– O que você pensa que está fazendo voltando aqui?! Você não tem o direito de estar aqui! – Lana ficou enraivecida com o súbito aparecimento de um antigo conhecido, Nathan.

– Eu voltei por você, Lana… e seu pai. Ele não iria querer que você seguisse esse caminho. – Ele respondeu, mostrando compaixão pela dor de Lana.

– Meu pai não iria querer nada porque ele está morto e aquelas pessoas são as culpadas!

– Posso entrar? Assim poderemos conversar melhor.

– Você está louco?! É claro que não! Eu quero que você saia agora!

– Você tem companhia por acaso?

– Tenho, não que seja da sua conta.

– Por favor, venha comigo. Podemos conversar num lugar melhor e eu te explico tudo.

– Eu já te disse que não quero ter nenhuma conexão com você, agora saia!

Nathan começou a aborrecer-se com a teimosia de Lana, então resolveu recorrer ao seu último recurso como argumento. – Olha, eu não queria ter que te ameaçar, mas eu juro que se você não vier comigo agora, eu irei revelar a sua real identidade aos Davis!

Lana estava indignada com tamanha insistência. Não podia deixar que seus planos fossem interrompidos por causa de Nathan. – Tudo bem. Você tem 1 hora, ouviu? Depois eu voltarei pra cá!

– Ótimo.

Em seguida, Lana foi até a porta do banheiro – que no momento estava meio aberta –, onde Laurie estava tomando banho. – Ei, eu vou sair, ok? Eu volto em 1 hora.

– Tudo bem. Ah, espere! Por acaso você estava discutindo com alguém? – Ela perguntou, curiosa.

– Ah, não. – Lana riu falsamente. – Um casal deve estar tendo uma briga feia no andar de cima.

– Ah, bom. Divirta-se então!

– Eu irei.

Logo após fechar a porta do banheiro, Lana pegou suas chaves e saiu com Nathan.

– Gostei de você referir-se à nós como um casal. – Nathan apontou, irônico.

– Cale a boca e ande.

 

FLASHBACK, 2000

George e Tamara estavam arrumando-se. George estava atrasado para a sua campanha eleitoral, enquanto Tamara precisava voltar para seu marido, Gordon.

– Querido, feche para mim, por favor? – Tamara pediu, de costas para George.

– É claro. – Ele fechou o zíper do vestido, e em seguida, virou ela de frente para ele, com as mãos em seus ombros. – Tamara, precisamos conversar.

– Mas é claro! O que foi? – Ela ficou um pouco preocupada.

– Ontem quando eu voltei da festa de caridade, fui até o quarto de Alicia para dá-la um beijo de boa noite. Para a minha surpresa, ela ainda estava acordada. – Ele riu. Mas não parecia estar contente, mas sim desapontado.

– Não me diga. – Tamara tentou desviar-se do assunto, dando as costas para pegar seus brincos.

– Ela parecia assustada. E disse que você gritou com ela sem nenhum motivo. Por favor, querida, diga-me que isto não é verdade.

– Talvez eu tenha ficado zangada, mas não gritei com ela, George. – Ela respondeu, mentindo para que ele não ficasse zangado. – Eu sinto muito, Gordon anda me estressando muito e acho que acabei descontando em Alicia. Eu prometo que me desculparei com ela, se fazer com que você se sinta melhor.

– Eu agradeceria muito, querida. – Os dois sorriram e George beijou Tamara, em seguida.

 

ATUALMENTE

Alguns minutos depois, Lana e Nathan estavam finalmente em um lugar em que pudessem conversar mais calmamente. Os dois estavam sentados à uma das mesas na doceria “Abby’s Sweet-Shop”, uma das mais famosas da cidade.

– Você só vai beber café? Eu ouvi dizer que os cupcakes desse lugar são explêndidos! – Nathan brincou, tentando descontrair Lana, que ficou ainda mais desconfiada de suas intenções.

– O que você quer, Nathan?

– Primeiramente: por que você está fazendo isso?

– Isso o quê?

– Vingança. O que te faz pensar que este é o caminho certo?

– Porque estas pessoas que deveriam estar na cadeia, continuam ainda mais poderosas e famosas devido o que fizeram ao meu pai.

– Você está disperdiçando a sua vida em nada mais que puro ódio, eu espero que eventualmente você perceba que não vale a pena seguir este caminho.

– Então você só veio aqui para me dar lição de moral?

– Não. Na verdade, eu presumi que você não me escutaria, como de costume, e vim com uma outra solução.

– E o que seria isto?

– Justiça. Tamara Davis estava tendo um caso com o seu pai. O que ele não sabia era que estava sendo enganado em prol da família Davis.

– Dá pra pular para a parte onde eu escuto algo útil e, quem sabe inédito?

– O seu pai amava a Tamara, Lana. Ele era louco por ela. E como todo homem poderoso, ele sabia que precisava prevenir-se caso algo acontecesse a ele durante sua campanha eleitoral. Por isso, ele deixou toda a sua herança no nome de Tamara, já que você era menor de idade. Além disso, ele deixou uma carta requisitando que Tamara usufruísse de apenas 25% dos bens e que os outros 75% deveriam ser entregues à você quando fizesse 18.

– O que você está querendo dizer, Nathan?

– Não é óbvio? Revele a sua verdadeira identidade aos Davis! Por direito, Tamara seria obrigada a ceder aquele dinheiro. Você pode conseguir a vida que o seu pai sempre desejou pra você, Lana.

– Mas isso não vai limpar o nome do meu pai e muito menos fazer os Davis pagarem pelo que fizeram!

– Mas pelo menos dará a você uma boa vida! E isto é o que o seu pai queria, Lana. Não uma vingança boba aos Davis!

– Já chega! É hora de eu ir pra casa. Obrigado por nada, Nathan! – Lana saiu imediatamente da doceria, estava extremamente irritada com o retorno de Nathan à sua vida.

 

FLASHBACK, 2000

Alicia estava em seu quarto. Já tinha acordado-se há algum tempo, mas estava esperando que Tamara fosse embora, não queria dar de cara com ela subitamente.

Para a surpresa de Alicia, Tamara bateu na porta. – Com licença, Alicia. Posso entrar? – Ela perguntou, compreensivamente. Alicia assentiu. Estava muito assustada para respondê-la, não queria outro desentendimento desnecessário. Tamara sentou-se na cama, onde Alicia estava deitada assistindo desenhos animados na televisão. – Que desenho você está assistindo? – Ela perguntou, tentando puxar assunto.

– “Looney Tunes”. – Ela sussurrou, tímida.

– É muito bom, este. Eu costumava assistir toda hora este tipo de programa quando era criança. Você assiste muitos desenhos? – Tamara perguntou. Alicia assentiu novamente. – Seu pai me disse que você ficou assustada com o meu comportamento, ontem à noite. É verdade? – Desta vez, Alicia ficou quieta. Estava com medo do que sua madrasta fosse dizer em seguida. – Eu só quero que você saiba que nunca foi minha intenção descontar minha raiva em você.

– Então porque gritou comigo?

– Às vezes quando estamos zangados, acabamos ferindo pessoas que não merecem. Eu só queria que você soubesse que nada disso foi sua culpa. E eu peço desculpas. – Em seguida, Tamara deu um beijo na testa de Alicia.

– Obrigada, Srta. Tamara. – Elas sorriram.

George estava no lado de fora do quarto, ouvira toda a conversa. Ele sorriu de felicidade, tudo que sempre quis foi um bom relacionamento entre Alicia e Tamara. De repente, ele ouviu alguém bater na porta da frente e resolveu ir atender. Estava esperando pela visita, era Nathan, um querido amigo.

Tamara, ainda com Alicia, estava olhando através do reflexo do espelho do quarto os pés de George na porta. Assim que ele saiu, ela resolveu voltar-se para sua enteada. – Agora você me escuta aqui, sua vadiazinha. Não pense que eu gosto de você e muito menos que somos amigas, entendeu?! Eu só continuo vindo nesta casa por causa de seu pai, pois se dependesse de você, eu estaria longe há muito tempo. Então, a partir de agora você não vai falar comigo ou olhar pra mim. Eu não gosto de você e não quero ter nada a ver com você! E se você ao menos pensar em contar ao seu papaizinho novamente, eu juro que te darei uma surra tão grande que você desejerá não ter nascido, ouviu?! – Tamara sussurrou, para que George não ouvisse. Alicia assentiu, amedrontada. – Ótimo! – Ela riu, sarcasticamente. – Agora arrume-se e vá para a sala de estar cumprimentar a visita, ok? Eu falo com você depois, querida. – Tamara saiu do quarto, convencida.

 

ATUALMENTE

Alguns instantes mais tarde, Lana já tinha chegado em casa. Já tinha tomado um banho, mas depois dos recentes eventos, estava se sentindo mais aborrecida do que nunca. E um bom banho sempre relaxava-a. Laurie, por sua vez, ainda estava acordada, assistindo televisão.

– Oi, você voltou! Onde você foi? – Laurie perguntou, curiosa.

– Só fui dar uma volta. Pegar um pouco de ar fresco. E você, o que ainda faz acordada?

– Ah, é que eu estou um pouco nervosa, só isso. Amanhã irei ao aniversário de casamento do casal Davis e é a primeira vez que vou numa festa tão… refinada. – Laurie riu.

Lana ficou surpresa. – Você vai à festa dos Davis? Como conseguiu isso?

– Acontece que William Davis me contratou para fazer os doces para a festa. – Ela explicou, animada.

– Imagina só?! – Lana riu, intrigada. Não podia ser mera coincidência que William contratasse justamente a sua colega de quarto.

– Eu espero que esteja tudo bem, pra você. Considerando…

– Ah, que isso, Laurie? Nunca que eu a impediria de se divertir por causa dos meus próprios problemas. Divirta-se amanhã, ok?

– Tudo bem. – Ela respondeu, sorrindo.

– Vou tomar um banho rápido e me deitar. Boa noite.

– Boa noite.

Lana entrou em seu quarto e fechou a porta. Ela estava escolhendo roupas para ir tomar banho. De repente, ela ficou surpresa ao ouvir seu celular tocando. Não esperava uma ligação a esta hora. – Sim?

– Esta é Lana McDonnell?

– Sim, sou eu.

– Olá, Lana. Aqui é Tamara Davis.

Lana ficou positivamente surpresa. – Srta. Davis? Oi.

– Eu espero não tê-la acordado.

– É claro que não. Eu estava prestes a ir tomar banho.

– Eu serei rápida então. Como você sabe, não pude arranjar um lugar para você em minha casa, mas isto não significa que a esqueci. – Ela disse, sorrindo. – Por acaso você vai estar ocupada amanhã?

– Não. Por que? – Ela já sabia o porquê da pergunta de Tamara, mas não podia levantar suspeitas.

– Neste caso, eu adoraria que você comparecesse ao meu aniversário de casamento amanhã. Tem uma vaga disponível como garçonete na minha festa. Se você quiser, é claro.

– É claro, eu adoraria! Muito obrigada, srta. Davis!

– Boa noite, querida.

Lana desligou. Imediatamente, um sorriso se estampou em seu rosto. Seus planos finalmente estavam dando certo.

 

CONTINUA…

 

ESTRELANDO:
Amanda Seyfried (Lana McDonnell/Alicia Thompson)
Famke Janssen (Tamara Davis)
Brett Dalton (Nathan Miller)
Andy Mientus (Justin Davis)
Danny Huston (Gordon Davis)
Ashley Hinshaw (Laurie Seinfield)
Travis Van Winkle (Mike Davis)
Nicholas D’Agosto (William Davis)
Ana Ortiz (Melissa Denver)

CO-ESTRELANDO:
Tracy Spiridakos (Alicia Thompson/Lana McDonnell)
John Barrowman (Jay Roberts)
Robert Buckley (Troy Baxter)
Amy Landecker (Janett Davis)
Kiefer Sutherland (George Thompson)
Nina Dobrev (Ivy James)
Matt Bomer (Vince Morgan)
Stephen Amell (Kevin Hunter)

CONVIDADOS:
Roger Bart (Connor Flockheart)
Chris Wood (Evan Masters)
Courtney B. Vance (Detetive Hamington Brooks)
John Prosky (Caleb Grant)
Juliane Moore (Martha Baxter)
Sarah Baker (Oficial Kara Winston)
Wendy Crewson (Lila George)
Bridgette Wilson (Dra. Marcia Stevens)
Larissa Gomes (Macy Storyville)
Pruitt Taylor Vince (Irmão James Thawne)
Beth Hall (Ingrid Kendall)
Camille Chen (Karen Stevenson)
Lizzy Caplan (Norie Jones)
Malik Yoba (Carl Matthews)

UMA PRODUÇÃO ORIGINAL:

Unbroken Productions

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.