O céu estava lindo, coberto por estrelas. Era noite, uma fria, porém calma noite. Infelizmente, a calmaria era apenas o encobrimento de um trágico evento que estava por vir.

Lana McDonnell e William Davis estavam recém casados e mais felizes do que nunca, ou assim pensava-se. Conheceram-se há apenas 3 meses dentro de circunstâncias “incomuns”, por assim dizer, foi amor à primeira vista.

A cerimônia havia acontecido há apenas 1 hora na mansão dos Davis, que são uma das mais poderosas famílias de Portsville. A festa acontecia num grande navio alugado por eles.

William estava no banheiro de sua cabine lavando o rosto. Estava com muito calor depois do dia exaustivo que teve.

Enquanto isso, na ala exterior do navio, mais especificamente na borda, estavam Lana e Tamara Davis, mãe de William. As duas estavam brigando. O iate estava lotado, mas ninguém ouvira a briga, pois naquela ala estavam apenas elas.

– Isso é tudo sua culpa! – Tamara exclamou, explodindo de raiva de Lana. Em seguida, ela deu um forte tapa na cara de sua nora, que a empurrou imediatamente, fazendo com que Tamara caísse no chão.

– Eu já disse que não tenho nada a ver com isto, Tamara! – Lana respondeu, tentando amenizar as coisas.

De repente, Tamara, ainda deitada no chão, deu um chute na perna de Lana, fazendo com que esta caísse também. Depois, ela subiu em cima de sua nora e pegou fortemente nos cabelos dela, tentando bater com sua cabeça no chão.

Lana, tentando revidar, pressionou os olhos de sua sogra com os dedos polegares e deu uma cabeçada em sua testa. Ela levantou, enquanto Tamara estava tonta, caída no chão.

– Essa foi a gota d’água, Lana McDonnell. Está na hora de todos a conhecerem pela farsa que você é! – Ela exclamou, enquanto levantava-se lentamente.

William estava ouvindo uma briga de sua cabine – esta não muito longe da ala exterior do navio onde agora estavam Lana e Tamara – e resolveu ir lá fora checar.

Quando saiu, ele viu de longe sua mãe e esposa gritando e batendo uma na outra. – Ei, parem! – Ele saiu correndo até elas para parar a briga. Elas continuaram, nem ouviram os gritos de William. De repente, um tiro foi disparado. Lana e Tamara olharam-se chocadas. – NÃO! – William gritou desesperadamente. Até que um corpo caiu do navio, boiando sobre a água, espalhando sangue pelo mar.

 

3 MESES ANTES…

Lana estava conhecendo o seu novo apartamento. Laurie, dona do mesmo, havia colocado um cartaz no portão da frente do prédio anunciando que o lugar estava disponível para um segundo morador. Ela trabalhava numa doceria, então seu salário não era o suficiente para sustentar-se por conta própria.

Lana não gostava muito da ideia de ter uma colega de quarto, considerando que isto poderia atrapalhar os seus planos. Ela mesma já experienciou isto. Porém, também não podia se dar ao luxo de uma casa própria, visto que estava desempregada e há recém voltando para Portsville – sua cidade natal – depois de muito tempo fora.

– …E este será o seu quarto. – Laurie afirmou, entusiasmada. – Como você pode ver, não é um palácio, mas deve dar muito bem para uma pessoa.

– O quarto é ótimo, Laurie, obrigada. – Lana respondeu, sorrindo.

– Então… você vai ficar? – Ela perguntou com receio.

– Com certeza! – Laurie não pôde conter sua alegria e imediatamente abraçou Lana, que estava quase que sendo sufocada por sua nova colega de quarto.

– Você não faz ideia do quanto eu fico feliz em ouvir isso! – Ela exclamou, sorrindo entusiasmadamente. – Espere um pouco, eu já fiz uma cópia da chave. Eu vou pegá-la pra você. – Laurie saiu do cômodo para pegar a chave do apartamento.

– Ótimo.

 

FLASHBACK, 1999

Era véspera de natal. Lana (anteriormente Alicia) tinha apenas 11 anos. Estava sentada no sofá, em frente à lareira assistindo televisão com seu pai, George Thompson.

– Ei, eu tenho algo pra você, querida. – George tirou a almofada de cima do embrulho que estava escondendo ao seu lado e deu o presente à Alicia. – Se você quiser, pode abrir amanhã ou… – Antes que George pudesse continuar, Alicia já tinha rasgado o embrulho e abrido o presente. – …Ou você pode abrir agora mesmo. – Ele riu.

Era um lindo colar em forma de coração. – Nossa, papai. Eu amei, obrigada. – Alicia ficou extremamente feliz e abraçou George.

– De nada, querida.

– Do que é feito?

– É de ouro.

– Mas não é caro demais?

– Nada é caro demais quando se trata de minha linda princesa. – Em seguida, George deu um beijo na testa de sua filha. – Agora lembre-se: este colar é para que você sempre se lembre que eu estou com você. Sempre que usá-lo, prometa-me que irá pensar em mim, ok?

– Tudo bem, papai. – Ela sorriu, e os dois se abraçaram.

De repente, alguém bateu na porta. George ficou curioso com alguém batendo àquela hora e em plena véspera de natal. Ele abriu a porta. Era Tamara Davis, uma vizinha.

– Tamara? O que faz aqui? – Ele perguntou, curioso.

– Eu estava passando pelo bairro e resolvi dar o seu presente de natal antecipadamente. – Tamara agarrou George pelo pescoço e beijou-o. Ele discretamente afastou-a.

– Acho melhor agora não, Tamara. Minha filha está olhando. – Ele ressaltou, tentando disfarçar o seu caso na frente de Alicia.

– Ah. – Em seguida, Tamara deu dois passos à frente para entrar. – Olá, Alicia. – Ela disse, sorrindo.

– Oi, srta. Davis. – Alicia respondeu timidamente.

 

ATUALMENTE

Tamara estava na sacada de seu quarto, lugar onde ela costumava ficar em pé, observando a vista para o mar. Havia há recém se acordado, nem havia tomado o café da manhã ainda.

De repente, ela ouviu o som da campainha da mansão. Havia alguém na porta. Como já era de se esperar, alguns segundos depois, uma das empregadas, Ivy, bateu na porta do quarto de Tamara alertando-a sobre a visita.

– Sim, Ivy? – Tamara já sabia do que se tratava, mas sentia uma grande satisfação sempre que dava ordens a alguma das empregadas. Gostava de ser servida.

– Srta. Davis, tem uma moça na porta dizendo que quer um emprego como serviçal. Mando ela entrar?

Tamara não precisava de outra empregada, já tinha várias. Porém, ficou intrigada com a audácia da tal garota em vir diretamente falar com ela. Geralmente, encontrava suas serviçais através de sua assistente, Melissa. – Sim. Mande ela entrar. Diga que já vou descer.

 

Alguns minutos depois, Tamara já estava maquiada e com um de seus muitos deslumbrantes vestidos. Ela desceu as escadas para conhecer a garota que se candidataria para um emprego na mansão.

– Olá, srta. Davis. É um prazer enorme conhecê-la. – Ela disse, demonstrando grande entusiasmo.

– Eu sei, querida. – Tamara riu discaradamente. – Então, eu ouvi dizer que você quer um emprego aqui na mansão.

– Sim, senhora.

– E… qual é o seu nome mesmo?

– Lana… Lana McDonnell.

 

CONTINUA…

ESTRELANDO:
Amanda Seyfried (Lana McDonnell/Alicia Thompson)
Famke Janssen (Tamara Davis)
Brett Dalton (Nathan Miller)
Andy Mientus (Justin Davis)
Danny Huston (Gordon Davis)
Ashley Hinshaw (Laurie Seinfield)
Travis Van Winkle (Mike Davis)
Nicholas D’Agosto (William Davis)
Ana Ortiz (Melissa Denver)

CO-ESTRELANDO:
Tracy Spiridakos (Alicia Thompson/Lana McDonnell)
John Barrowman (Jay Roberts)
Robert Buckley (Troy Baxter)
Amy Landecker (Janett Davis)
Kiefer Sutherland (George Thompson)
Nina Dobrev (Ivy James)
Matt Bomer (Vince Morgan)
Stephen Amell (Kevin Hunter)

CONVIDADOS:
Roger Bart (Connor Flockheart)
Chris Wood (Evan Masters)
Courtney B. Vance (Detetive Hamington Brooks)
John Prosky (Caleb Grant)
Juliane Moore (Martha Baxter)
Sarah Baker (Oficial Kara Winston)
Wendy Crewson (Lila George)
Bridgette Wilson (Dra. Marcia Stevens)
Larissa Gomes (Macy Storyville)
Pruitt Taylor Vince (Irmão James Thawne)
Beth Hall (Ingrid Kendall)
Camille Chen (Karen Stevenson)
Lizzy Caplan (Norie Jones)
Malik Yoba (Carl Matthews)

UMA PRODUÇÃO ORIGINAL:

Unbroken Productions

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.