olhares sedutores.
O elevador se abre.

 

CORTA RAPIDAMENTE PARA:

CENA 9. INT. EMPRESA KRASMANN / SALA DO RAFAEL. SÃO PAULO. TARDE

 

ÂNGULO ALTO na sala (uma mesa e uma cadeira de cor marfin que está próximo a uma janela, um armário de cor marrom, próximo a uma parede de cor branca, e uma porta branca). Ele pega o currículo da moça que estava em sua gaveta, observa para a pequena foto de Regina na folha e os dois ficam trocando olhares.

Ele olha para Regina e os dois se sentam.

RAFAEL (sorri): Você tem um currículo excelente!
REGINA: Obrigada!
RAFAEL (sério): Mas tem outros currículos muito parecidos com o seu, por que você acha que eu deveria contratar justo você?
REGINA: Boa pergunta! Acredito que você deveria me contratar porque estou preparada para assumir esse cargo e já sinto como se fosse meu.
RAFAEL: Ótima resposta. Você está contratada!
REGINA: Mais nenhuma pergunta?
RAFAEL: Como você disse tão segura, esse cargo já é seu. Agora eu preciso que você comece hoje mesmo, tem muito trabalho pra você aqui, mocinha. A Beatriz vai te auxiliar em tudo que você precisar.
Ele disca no telefone.
RAFAEL (no telefone): Eu preciso que você auxilie a nova secretária em tudo que ela precisar, ok?
Os dois trocam olhares. Beatriz (aproximadamente 23 anos, cabelos castanhos, morena. Trajando uma camisa preta social) entra na sala.

Rafael olha para Regina que se retira educadamente da sala acompanhada por Beatriz. Rafael fica pensativo em meio a rapidez em que contratou a moça. Ele olha para a foto que está no currículo.

 

Em Rafael.

 

CORTA PARA:

INT. EMPRESA KRASMANN / RECEPÇÃO. SÃO PAULO. TARDE

 

PANÔRAMICA da recepção (uma mesa grande de cor marrom, dois computadores em cima e dois telefones).

Regina está sentada em uma das cadeiras, próxima a um computador. A CAM se aproxima dos seus olhos lentamente.

 

== INÍCIO FLASHBACK ==

 

A imagem aparece, seu pai e ela mais nova. Regina está deitada em uma cama de solteiro, em um quarto com paredes rosas. Maurício (pai de Regina) está ajoelhado ao lado da cama, segurando um livro de histórias. Ele fecha o livro e sorri para ela.

 

MAURÍCIO: Eu te amo, filha. Antes de você dormir quero te dar uma coisa que você deve guardar para sempre, por que quando tivermos distantes quero que você lembre que existe uma pessoa que nunca desistirá de você.

 

Maurício abre entrega um colar com um formato de um coração para sua filha. Ela olha surpresa.

 

REGINA: O que é isso papai?

 

Ele abre o coração e Regina sorri, é uma foto dos dois.

 

REGINA: Que lindo pai! Eu te amo muito! Você sempre será o meu herói.

MAURÍCIO: E você sempre será a minha bebê!
== FIM FLASHBACK ==

 

Regina volta a realidade segurando o colar com o coração, olha para Beatriz que está próximo a mesa.

 

BEATRIZ: Você preparou os papéis que o senhor Rafael solicitou?
REGINA: Sim. Estão todos prontos. Pode deixar que eu vou entregar.
BEATRIZ: Ok.

 

A CAM desvia de Regina e dá ZOOM em Beatriz, que está com um semblante de irritada.

 

BEATRIZ: Essa mulher mal entrou e já está se achando!

 

Regina se afasta e vai em direção a sala de Rafael

 

CORTA RAPIDAMENTE PARA:

CENA 10. INT. EMPRESA KRASMANN / SALA DO RAFAEL. SÃO PAULO. TARDE

 

Rafael está sentado próximo à mesa, quando ouve batidas na porta.

RAFAEL (grita): Pode entrar.

 

Regina está envergonhada, com alguns papéis na mão, ela entra e os dois se entreolham.

 

RAFAEL: O que aconteceu?

REGINA: Com licença, senhor Rafael. Os papéis que o senhor pediu estão todos aqui.
RAFAEL: Pode deixar na minha mesa.
REGINA: Está bem.
Regina vai se retirando. Quando de repente…
RAFAEL (gritando): Espera! Eu quero conversar com você.
REGINA: Conversar comigo? Eu fiz algo de errado, senhor?
RAFAEL: Eu só acho que eu preciso te conhecer melhor.
Um clima estranho se preenche na sala.
RAFAEL: Já que você é minha secretária, você toparia tomar um café comigo depois do expediente?
REGINA: Tudo bem.
RAFAEL: O seu namorado não vai ficar chateado?
REGINA: Não se preocupe, eu não tenho namorado.
Regina sorri e vai embora da sala educadamente. Rafael sorri sozinho e solta um ar de alivio.

 

CORTA PARA:

CENA 11. INT. EMPRESA KRASMANN / RECEPÇÃO. SÃO PAULO. TARDE

 

ZOOM em Regina, que está saindo da sala de Rafael quando esbarra em um homem (42 anos, cabelos grisalhos, usando um terno e com um crachá escrito “Presidente”). Ele olha para Regina como se a conhecesse, e faz uma expressão de surpreso.

 

HOMEM (nervoso): O que você faz aqui?

 

Regina percebe que o homem a reconheceu e tenta se disfarçar.

 

REGINA: Eu trabalho aqui. Sou secretária. Vitória Figueiredo.
HOMEM: Mocinha, você quer me fazer de idiota? Você é a Regina.
REGINA: O senhor deve estar confundido.

 

O homem passa a mão na testa, nervoso. Respira fundo.

 

HOMEM: Devo estar mesmo, me perdoe. É que você me parece muito com a filha de um conhecido meu, e, e por pura coincidência do destino, tem o mesmo sobrenome. Meu nome é Alexandre, me desculpe novamente.

Regina solta um ar de alívio, mas fica preocupada com o que aconteceu. Alexandre entra na sala com um tom de preocupado.

Ela vai até a recepção e senta próximo a sua mesa.

Beatriz se aproxima de Regina.

 

BEATRIZ: Eu vi tudo de longe.
REGINA: Viu o quê?
BEATRIZ: Vi como o estúpido do senhor Alexandre te tratou.
REGINA: Ele é sempre assim?
BEATRIZ: Sempre! Aquele homem é um macaco mal-humorado.
REGINA: Eu já tive muito medo dele, hoje não tenho mais.
BEATRIZ: Você fala como se conhecesse ele há um tempão.

 

Beatriz solta uma risadinha, enquanto Regina disfarça.

 

CORTA RAPIDAMENTE PARA:

CENA 12. INT. EMPRESA KRASMANN / SALA DE RAFAEL. SÃO PAULO. TARDE

 

Rafael está sentado próximo à mesa digitando no computador, quando percebe a presença de alguém em sua frente.

 

RAFAEL: Pai, o senhor não sabe bater na porta?

ALEXANDRE (irritado): Olha aqui moleque essa empresa é minha, e eu faço o que eu bem entender.

RAFAEL: E só por que a empresa é sua você se acha no direito de ter falta de educação? Bem menos senhor Alexandre.

ALEXANDRE: Eu não quero discutir sobre isso agora, apenas quero que você siga minha nova ordem.

RAFAEL: Pode falar chefia.

ALEXANDRE: Eu quero que você demita a nova secretária!

 

Rafael se levanta e encara seu pai.

RAFAEL (irritado): Você está louco? Eu contratei a moça hoje, e ela parece ser uma excelente funcionária.

ALEXANDRE: Eu não te perguntei se ela é boa, você tem até amanhã pra colocar essa mulher no olho da rua.

Alexandre nervoso bate a porta com força e saí da sala.

 

CORTA RAPIDAMENTE PARA:

CENA 13. INT. EMPRESA KRASMANN / CAFETERIA. SÃO PAULO. NOITE

 

ÂNGULO ALTO na cafeteria da empresa (umas mesas de vidro com toalha vermelha xadrez, e cadeiras próximo), Rafael e Regina entram e se sentam em uma mesa no canto de uma janela.

 

RAFAEL: Obrigado por ter aceitado o convite. Você está linda.

REGINA: Obrigado, senhor Rafael.

RAFAEL: Não me chama mais de senhor, por favor. Eu vou ficar chateado.

REGINA: Desculpa Rafael.

RAFAEL: Eu pensei em você o dia todo, Vitória. Eu não sei nem como te dizer, mas parece que eu te conheço há muito tempo.

REGINA: Eu confesso que também pensei em você o dia todo.

Rafael sorri contente.

RAFAEL: Eu acho esse lugar tão chato… Parece tão monótono. Você aceitaria ir comigo pra um lugar mais tranquilo?

REGINA (irritada): Você quer me levar pra onde?

RAFAEL (sugere): Eu quero te levar pra uma praia que eu acho linda, é aqui perto. Quero que você sinta o que eu sempre sinto quando estou sozinho.

Regina faz que sim com a cabeça e os dois vão em direção ao carro.
CORTA RAPIDAMENTE PARA:

CENA 14. EXT. PRAIA. SÃO PAULO – SANTOS. NOITE

 

CLOSE UP na areia fina do mar, Rafael tira a camisa e sai correndo até o mar.

 

RAFAEL (grita): Você não tem ideia Vitória, como esse lugar me faz bem.

 

Os dois se olham. Rafael pega na mão de Regina.

 

REGINA: É um lugar muito bonito. Eu nunca tinha visto o mar de noite.

 

Regina fica impressionada, e acaba se deixando levar pelos encantos de Rafael, os dois se olham fixamente.

 

MUSIC FADE: Sozinho – Tim Maia.

 

Rafael coloca suas mãos sobre o rosto de Vitória, e os dois se beijam devagar, ele para de beijá-la e diz…

 

RAFAEL: Você é muito linda!

 

Regina para de beijar ele e olha para o relógio.

 

REGINA (nervosa): Tudo está tão maravilhoso, mas está ficando tarde.

RAFAEL: Tudo bem eu te levo em casa.

 

Rafael pega na mão de Regina e os dois vão em direção ao carro.

 

FIM MUSIC FADE

 

CENA 15. INT. EMPRESA KRASMANN / RECEPÇÃO. SÃO PAULO. TARDE

 

ZOOM em Alexandre, que é um dos primeiros a chegar a empresa, ele se depara com a presença de Regina na recepção, abre uma expressão de surpreso. Ele fica nervoso e vai andando rapidamente até que ele fica parado em frente a ela, os dois se olham.

 

ALEXANDRE (irritado): O que você faz aqui ainda?

REGINA: Desculpa senhor, não entendi sua pergunta.

ALEXANDRE: Eu já vi que o Rafael é um inútil mesmo.

 

Regina fica surpresa com a atitude de Alexandre.

 

ALEXANDRE: Eu quero que você pegue suas coisas e se retire imediatamente, você está sendo demitida.

REGINA (assustada): Mas o que eu fiz senhor?

ALEXANDRE: Você acha que eu ia cair nesse seu papo, Regina. Eu não sou idiota. Eu sei que é você, e se você não sair daqui imediatamente, eu posso chamar a polícia e você será presa por identidade falsa.

REGINA: Você pode me prender, mas eu não vou sair daqui, enquanto não descobrir o que você fez com meu pai.

ALEXANDRE: O seu pai sempre foi um fracassado, Regina.

Alexandre chega mais perto de Regina.

ALEXANDRE: Assim como você.

 

Regina dá uma bofetada em Alexandre.

 

REGINA (gritando): Assume que você o sequestrou! Seu desgraçado!

ALEXANDRE: Você acha que eu teria coragem de sequestrar alguém? Acha mesmo? Presidente de uma empresa ia se sujar para cometer mal com um pobre que ninguém conhece. Seu pai fugiu Regina, você sabe disso.

REGINA: Seu ator de merda! Me diz onde você escondeu meu pai.

ALEXANDRE: Eu já disse, quero que você saia dessa empresa imediatamente, ou chamarei a polícia.

 

A CAM dá ZOOM em Regina e congela no rosto dela.

 

FADE OUT

ESCRITA POR:

Vinicius Henzel

SUPERVISÃO POR:

Cristina Ravela

ELENCO:

Giovana Antonelli: Regina Oliveira

Bruno Ferrari: Rafael Tower

Lilia Cabral: Marília Oliveira

Gabriel Braga Nunes: Alexandre Tower

Murilo Benicio: Maurício Oliveira

Bruna Marquezine: Daniela Nascimento

Thiago Fragoso: Vitor Silva

PRODUÇÃO:

UNBROKEN PRODUCTIONS

Todos os direitos reservados ©